Gluconato

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ácido glucónico
Alerta sobre risco à saúde
D-Gluconic acid.png
D-gluconic-acid-3D-balls.png
Nome IUPAC ácido (2R,3S,4R,5R)-2,3,4,5,6-pentahidroxihexanóico
Outros nomes Nenhum
Identificadores
Número CAS 526-95-4
Propriedades
Fórmula molecular C6H12O7
Massa molar 196 g/mol
Aparência Cristais incolores
Densidade  ?
Solubilidade em água boa
Solubilidade em outros solventes  ?
Acidez (pKa) 3.86
Riscos associados
Principais riscos
associados
Corrosivo (C)
Ponto de fulgor  ?
Compostos relacionados
Compostos relacionados Glucose (carboxila reduzida a carbonila)
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

O ácido glucónico é um composto orgânico com fórmula molecular C6H12O7 e fórmula estrutural condensada HOCH2(CHOH)4COOH.

Em soluções aquosas a pH neutro, o ácido glucónico forma o ião gluconato. Os sais de ácido glucónico são conhecidos como "gluconatos". O ácido glucónico e os sais de gluconato ocorrem muito na natureza porque tais espécies derivam da oxidação da glucose. Ésteres de gluconato também podem ser formados, tal como gluconato de quinina que é usado em injecções intramusculares para o tratamento da malária.


Estrutura Química[editar | editar código-fonte]

A estrutura química do ácido glucónico consiste numa cadeia de seis carbonos com 5 grupos hidroxila terminando num ácido carboxílico. Em solução aquosa o ácido glucónico existe em equilíbrio com o éster cíclico glucono delta-lactona

Ocorrência e usos[editar | editar código-fonte]

O ácido glucónico ocorre naturalmente na fruta, mel e vinho Como aditivo alimentar (E574[1]), é um regulador de acidez. É também usado em produtos de limpeza, onde dissolve depósitos minerais, especialmente um soluções alcalinas. O anião gluconato é um quelante de Ca2+, Fe2+, Al3+, e de outros metais pesados. O gluconato de cálcio, na forma de gel, é usado para tratar queimaduras de ácido fluorídrico.[2][3]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Food Standards Agency - Current EU approved additives and their E Numbers
  2. el Saadi MS, Hall AH, Hall PK, Riggs BS, Augenstein WL, Rumack BH (1989). Hydrofluoric acid dermal exposure. Vet Hum Toxicol. pp. 243–7. PMID 2741315 
  3. Roblin I, Urban M, Flicoteau D, Martin C, Pradeau D (2006). Topical treatment of experimental hydrofluoric acid skin burns by 2.5% calcium gluconate. J Burn Care Res. pp. 889–94. doi:10.1097/01.BCR.0000245767.54278.09. PMID 17091088 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]