João de Bicci de Médici

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja João de Médici.
João de Médici
João de Médici, fundador do banco dos Médici.
Consorte Piccarda Bueri
Casa Médici
Nome completo
Giovanni di Bicci de' Medici
Nascimento 1360
  Flag of Florence.svg República de Florença
Morte 20 de fevereiro de 1360 (-69 anos)
  Villa Medicea di Careggi, Florença
Ocupação Banqueiro, político
Filho(s) Cosme de Médici
Lourenço de Médici
Damiano de Médici
Pai Averardo de Médici
Mãe Jacopa Spini
Religião Católico romano

João de Bicci de Médici (em italiano: Giovanni di Bicci de' Medici; Florença, 1360Florença, 20/28 de fevereiro de 1429) apelidado de o Banqueiro, foi o fundador da poderosa família Médici, que viria a influenciar a política e diplomacia do Renascimento italiano. Era filho de Averardo dito "Bicci" de' Medici, de quem existem poucas referências e que não era, seguramente, abastado.

Por ter se tornado um dos banqueiros mais ricos de Itália, Giovanni di Bicci alcançou o poder político, como membro da Signoria (em 1402, 1408 e 1411)e como Gonfaloniere em 1421. Por ter feito a própria fortuna, Giovanni não pertencia à oligarquia das velhas famílias florentinas e tinha simpatia pelo Minuto Popolo, os trabalhadores, sendo muito popular entre eles.

Biografia[editar | editar código-fonte]

João de Bicci de Médici nasceu em Florença, filho de Averardo de Médici e de Jacopa Spini. Apesar de ser considerado o fundador da próspera dinastia Médici, ele não nasceu numa família abastada. O pouco dinheiro da herança do seu pai foi dividido entre uma viúva e cinco filhos, tendo sobrado pouco para João.

João não se interessava muito por política, exceto em assuntos relacionados com a sua família ou com o banco. O seu nome foi indicado por várias vezes para participar no governo de Florença, mas normalmente ele preferia pagar a multa em vez de servir. No entanto, ele serviu como Priore na Signoria em 1402, 1408 e 1411 e como Gonfaloneiro durante dois meses em 1421.

João era proprietário de duas fábricas de lã em Florença e membro de dois grémios: o Arte della Lana e o Arte del Cambio. O banco da família Médici, o seu principal interesse financeiro, foi fundado em 1397. O banco expandiu-se para cidades-estado do norte de Itália e tornou-se numa empresa multinacional. Em 1414, João previu que o papado regressaria a Roma após um longo período de exílio e cisma, e tinha razão. O papado instalou-se de forma permanente em Roma em 1417, sob a alçada de um único papa após as deliberações do Concílio de Constança. Como recompensa pelo apoio de João, o Papa Martinho V conferiu-lhe o controlo da Câmara Apostólica. Os papas que o sucederam também recorreram aos serviços dos bancos dos Médici e, além disso, João conseguiu assegurar contratos de tributação agrícola e os direitos de várias minas de alumínio do papado. Ele trilhou o caminho para que a sua família se tornasse numa das dinastias mais ricas da Europa, o que, por sua vez, abriu o caminho para que mais tarde ela se tornasse uma proeminente influência cultural e política.

Quando morreu, João era um dos homens mais ricos de Florença. Em 1420, João tinha concedido a maioria do controlo do banco aos seus dois filhos, Cosme e Lourenço. João foi enterrado na antiga sacristia da Basílica de São Lourenço, Florença, e a sua mulher foi enterrada no mesmo local quatro anos mais tarde.

Descendência[editar | editar código-fonte]

Teve quatro filhos, do seu casamento com Riccarda de' Bueri (1368-1432):

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.