Grande Mesquita de Alepo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grande Mesquita de Alepo
جامع حلب الكبير
O minarete da mesquita em janeiro de 2011
Estilo dominante Mesquita
Arquiteto Hasan ibn Mufarraj al-Sarmini
Início da construção 715
Fim da construção 717
Religião Islão
Local Alepo, Síria

A Grande Mesquita de Alepo (árabe: جامع حلب الكبير Halab Jami 'al-Kabir) ou a Mesquita Omíada de Alepo (Masjid al-Halab Umayya BI) é a maior e mais antiga mesquita da cidade de Alepo no norte da Síria. A presente mesquita data do século XIII, no período mameluco, apenas o minarete seljúcida é de 1090.[1] O minarete porém foi destruído durante os combates em 24 de abril de 2013.[2]

Acredita-se que a mesquita abrigue os restos mortais de Zacarias, pai de João Batista.[3][4] Ela está localizada na parte antiga da cidade.

História[editar | editar código-fonte]

O local onde se encontra a Grande Mesquita era uma ágora do período helenístico que mais tarde tornou-se o jardim da Catedral de Santa Helena (território) durante o governo era cristã da Síria.[4]

A mesquita foi iniciada por volta de 715 e foi construída onde era o cemitério da catedral.[5] A obra foi iniciada pelo califa omíada al-Walid I e foi concluída por seu sucessor, Sulayman, em 717.[6]

Na segunda metade do século XI, os mirdássidas controlavam Alepo e construiram uma fonte no pátio da mesquita.[7] O minarete de 45 metros de altura da Grande Mesquita foi restaurado por Hasan Abul Muhammad, dos seljúcidas, em 1090.[8] A mesquita foi restaurada e ampliada pelo sultão Nur al-Din em 1169 após um grande incêndio que destruiu a estrutura omíada anterior;[4] Mais tarde, os mamelucos fizeram novas alterações.[6]

Em 1260, a mesquita inteira foi arrasada pelos mongóis.[6][9]

O pátio e minarete da mesquita foram renovados em 2003.[6]

Em 13 de outubro de 2012, a mesquita foi seriamente danificada durante os confrontos entre os grupos armados do Exército Livre da Síria e forças do exército sírio. O presidente Bashar al-Assad emitiu um decreto presidencial para formar um comitê para reparar a mesquita até o final de 2013.[10] Em 24 de abril 2013, o minarete da mesquita foi reduzida a escombros durante uma troca de tiros de armas pesadas entre as forças governamentais e rebeldes durante o curso da Guerra Civil Síria. A Agência de Notícias Árabe Síria (SANA) informou que os membros da Jabhat al-Nusra detonaram explosivos dentro do minarete, enquanto ativistas afirmaram que o minarete foi destruído pelo Exército Sírio.[2][11]

Arquitetura[editar | editar código-fonte]

A Grande Mesquita foi construída em torno de um vasto pátio que se conecta a áreas diferentes da mesquita. O pátio é famoso por seu pavimento de pedra preta e branca, que forma complexos padrões geométricos, e onde se encontram duas fontes.[6]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. George Mitchell, editor, Architecture of the Islamic World, Thames and Hudson, 1978, p. 231
  2. a b bbc.co.uk, ed. (24 de abril de 2013). «Syria clashes destroy ancient Aleppo minaret». Consultado em 24 de abril de 2013 
  3. The Great Mosque of Aleppo Muslim Heritage.
  4. a b c The Great Mosque (The Umayyad Mosque) Syria Gate.
  5. George Mitchell, editor, Architecture of the Islamic World, Thames and Hudson, 1978, p.231.
  6. a b c d e Great Mosque of Aleppo Archnet Digital Library.
  7. Tabaa, 1997, p.17.
  8. Tabaa, 1997, p.40.
  9. Grousset, Rene, The Empire of the Steppes: A History of Central Asia, (Rutgers University Press, 1991), 362.
  10. Karam, Zeina. «Historic Aleppo mosque damaged in fighting; repairs ordered». Associated Press 
  11. Saad, Hwaida; Gladstone, Rick (24 de abril de 2013). «Storied Syrian Mosque's Minaret Is Destroyed». New York Times. Consultado em 24 Abril 2013