Hélder Gonçalves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hélder Gonçalves
Hélder Gonçalves tocando com os Clã in Coimbra, 2015-12-31
Informação geral
Nome completo Hélder Alberto Maia da Silva Gonçalves
Nascimento 1970
Origem Porto
País  Portugal
Género(s) Rock, Jazz, Pop rock
Instrumento(s) Baixo eléctrico, Baixo piccolo

Hélder Alberto Maia da Silva Gonçalves (Luanda, 1970) mais conhecido por Hélder Gonçalves[1] (n. Luanda) é um músico, produtor e compositor português. Faz parte do grupo Clã.

Percurso[editar | editar código-fonte]

Na escola frequentou a área de Desporto e jogou voleibol federado no Desportivo da Póvoa, tendo recebido, a 26 de Junho de 2009, a Medalha de Mérito Social em Prata do Desportivo da Póvoa. Chegou a pensar ser professor de Educação Física mas o visionamento de um filme com os Rolling Stones motivou-o a ser artista.

Nasce em Luanda em 1970. Desde muito novo familiarizado com o mundo artístico (pai músico e artista plástico), começa a tocar baixo eléctrico aos 10 anos, como autodidacta, num “grupo de garagem" com o qual fez os primeiros concertos. Passados 4 anos, inicia já uma actividade semi-profissional, tocando com alguma regularidade. Paralelamente, ingressa no ensino clássico, tendo estudado, entre outras coisas, guitarra clássica. Com o crescer do interesse pelo Jazz, resolve matricular-se, em 1986, na Escola de Jazz do Porto, onde passou a leccionar pouco tempo depois.

Os anos seguintes foram de bastante trabalho com os mais variados projectos, essencialmente na área do jazz. Em 1992 integra o Sexteto de Mário Barreiros, no qual forma uma prestigiada reputação como contrabaixista.

Em Novembro de 1992 funda os CLÃ, um projecto por si idealizado, onde, para além de músico, é o principal compositor e arranjador. O grupo, já com vários álbuns de originais editados, bem como um álbum em parceria com Sérgio Godinho, um duplo álbum ao vivo e o DVD "Gordo Segredo", é conhecido pelas suas fortes prestações em palco.

Tocou durante algum tempo no Quarteto de Rui Azul. É possível ouvi-lo no tema "Freedom Jazz Dance", ao vivo no Festival de Jazz do Porto (1992) e participou também no disco "Saxofonemas" de Rui Azul (1995). Fez parte do coletivo The Fu-Jam [Dream Band] que aparece na compilação "República das Bananas" (1996).

Em 2000 foi co-produtor, com Nuno Rafael, do disco "Lupa" de Sérgio Godinho. Em 2001 produziu o álbum “Afinidades - Clã e Sérgio Godinho”

Compôs também para teatro, bem como uma banda sonora original para o clássico de Murnau “Nosferatu”, a convite da Porto 2001 (projecto interpretado ao vivo pelos Clã)

Participa no single "Um Pouco Mais de Azul" dos Moderados de Paranhos (2003). Faz parte dos Humanos(como arranjador, produtor e músico), que recriaram a música deixada por António Variações.

Volta a colaborar com Sérgio Godinho para quem escreve a música de "O Big One da Verdade".

O hino do FIMP-Festival de Marionetas do Porto, interpretado pela F.R.I.C.S., é da autoria de Hélder Gonçalves e do poeta Valter Hugo Mãe.

Em 2009 produz o álbum de estreia dos Virgem Suta. Escreveu também uma música para o teatro da Palmilha Dentada.

Em 2010 produz o segundo álbum de originais de Nuno Prata, Deve Haver. Foi ainda responsável pelos arranjos e direcção musical da peça “Amor Solúvel”, de Carlos Tê. Em 2011 faz o arranjo do tema "Mão na música" incluído no disco "Mútuo Consentimento" de Sérgio Godinho. Em 2012 produz o segundo álbum de originais dos Virgem Suta, "Doce Lar".

Em 2013 participa no espetáculo "Caríssimas Canções" de Sérgio Godinho editado também em CD. A propósito da Carta Branca do CCB a Manuela Azevedo colabora com ela e com Victor Hugo Pontes no espetáculo "COPPIA".

Dividiu a produção dos álbuns Rosa Carne e Cintura, dos Clã, com Mário Barreiros e produziu os seguintes álbuns da banda. Realizou alguns pequenos videos dos Clã e o teledisco de "Amuo" em conjunto com Victor Hugo Pontes.

Referências

  1. «Certidão de lista de associadas da Audiogest» (PDF). IGAC/Ministério da Cultura. 2007-07-25. Cópia arquivada desde o original (pdf) em 24 de Dezembro de 2013. Consultado em 15 de Janeiro de 2014