João Leiva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

João Oswaldo Leiva (São Paulo, 1935 – São Paulo, 18 de junho de 2000) foi um engenheiro e político brasileiro.

Foi secretário de Obras e Meio Ambiente no governo de Franco Montoro e de Energia e Saneamento no governo de Orestes Quércia.

Notabilizou-se quando se candidatou à prefeitura de São Paulo pelo PMDB em 1988. Apesar de ter contado com o apoio do governador Quércia e do prefeito Jânio Quadros, conquistou apenas a terceira colocação com 14,45% dos votos, atrás de Luiza Erundina (a vencedora do pleito) e Paulo Maluf.

Em sua campanha, frisou sempre sua condição de Técnico e Engenheiro conhecedor dos problemas da cidade. Percorreu bairros afastados e carentes, propondo melhorias em infraestrutura.

Tinha como símbolo de campanha uma colher de pedreiro, com o jingle "João Leiva, mãos à obra", sempre enfatizando uma administração técnica e tocadora de obras.

Teve ainda, apoio de Gugu Liberato, e do governador à época, Orestes Quércia.

Mesmo com tal estrutura, como já citado, ficou apenas em terceiro lugar, não conseguindo fazer frente ao poderoso Paulo Maluf e a surpresa Luiza Erundina.

Postulou novamente o cargo em 1996, porém uma decisão judicial concedeu a candidatura a José Aristodemo Pinotti, que mais tarde passou a direcionar o diretório municipal do PMDB.

Em abril de 2000 coordenou uma manifestação a favor do impeachment do então prefeito de São Paulo, Celso Pitta. Em maio do mesmo ano foi internado no Hospital Santa Catarina e em agosto morreu aos 65 anos de idade devido à uma infecção proveniente de um tratamento para combater um câncer no estômago, deixando esposa e três filhos.