Gramática funcional

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gramática
Classificação
Comunicação
Fonética
Fonologia
Morfologia
Sintaxe
Semântica
Etimologia
Estilística
Literatura
Tipos
Descritiva
Gerativa
Formal
Funcional
Normativa
Transformacional
Universal
Implícita
Contrastiva
Reflexiva
Histórica
Artigos Relacionados
Gramática
Linguística
Lexicologia
Retórica
Língua

O funcionalismo vê a língua com uma estrutura maleável, sujeita às pressões de uso e constituída de um código não totalmente arbitrário.[carece de fontes?]

Princípios Básicos[editar | editar código-fonte]

O Princípio da Marcação, o Princípio da Iconicidade e o Princípio da Gramaticalização

O Princípio da Marcação[editar | editar código-fonte]

Diz respeito à presença versus ausência de uma propriedade nos membros de um par contrastante de categorias linguísticas.

Complexidade Estrutural: a estrutura marcada tende a ser mais complexa (ou maior) que a estrutura não marcada.

Distribuição de Frequência: a estrutura marcada tende a ser menos frequente que a estrutura não marcada.

Complexidade Cognitiva: a estrutura tende a ser cognitivamente mais complexa do que a estrutura não marcada correspondente.

Princípio da Iconicidade[editar | editar código-fonte]

Relação motivada, isomórfica, de um para um, entre forma e conteúdo.

Subprincípio da Quantidade: quanto maior a quantidade de informação maior a quantidade de forma, de tal modo que a estrutura de uma construção gramatical indica a estrutura do conceito.

Subprincípio da Integração: os conteúdos mais próximos cognitivamente também estarão integrados no nível da codificação – o que está mentalmente junto, coloca-se sintaticamente junto.

Subprincípio da Ordenação Linear: a informação mais importante tende a ocupar o primeiro lugar na cadeia sintática, a ordem de elementos revela a ordem de importância do falante.

Gramaticalização[editar | editar código-fonte]

Focaliza a emergência, ao longo do tempo, de novas estruturas morfossintáticas e suas funções semânticas ou pragmáticas correspondentes.

Frequência de uso: traço caracterizador do processo de regularização linguística. Quando uma forma inesperada passa a ser considerada normal e despercebida no discurso.

Interdependência: entre língua e fala, estrutura e uso, categórico e menos categórico na língua.

Pancronia: perspectiva diacrônica que envolve a mudança linguística e perspectiva sincrônica que envolve a variação.