Jooji Hato

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde setembro de 2018). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Jooji Hato
Deputado Estadual de São Paulo
Período 15 de março de 2011
a 28 de janeiro de 2019
2 mandatos consecutivos
Vereador de São Paulo
Período 1982 a 2010
7 mandatos consecutivos
Dados pessoais
Nascimento 26 de fevereiro de 1948
São Paulo, SP
Morte 28 de janeiro de 2019 (70 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileiro
Partido MDB

Jooji Hato (São Paulo, 26 de fevereiro de 1948São Paulo, 28 de janeiro de 2019) foi um político brasileiro, filiado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Eleito por sete vezes seguidas vereador de São Paulo entre 1982 e 2010, quando se elegeu deputado estadual, para a 17ª legislatura (2011-2015)[1], função pela qual exerce seu segundo mandato. Em 2018, disputou a reeleição para o mesmo cargo, mas não foi reeleito.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Jooji Hato era filho de Kaoru e Tieko, casal de imigrantes japoneses que chegou ao Brasil e se estabeleceu no interior do estado, trabalhando em atividades agrícolas para que os filhos estudassem. Natural de Pacaembu, região da Alta Paulista, interior de São Paulo, Jooji aprendeu cedo o valor do trabalho, tanto no roçado de amendoim quanto, posteriormente, numa padaria montada pelos pais. Em 1968, foi para a capital estudar Medicina na faculdade da Santa Casa de Misericórdia, onde se formou em 1976 e passou a atuar como cirurgião geral e pediátrico.

Na década de 1970, conheceu a esposa, Marlene, com quem se casou em 1978. O casal tem os filhos Andressa, George e Alex. Todos são médicos e George Hato é vereador por São Paulo.

Projetos[editar | editar código-fonte]

Jooji atuou em projetos na área de saúde, segurança e defesa dos animais. Foi o autor da lei que proibiu o funcionamento, após 1 da madrugada, dos bares que não têm isolamento acústico. Conhecida como Lei Seca[3] ou Lei do Silêncio, ela atingiu seus dois objetivos: reduzir o número de homicídios e garantir o sossego.

Também como vereador, foi presidente da CPI dos Postos de Combustíveis, que descobriu contaminações por vazamento de produtos químicos da Shell na Vila Carioca[4].

Como deputado, trabalhou pela aprovação da Lei dos Desmanches, que beneficiou os estabelecimentos regulares, que respeitam normas ambientais, e permitiu a extinção daqueles que atuam irregularmente, muitos com autopeças roubadas e furtadas. Resultado: diminuíram os roubos e furtos de veículos.

É autor de lei que obriga a instalação de câmeras em áreas com alta incidência criminal e de projeto que estipula a medida para escolas. E coordena a Frente Parlamentar de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas.

Tem trabalho em favor dos animais domésticos. Um de seus projetos prevê o Disque-Denúncia de Maus Tratos aos Animais.

Jooji foi um dos principais articuladores da devolução do Hospital Santa Cruz[5] à Comunidade Nipo-Brasileira, que teve este patrimônio confiscado durante a Segunda Guerra.

Morte[editar | editar código-fonte]

Jooji morreu em 28 de janeiro de 2019 aos 70 anos, vitima de parada cardiorrespiratória.[6]

Referências

  1. «Resultado das eleições de 2010». Consultado em 24 de dezembro de 2016. Arquivado do original em 8 de julho de 2014 
  2. Guilherme, Paulo (8 de outubro de 2018). «Saiba como eram e como ficaram as bancadas na Assembleia Legislativa de SP, partido a partido». G1. Consultado em 9 de novembro de 2018 
  3. «Folha de S.Paulo - Lei seca: Justiça proíbe bar aberto depois da 1 h - 10/07/2000». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 12 de setembro de 2018 
  4. «Petrobrás também contaminou a Vila Carioca - Ciência - Estadão». Estadão 
  5. «Hospital Santa Cruz - Hospital Santa Cruz recebe Homenagem da Assembleia Legislativa de São Paulo». www.hospitalsantacruz.com.br. Consultado em 12 de setembro de 2018 
  6. «Deputado estadual Jooji Hato morre em SP». G1. Consultado em 29 de janeiro de 2019