Hidekazu Masuda Goga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de H. Masuda Goga)
Ir para: navegação, pesquisa
H. Masuda Goga
Nome completo Hidekazu Masuda
Nascimento 8 de agosto 1911
Kagawa
Morte 28 de maio de 2008 (96 anos)
Nacionalidade  Japão
Cidadania  Brasil
Cônjuge Tonoko Masuda[1]
Ocupação Jornalista, escritor, pintor e poeta

H. Masuda Goga (増田 恆河, nome de batismo: Hidekazu Masuda 増田 秀一)[2] foi agricultor, comerciante, jornalista, escritor, pintor e poeta japonês, nascido em 1911, radicado no Brasil desde 1929. Seguidor do haicaísta Nempuku Sato, Goga foi um dos maiores divulgadores do haicai no Brasil, fundou dois Grêmios para o estudo e composição de haicais. Manteve contato com vários escritores, também escreveu para vários jornais e revista, tanto do Japão como no Brasil. Escreveu livros e foi tio da poetisa Teruko Oda. Recebeu em 2004, recebeu o "Masaoka Shiki International Haiku Grand Prize" pelo seu trabalho de difusão internacional do haicai. Faleceu em São Paulo no dia 28 de maio de 2008.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu na província de Kagawa, no Japão, em 8 de agosto 1911,[3] filho de Chyota Masuda e Mikie Masuda.[1] Imigrou para o Brasil em 1929. Em seus primeiros anos no Brasil, Goga trabalhou em atividades ligadas à agricultura até tornar-se comerciante em Pedregulho, cidade do interior paulista.[3]

Praticante do haicai em japonês e em português, foi também destacado estudioso do haicai e da sua aclimatação ao Brasil. Sendo seguidor de Nempuku Sato, que foi o mestre responsável pela divulgação do haicai entre os imigrantes japoneses no Brasil. Antes Goga escrevia a seu modo, mas ao conhecer Sato em 1935, foi que se dedicou bastante ao haicai.[4]

Goga mostrou ser um discípulo dedicado e colaborou juntamente com seu mestre na divulgação do haicai entre os imigrantes, especialmente depois da Segunda Guerra Mundial, quando se tornou jornalista na então florescente imprensa nipo-brasileira.[4]

Um dos criadores do Grêmio Haicai Ipê em maio de 1987, que desde sua fundação, o Grêmio tem sido uma referência para o estudo sobre o haicai em português no Brasil. Através do trabalho de seus membros, os conceitos do haicai tradicional japonês têm sido adaptados e divulgados pelo país. Também fundou o Grêmio Haicai Caleidoscópio, em agosto de 1993, dedicado à composição de haicais encadeados (renku).[4]

Começou a pesquisar o haicai no Brasil em 1936. Foi amigo de Guilherme de Almeida e de Jorge Fonseca Júnior. Em 1943, Masuda publicou seus primeiros haicais em língua portuguesa no "Anuário do Oeste", de Corumbá, editado por Jorge Fonseca Júnior.[3] No Japão, foi associado à revista "Yuki", de orientação tradicionalista.[4] Em 1948, mudou-se para São Paulo. Torna-se jornalista no diário nipo-brasileiro "Jornal Paulista", onde chegou a ser redator-chefe.[3] Na década de 1950, trabalhou também na Cooperativa Agrícola de Cotia. Naturalizou-se brasileiro em 1962. No ano seguinte, associou-se ao Grupo Seibi e foi administrador-chefe da Sociedade Beneficente da Cooperativa Agrícola de Cotia.[3]

Goga foi irmão da mãe da poetisa Teruko Oda, ou seja, seu tio. Oda em seu livro "Furusato No Uta: canção da terra natal", afirma que "deve a Goga todas as conquistas nos caminhos do haicai", e continua "seu paciente trabalho de orientação foi decisivo para a compreensão dos fundamentos teóricos. Por sua influência, adquiri o hábito da prática diária, essencial para o desenvolvimento da técnica e do "ofício" de poetar".[5]

