Juan Nepomuceno Almonte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Juan Nepomuceno Almonte
Nascimento 15 de maio de 1803
Michoacán
Morte 21 de março de 1869 (65 anos)
Paris
Sepultamento cemitério do Père-Lachaise
Cidadania México
Progenitores Pai:José María Morelos
Ocupação soldado, diplomata, ministro, político
Religião Igreja Católica
Assinatura
Firma de Juan Nepomuceno Almonte.png

Juan Nepomuceno Almonte (Michoacán, 15 de Maio de 1803Paris, 21 de Março de 1869), foi um militar, político e diplomata mexicano, veterano da Batalha de El Álamo e partidário do imperador Maximiliano I

Biografia[editar | editar código-fonte]

Origens[editar | editar código-fonte]

Filho do sacerdote revolucionário José María Morelos y Pavón e de Brígida Almonte. Não há certezas quanto ao seu lugar de nascimento; entre as possíveis localidades apontadas encontram-se Parácuaro, Nocupétaro ou Carácuaro, todas situadas no actual estado de Michoacán. Acompanhou seu pai em alguns combates da guerra da independência e em 1815 foi enviado a Nova Orleães, nos Estados Unidos, onde pouco tempo depois recebe a notícia da execução de seu pai em 22 de Dezembro. Ali recebe formação, aprende inglês e trabalha como funcionário comercial. Regressa ao México após o consumar da independência em 1821.

Carreira diplomática e militar[editar | editar código-fonte]

Entre 1822 e 1824, Almonte faz parte do quadro de ajudantes do líder rebelde do Texas José Félix Trespalacios, até ser enviado a Londres acompanhando o embaixador José Mariano Michelena. As negociações com os britânicos resultam num acordo comercial e de amizade que conduzem ao primeiro tratado internacional da história do México.

Rebelião do Texas[editar | editar código-fonte]

Almonte seria um dos oficiais que auxiliou Antonio López de Santa Anna durante a Revolução do Texas. Participou na batalha de El Álamo, sendo um dos oficiais que apelaram ao perdão dos sete defensores capturados com vida. Participou ainda na batalha de San Jacinto e na guerra mexicano-americana.

Vida como político[editar | editar código-fonte]

Foi um dos encarregados de procurar um soberano europeu para a coroa do México, formando parte da Junta Superior de Gobierno entre 18 de Junho e 13 de Julho de 1863 (conhecida como a Junta dos Notáveis). A Junta ofereceu a coroa do Segundo Império Mexicano a Maximiliano de Habsburgo em 1864, no castelo de Miramare, próximo de Trieste, na então província austríaca da Ístria (na actual Itália).

Ocupou a Regência do Império entre 11 de Julho de 1863 e 10 de Abril de 1864, e desde esta última data e até 28 de Maio foi nomeado Lugartenente do Império com a missão de receber Maximiliano I e Carlota em Veracruz.

Foi marechal da corte e cavaleiro da Ordem da Águia Asteca. Em 1867 é enviado à Europa em busca de apoios para o Segundo Império Mexicano. Faleceu em Paris em 1869.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Félix María Zuloaga
Chefe Supremo da Nação Mexicana
21 de Abril de 1862 - 12 de Janeiro de 1863
Sucedido por
Teodosio Lares
Precedido por
Teodosio Lares
Supremo Poder Executivo da Nação com Juan Bautista de Ormachea, José Mariano de Salas e Pelagio Antonio de Labastida
25 de Junho de 1863 - 11 de Julho de 1864
Sucedido por
Regência do Império Mexicano
Precedido por
Supremo Poder Executivo da Nação
Regência do Império Mexicano com Juan Bautista de Ormachea, José Mariano de Salas e Pelagio Antonio de Labastida
11 de Julho de 1863 - 10 de abril de 1864
Sucedido por
Maximiliano I