Internet Explorer for Mac

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou secção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde novembro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Internet Explorer for Mac
Plataforma PPC
Lançamento 23 de abril de 1996 (17 anos)
Versão estável 5.2.3 (16 de junho de 2003; há 565 semanas e 2 dias)
Idioma(s) Inglês
Sistema operativo Mac OS
Gênero(s) Navegador web
Licença MS-EULA
Estado do desenvolvimento Descontinuado
Página oficial Microsoft Internet Explorer 5 for Mac (em inglês) , acessado pela última vez há 450 semanas

Intenet Explorer for Mac (em tradução livre Internet Explorer para Mac), também conhecido como Internet Explorer for Macintosh, Internet Explorer Macintosh Edition, Internet Explorer:mac ou IE:mac é um navegador web proprietário desenvolvido pela Microsoft para a plataforma Macintosh. As versões inciais foram desenvolvidas a partir do código-fonte do Internet Explorer para Windows. As versões seguintes foram divergentes à versão para Windows, sendo que na versão 5 foi incluído o motor de layout Tasman.

Como resultado do acordo de cinco anos entre a Apple e a Microsoft, em 1997 foi incluído como o navegador padrãono Mac OS e Mac OS X a partir de 1998, quando foi substituído em 2003 pelo navegador Safari, da Apple.

Em 16 de junho de 2003, a Microsoft anunciou que o desenvolvimento do Internet Explorer for Mac seria encerrado, quando foi lançada sua última atualização em 11 de junho de 2003. O navegador não foi incluído na instalação padrão do Mac OS X v10.4 "Tiger" que foi lançada em 29 de abril de 2005. A Microsoft ofereceu suporte para o produto até 31 de dezembro de 2005 e removeu o aplicativo do site de downloads para Macintosh em 31 de janeiro de 2006, e recomendou que "que os usuários migrem para tecnologias web mais recentes de navegação como o Safari, da Apple."[1]

Referências