J. van Rijckenborgh

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Jan van Rijckenborgh (1896-1968)

J. van Rijckenborgh (pseudônimo de Jan Leene) nasceu em 16 de outubro de 1896 em Haarlem, Holanda, tendo entrado para a Fraternidade Rosacruz (Het Rozekruisers Genootschap), divisão holandesa da Rosicrucian Fellowship (movimento fundado por Max Heindel por volta de 1909), em 1924. Este grupo rosacruz se tornaria independente da Rosicrucian Fellowship em 1935.

J. van Rijckenborgh é fundador e líder espiritual (grão-mestre) do Lectorium Rosicrucianum ou Escola Espiritual da Rosacruz Áurea.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o trabalho foi proibido pelas forças de ocupação nazista. Com o final da guerra em 1945, o trabalho exterior foi retomado e passou a adotar o nome Lectorium Rosicrucianum, ou Escola Internacional da Rosacruz Áurea, apresentando-se cada vez mais como uma escola gnóstica, "Gnosis" significando aqui o conhecimento direto de Deus, resultado de um caminho de desenvolvimento espiritual.

Dos anos 1930 aos anos 1960, Rijckenborgh publicou extensos comentários do Corpus Hermeticum (atribuído a Hermes Trismegisto), do Evangelho Gnóstico da Pistis Sophia, dos Manifestos Rosacruzes (Fama Fraternitatis, Confessio Fraternitatis e Núpcias Alquímicas de Christian Rozenkreuz), do livro Cristianópolis (de Johann Valentin Andreae), do Tao Te King e vários outros, além de diversas outras obras.

Zwier Willem Leene foi co-fundador do movimento, tendo se unido aos dois em 1930 a Sra. Catharose de Petri (pseudônimo de H. Stok-Huyser).

J. van Rijckenborgh viria a falecer em 1968, quando as atividades do Lectorium Rosicrucianum já haviam se espalhado por vários países da Europa e da América.

Livros publicados em português[editar | editar código-fonte]

  • O Chamado da Fraternidade da Rosacruz (análise esotérica da Fama Fraternitatis R.C. , um manifesto dos rosacruzes do século XVII, publicado em 1614)
  • A Confissão da Fraternidade da Rosacruz (análise esotérica da Confessio Fraternitatis R.C. , um manifesto dos rosacruzes do século XVII, publicado em 1615)
  • As núpcias alquímicas de Christian Rosenkreuz (Obra em dois tomos - análise esotérica do texto rosacruz publicado em 1616)
  • Christianopolis (comentários sobre a obra de Johann Valentin Andreae)
  • A arquignosis egípcia (Obra em quatro tomos - baseada na Tabula Smaragdina e no Corpus Hermeticum de Hermes Trismegisto)
  • Os mistérios gnósticos da Pistis Sophia (Comentários do Livro I da Pistis Sophia)
  • A Gnosis em sua atual manifestação
  • A Luz do mundo
  • O mistério iniciático cristão - Dei gloria intacta
  • Desmascaramento
  • Filosofia elementar da Rosacruz moderna
  • Não há espaço vazio
  • O advento do novo homem
  • O mistério das bem-aventuranças
  • O novo sinal
  • O Nuctemeron de Apolônio de Tiana
  • Um novo chamado
  • O remédio universal

Com Catharose de Petri[editar | editar código-fonte]

  • A Gnosis Chinesa (comentários sobre os 33 primeiros aforismos do Tao Te King)
  • A Fraternidade de Shamballa
  • O caminho universal
  • A Gnosis universal
  • A grande revolução
  • Reveille!

Ligações externas[editar | editar código-fonte]