Em 1988, publicou "O Haicai no Brasil", trabalho pioneiro sobre o haicai brasileiro, que já havia sido publicado no Japão na revista "Haiku Bungakukan Kiyô", em 1986,[6] a obra foi bem aceita pela crítica local.[7] Em 1990, publicou juntamente com Roberto Saito e Francisco Handa o livro "100 haicaístas brasileiros: antologia", pela Aliança Cultural Brasil-Japão.[8] Em 1989, escreveu artigos em japonês para o jornal nipo-brasileiro "Diário Nippak", atual Jornal do Nikkey, sobre o movimento haicaísta produzido em língua portuguesa, continuou com essa atividade até 1998.[9]

Publicou também a primeira antologia de haicai latino-americano de que se tem notícia com o título de "Antologia do Haicai Latino-americano",[9] em 1993.[10] Em 1996, junto com Teruko Oda, publicou o primeiro dicionário de "kigos" (termos de estação) brasileiros: "Natureza – Berço do haicai". Sendo que o livro é composto de três partes. A primeira é dedicada ao estudo e catalogação dos kigos A segunda é uma compilação de poemas produzidos no Brasil. A terceira, são de vários textos vários sobre o haicai encadeado e sobre os princípios do haicai praticado no Grêmio de Haicai Ipê.[11]

Em 1997, foi produzido pela TV japonesa NHK um programa especial intitulado "Shirarezaru haiku ôkoku Burajiru" que significa "Brasil, o reino do haicai que precisamos conhecer", sobre o haicai brasileiro, exibido em 28 de janeiro em 1997.[9] Em 1999, encerrou todas as suas atividades sociais e mudou-se para um sítio no interior de Minas Gerais para viver seus últimos anos de forma tranquila. Apesar dessa mudança na sua vida, isso não significou que parou de escrever haicais.[9]

Em 2004, recebeu o "Masaoka Shiki International Haiku Grand Prize" pelo seu trabalho de difusão internacional do haicai. Onde foi descrito como que Goga tem sido um "líder, incansavelmente se esforçando para edificar e para aumentar ainda mais a valorização do haicai".[12]

Faleceu em 28 de maio de 2008, sendo sepultado no Cemitério do Araçá, em São Paulo. Ele iria participar de uma exposição fotográfica no dia 5 de junho denominada "Haicai, um olhar fotográfico".[1]

Referências

  1. a b c O Estado de S. Paulo, "Goga Masuda", 30 de maio de 2008, p. 43
  2. 100º Aniversário do Nascimento de Masuda Goga, Nikkey Shimbun, 13 de agosto de 2011.
  3. a b c d e «Masuda Goga - biografia e os dez mandamentos do haikai - MeuArtigo Brasil Escola». brasilescola.com. Consultado em 6 de abril de 2014. Cópia arquivada em 24 de fevereiro de 2009 
  4. a b c d «H. Masuda Goga (1911-2008)» (PDF). LinguagemViva.com.br. Consultado em 6 de abril de 2014. Cópia arquivada (PDF) em 12 de setembro de 2013 
  5. ODA p. 38
  6. «O Haicai no Brasil». kakinet.com. Consultado em 6 de abril de 2014. Cópia arquivada em 7 de dezembro de 1998 
  7. ODA p. 39
  8. «100 haicaístas brasileiros: antologia - Roberto Saito, Hidekazu Masuda, Francisco Handa - Google Livros». Google Livros. Consultado em 6 de abril de 2014. Cópia arquivada em 6 de abril de 2014 
  9. a b c d «Caqui - H. Masuda Goga, mestre de haicai». kakinet.com. Consultado em 6 de abril de 2014. Cópia arquivada em 21 de fevereiro de 2012 
  10. «GOGA MASUDA fala sobre o Haicai». recantodasletras.com.br. Consultado em 6 de abril de 2014. Cópia arquivada em 6 de abril de 2014 
  11. «Caqui: Natureza - Berço do Haicai». kakinet.com. Consultado em 6 de abril de 2014. Cópia arquivada em 19 de junho de 2009 
  12. «The Masaoka Shiki International Haiku Prize» (PDF). recantodasletras.com.br. Consultado em 6 de abril de 2014. Cópia arquivada em 6 de abril de 2014 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ODA, Teruko (2014). Furusato No Uta: canção da terra natal. [S.l.]: Escrituras Editora e Distribuirdora de Livros Ltda. ISBN 8575313673, 9788575313671 Verifique |isbn= (ajuda) 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]