Isoproterenol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Isoprenalina)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Estrutura química de Isoproterenol
Isoproterenol
Star of life caution.svg Aviso médico
Nome IUPAC (sistemática)
(RS)-4-[1-hydroxy-2-(isopropylamino)ethyl]benzene-1,2-diol
Identificadores
CAS 7683-59-2
ATC C01CA02 R03AB02
PubChem 3779
DrugBank APRD00182
Informação química
Fórmula molecular C11H17NO3 
Massa molar 211.258 g/mol
Farmacocinética
Biodisponibilidade ?
Metabolismo ?
Meia-vida ?
Excreção ?
Considerações terapêuticas
Administração inalado 80-120μg
DL50 ?

O isoproterenol ou isoprenalina é um medicamento simpaticomimético que atua ao nível dos receptores beta adrenérgicos. Na medicina também é usado para o tratamento da asma, relaxando as vias aéreas e permitindo um fluxo maior de ar. É usado também contra a bronquite e o enfisema.

Usos clínicos[editar | editar código-fonte]

A isoprenalina é usado clinicamente como um aerossol inalado para a terapia da asma. Ainda que é ativador dos receptores adrenérgicos, sua ação se assemelha ao dos medicamentos que tendem a ser agonistas mais seletivos dos receptores β2-adrenérgicos, devido a sua capacidade de causar relaxamento das vias aéreas superiores.

É usado também em ampolas e na forma de pílulas sublingual para o tratamento da asma, bronquite crônica e enfisema.

Usado com precauções médicas, pode ser usado para o tratamento de arritmias do tipo torsades de pointes e, por geral, quando o transtorno não responde ao magnésio.[1]

Farmacologia[editar | editar código-fonte]

O seu uso primário é nos bloqueios cardíacos ou nas bradicardias. Activando os receptores B-1 cardíacos, tem efeitos cronotrópico, inotrópico e dromotrópico postivos.

O isoproterenol é um agonista dos receptores β1 e β2, usado para a asma antes do uso global do salbutamol, o qual tem efeitos mais seletivos sobre as vias aéreas. Sua via de administração pode ser intravenoso, oral, intranasal, subcutâneo ou intramuscular, dependendo de seu uso. Sua meia-vida no plasma sanguíneo é de aproximadamente 2 horas.

O efeito do isoproterenol sobre o sistema cardiovascular se relaciona com sua ação sobre os receptores β1 e β2 do músculo liso das arteríolas produzindo vasodilatação. O isoproterenol possui um efeito inotrópico e cronotrópico positivo sobre o coração, elevando a pressão arterial sistólica, enquanto que seus efeitos vasodilatadores, tendem a produzir uma pressão arterial diastólica baixa.

Efeitos colaterais[editar | editar código-fonte]

Os efeitos colaterais do isoproterenol se relaciona com seus efeitos cardiovasculares, pode produzir um aumento da frequência cardíaca (taquicardia) o que predispõe o indivíduo a transtornos do ritmo cardíaco. Portanto o isoproterenol deve ser evitado por pacientes cardiopatas isquêmicos.

Efeitos adversos[editar | editar código-fonte]

Os efeitos adversos incluem nervosismo, insonia, agitação e dores de cabeça.[2]

Referências

  1. Lanzotti; Norberto Citta (2003). «Síndrome de QT Largo Adquirido. "Torsade de Pointes"» (pdf) (em español). Federación Argentina de Cardiología. Consultado em 28 de abril, 2008  Parâmetro desconhecido |mouth= ignorado (ajuda); Parâmetro desconhecido |primero= ignorado (|primeiro=) sugerido (ajuda); Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  2. «Mesotherapy with Isoproterenol». Medical-Weight-Loss-Guide.com. 2008. Consultado em 25 de junho de 2008 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre fármacos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.