Evolved Laser Interferometer Space Antenna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Física.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde junho de 2015.

A Evolved Laser Interferometer Space Antenna ou Antena Espacial de Interferômetro a Laser, ou ainda como é conhecida pela abreviação de cada uma de suas primeiras letras, eLISA[1] , é um sistema de três satélites da Agência Espacial Europeia com previsão de lançamento em 2034[2] [3] .

Projeto[editar | editar código-fonte]

O projeto inicialmente contava com a colaboração das agências espaciais européia e a NASA, no entanto, em 8 de abril de 2011, a NASA anunciou que seria incapaz de continuar sua parceria LISA com a Agência Espacial Europeia[4] . O projeto visa através do posicionamento dos satélites em pontos em volta do sol, que estes satélites irão enviar uns aos outros raios laser, de forma que estabeleçam o traçado de um triângulo equilátero, ou seja, os ângulos intercessão serão de 60 graus em todos os três lados. Estima-se que o tamanho do triângulo que será formado seja de aproximadamente cinco milhões de quilômetros[5] .

Objetivo[editar | editar código-fonte]

O sistema LISA será capaz detectar ondas de choque gravitacionais emitidas menos de um trilhonesimo de segundo após o Big Bang. Toda onda gravitacional que atingir o LISA afetará os lasers, e essa distorção mínima será captada pelos instrumentos, registrando a colisão de dois buracos negros, ou o próprio Big Bang após o choque. Segundo os cientistas e engenheiros envolvidos, o sistema será tão sensível que poderá medir distorções de apenas um décimo do diâmetro de um átomo. Isto posto, será a humanidade capaz, através deste, de testar várias hipóteses propostas para o universo anterior a Grande Explosão (ou Big Bang, como o termo é conhecido em inglês), inclusive a teoria das cordas[6] .

LISA Pathfinder[editar | editar código-fonte]

LISA Pathfinder (LPF) é constituído por uma única nave espacial com um dos braços do interferômetro LISA/Elisa reduzido para cerca de 38 cm, de modo que ele se encaixe dentro de uma única nave espacial. LPF será lançado em dezembro de 2015[7] e vai experimentar as tecnologias-chave de LISA/eLISA no espaço[8] [9] .

Referências

  1. «eLISA, The First Gravitational Wave Observatory in Space». eLISA Consortium. Consultado em 12 November 2013. 
  2. «Selected: The gravitational universe; ESA decides on next large mission concepts». eLISA Consortium. Consultado em 29 November 2013. 
  3. «ESA's new vision to study the invisible universe». ESA. Consultado em 29 November 2013. 
  4. «LISA on the NASA website». NASA. Consultado em 12 November 2013. 
  5. «eLISA, The First Gravitational Wave Observatory in Space». eLISA Consortium. Consultado em 12 November 2013. 
  6. A New Astronomy - The Gravitational Universe publicado pelo "Max Planck Institute for Gravitational Physics"
  7. LISA Pathfinder tests spacetime sensor por Daniel Clery publicado em "American Association for the Advancement of Science" (2015)
  8. «eLISA: Lisa Pathfinder». eLISA Consortium. Consultado em 12 November 2013. 
  9. «ESA: Lisa Pathfinder overview». European Space Agency. Consultado em 12 November 2013.