Khata

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Khatas azuis amarrados a uma estela de pedra no Monastério de Manjusri, na Mongólia.

Khata ou khatag[1](em tibetano: ཁ་བཏགས་; em butanês: དར་, Dhar, mongol: ᠬᠠᠳᠠᠭ / em mongol: хадаг / AFI: [χɑtɑk], khadag ou hatag, em nepali: खतक khada, em chinês 哈達/哈达; pinyin: hādá/hǎdá[2][3][4]) é um cachecol de uso cerimonial no tengriismo[5] e no budismo tibetano. Originou-se na cultura tibetana e é comum em culturas ou em países onde o budismo tibetano é praticado ou exerce influência.

O khata simboliza pureza e compaixão e é usado ou apresentado com incenso em muitas ocasiões cerimoniais: dentre elas nascimentos, casamentos, funerais, graduações e a chegada ou a partida de convidados. São geralmente feitos de seda. Normalmente, os khatas tibetanos são brancos, simbolizando o coração puro de quem oferece,[6][7] embora seja comum encontrar khatas na cor amarelo-ouro. Os khatas tibetanos, nepalis e butaneses contêm o ashtamangala. Também há khatas multicoloridos especiais. Os khatas mongóis geralmente são azusi, simbolizando o céu azul. Na Mongólia, khatas normalmente são amarrados a ovoos, estupas ou árvores e rochas especiais.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Das, Sarat Chandra. Rockhill., ed. Journey to Lhasa and Central Tibet. [S.l.: s.n.] OCLC 557688339 
  2. Xiandai hanyu cidian (modern chinese dictionary) / Zhongguo she hui ke xue yuan, Yu yan yan jiu suo, Ci dian bian ji shi. [S.l.: s.n.] 1 de setembro de 2016. ISBN 978-7-100-12450-8 
  3. 现代汉语规范词典. [S.l.: s.n.] Maio de 2014. ISBN 978-7-513-54562-4 
  4. http://dict.revised.moe.edu.tw/cgi-bin/cbdic/gsweb.cgi?o=dcbdic&searchid=Z00000079118
  5. «The Eternal Blue Sky» (PDF) 
  6. «Khata/Tibet "roof of the world"» 
  7. «Ethnic Culture Thrives After Sichuan Quake»