Horto Botânico de Niterói

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Horto Botânico de Niterói
Jatobá
Localização Niterói, Brasil Brasil
Inauguração 16 de maio de 1906

Horto Botânico de Niterói, conhecido também como Jardim Botânico de Niterói ou Horto do Fonseca fica situado na Alameda São Boaventura, no bairro do Fonseca e foi construído em 16 de maio de 1906, por decreto do então governador Nilo Peçanha. Com mais de cem anos de fundação, o Horto conta com diversas espécies de plantas e árvores como jatobás, jequitibás, jacarandás e sapucaias e também com espécies raras como o pau-mulato. Até o ano de 2010 funcionava também um zoológico no local.[1]

História[editar | editar código-fonte]

As terras do atual Horto Botânico de Niterói faziam parte inicialmente da sesmaria concedida ao índio Araribóia datada em 1568. Posteriormente, passados aproximadamente cem anos, foram vendidas pelos jesuítas a particulares. Seu tamanho chegou a ser medido em 1891, alcançando uma área total de 387 mil metros quadrados. Tornou-se em 1905, patrimônio estadual por decisão judicial a partir da iniciativa do então Governador do Estado Nilo Peçanha.

Por decreto datado em 16 de maio de 1906, o Governador Nilo Peçanha estabeleceu a criação do Horto Botânico de Niterói a fim de cultivar e distribuir a fazendeiros e lavradores sementes e mudas de frutas, plantas têxteis e medicinais e ainda deu início a construção das grades, cercas laterais e administração do local. Sua inauguração ocorreu em 20 de outubro do mesmo ano, onde plantou-se o primeiro coqueiro da Bahia. Já neste momento eram plantados também nas encostas laranjas, abacate, cana e plantas para industria têxtil e alimentos de animais. Em 1912, foi iniciado no Horto Botânico de Niterói o cultivo de uvas, chegando-se a projetar um sofisticado pavilhão para exposições agrícolas.

Influência na Primeira Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Forçado pela Primeira Guerra Mundial, em 1914, o Governo Estadual realizou alto investimento num programa de expansão industrial, grande parte voltada para produção de tecidos e doces, tendo o Horto, uma participação significativa na recuperação da economia. Logo após, a primeira iniciativa foi juntar ao horto as estufas de plantas ornamentais, em seguida realizar a construção dos tanques de germinação, criar pomares e organizar um departamento de plantas fibrosas, canalizando e retificando o riacho da Água Azul e renovando o plantio têxtil. Assim, o Horto Botânico de Niterói foi reinaugurado em 13 de maio de 1916, na presença do então presidente da República, Venceslau Brás.

Estoque e distribuição de mudas[editar | editar código-fonte]

Nesta mesma época, o Horto contava com um estoque de mais de um milhão de plantas de diversas espécies, para distribuição gratuita aos lavradores. Em junho de 1916, adquiriu caroços de abio, cajá-manga e sapoti e até o fim de agosto já haviam sido repassados 400 mil mudas de plantas e 56 mil mudas de palmeiras e árvores próprias para extração de madeira. Por fim, em 1917 foi inaugurado o jardim frontal.

O Horto já chegou a fornecer cerca de um milhão de mudas por ano, em 1927, além de iniciar novos cultivos de trigo, algodão, mamona, frutas e fumo. Alguns de seus cultivos, serviram para o inicio das experiências na aplicação do álcool como combustível em motores e máquinas agrícolas, iniciativa que a Sociedade Cooperativa de Álcool Motor de Pernambuco tentava implementar no país, mas enfrentava diversas dificuldades pelo fato da grande utilização da gasolina.

Revolução de 1930[editar | editar código-fonte]

Depois da Revolução de 1930, o Horto chegou a tornar-se por um período, quartel e hospedaria de tropas mineiras que haviam lutado no Norte fluminense. Com a criação da Secretária de Agricultura, em 1931, o palácio da Escola de Agronomia tornou-se a sede administrativa deste órgão.

Jardim Zoológico[editar | editar código-fonte]

Após sua terceira reabertura, no ano de 1937, ocorreu a implementação de uma fábrica de bissulfeto para combater a saúva, oficina de carpintaria e um novo viveiro. Em seguida, o então Governador do Estado Amaral Peixoto, realizou uma nova reforma no Horto em 1938, construindo em 1942, o Jardim Zoológico, inaugura em novembro desse mesmo ano em forma de comemoração ao quinto aniversário de seu governo. Entrando em nova reforma pouco tempo depois o Horto e o Jardim Zoológico, foi inaugurado em 1957, o Museu de Caça e Pesca. Em julho de 2010, o Zoológico foi fechado pelo Ibama alegando que o ZooNit funcionava sem registro e os animais viviam em condições inadequadas. Os animais estavam maltratados e então resolveram fechar a área.[2]

Atualmente[editar | editar código-fonte]

Um dos espaços do Horto Botânico de Niterói

A Prefeitura de Niterói realizou diversas obras de revitalização no Horto Botânico de Niterói orçamentado em aproximadamente 7 milhões de reais em uma parceria com o Governo Estadual.[1] Foi construído no local do Jardim Zoológico, uma área de lazer que conta com aproximadamente 8 mil metros quadrados, divididos entre pistas de patins e caminhada, playground, local de convivência, quiosques, banheiros, bicicletários, coreto reformado, duas academias, rotas de acessibilidade para portadores de deficiência e conta também com um belo lago na parte da frente. Os visitantes podem praticar atividades físicas ou brincar com skate.

Referências

  1. a b Prefeitura inaugura obras de revitalização do Horto do Fonseca no próximo sábado Prefeitura Municipal de Niterói.
  2. Descaso Ambiental A Tribuna. (Fevereiro, 2013).