Jean-Luc Marion

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Jean-Luc Marion
Nascimento 3 de julho de 1946 (72 anos)
Meudon
Cidadania França
Alma mater Lycée Condorcet, Escola Normal Superior de Paris, Universidade de Paris-Sorbonne
Ocupação filósofo, teólogo, professeur des universités
Prêmios Cavaleiro Comandante da Ordem de São Gregório Magno, Cavaleiro da Legião de Honra, Oficial da Ordem das Palmas Acadêmicas
Empregador Universidade de Poitiers, Universidade de Paris, Universidade de Chicago
Movimento estético fenomenologia
Religião Igreja Católica

Jean-Luc Marion (Meudon, 1946) é um filósofo francês nascido em 3 de julho de 1946 em Meudon. Seu pensamento está na posteridade de Edmund Husserl e Martin Heidegger, a quem foi introduzido por seus professores Jean Beaufret e Jacques Derrida. Contudo, também é influenciado pelo historiador da filosofia Ferdinand Alquié assim como pelo teólogo Hans. Urs von Balthasar. Seu trabalho, que se insere na corrente da fenomenologia francesa, ao lado de nomes como Paul Ricœur, Emmanuel Levinas e Michel Henry, é um exemplo do que Dominique Janicaud chamou de "virada teológica".

Suas obras são traduzidas em vários idiomas. Ele é um membro da Academia Francesa.

Segundo seu aluno do Instituto Católico de Paris, Emmanuel Falque, seu livro mais importante é Ensaio de uma fenomenologia do presente publicado em 1997, que ele compara "se não a uma nova Crítica da razão pura, pelo menos a uma crítica da razão pura invertida".[1]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências

  1. Cf. Emmanuel Falque, « Phénoménologie de l'extraordinaire », numéro spécial de la revue Philosophie, Predefinição:Numéro78, 2003, Éditions de Minuit, p. 52.