Lee Byung-chul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Lee Byung-chull)
Ir para: navegação, pesquisa
Lee Byung-chul
Nascimento 12 de fevereiro de 1910
Uiryeong, Gyeongsangnam-do
Flag of Korea (1882-1910).svg Império Coreano
Morte 19 de novembro de 1987 (77 anos)
Seul, Sudogwon
 Coreia do Sul
Nacionalidade Coreano
Ocupação Fundador da Samsung
Lee Byung-chul
Nome em coreano
Hangul 이병철
Hanja 李秉喆
Romanização revisada I Byeong-cheol
McCune-Reischauer Yi Pyŏngch'ŏl

Lee Byung-chul (em coreano: 이병철;李秉喆, Uiryeong, 12 de fevereiro de 1910Seul, 19 de novembro de 1987) foi um empresário sul-coreano, fundador do grupo Samsung.[1] Com a quebra do conglomerado Hyundai, a Samsung se tornou o maior grupo de negócios da Coreia do Sul.[2]

Vida[editar | editar código-fonte]

Ele era filho de uma rica família proprietária de terras. Ele frequentou a Universidade de Waseda, em Tóquio.[3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Após a morte prematura de seu pai, ele usou a herança para abrir um engenho de arroz em sua cidade natal, Gyeongnam.[3]

Início da carreira[editar | editar código-fonte]

O primeiro negócio não foi muito bem sucedido, então ele abriu um negócio de caminhões em Daegu em 1 de março de 1938, que ele chamou de Samsung Trading Co., predecessora da Samsung.[3] Samsung significa "três estrelas", o que explica os logotipos iniciais da empresa.

Em meados de 1945, a Samsung transportava bens entre a Coreia e outros países. A companhia se estabeleceu em Seul em 1947. Era uma das dez maiores companhias de troca quando a Guerra da Coreia eclodiu em 1950.[4] Com a conquista de Seul pelo exército norte-coreano, Lee foi forçado a mudar seus negócios para Busan. O influxo de tropas norte americanas e equipamentos em Busan um ano e meio depois da guerra foi benéfico para a companhia de Lee.[4]

Em 1961, quando Park Chung-hee deu um golpe de estado, Lee estava no Japão e por algum tempo ele não retornou para a Coreia do Sul. Eventualmente, um acordo foi feito e Lee retornou, porém a Samsung teria que ceder o controle aos bancos que adquiriu e seguir diretivas econômicas do governo de Park.[4]

Cheil pelo mundo[editar | editar código-fonte]

Em 1953, ele fundou a Cheil Sugar (hoje CJ Group), que se tornou bem sucedida e lucrativa. Usando o dinheiro vindo de Cheil Sugar, ele fundou várias outras companhias que vendiam produtos de vários mercados: têxtil (Cheil Wool Textile Co.), carros, seguros, lojas de departamentos (Shinsegae) e eletrônicos.

Federação das Indústrias Coreanas[editar | editar código-fonte]

Mais tarde ele foi presidente da Federação das Indústrias Coreanas e ficou conhecido como o homem mais rico da Coreia.[5]

Coleção de arte coreana[editar | editar código-fonte]

Após sua morte, seus bens (Ho-Am) foram abertos para o público. Sua coleção de arte coreana é considerada uma das maiores e mais finas coleções do país e contém vários objetos de arte designados como "tesouros nacionais" pelo governo coreano.[6] Ho-Am é localizado a uma pequena distância do parque Everland, um dos parques mais populares da Coreia do Sul, também propriedade da Samsung.

Prêmio Ho-Am[editar | editar código-fonte]

O Prêmio Ho-Am foi criado em 1991, em homenagem ao pseudônimo de Lee.

Referências

  1. «Lee Byung Chull, 77, Industrialist of Korea - New York Times». The New York Times. 20 de novembro de 1987. Consultado em 26 de agosto de 2012 
  2. Bang, Jung-hyun, "Hail the Father of Business, Lee Byung-chul", Korea IT Times, February 11, 2010, [1]
  3. a b c Woo, Jaeyeon, "Memorializing the Company Founder, With Ads, 3-D and Holograms", Wall Street Journal, July 22, 2011, Korea Realtime, [2]
  4. a b c Watkins, Thaer, "The Chaebol of South Korea", Website, downloaded July 22, 2011, [3]
  5. "Samsung's development in chronological order"
  6. Ho Am Art Museum, "Official Web Site"

Ligações externas[editar | editar código-fonte]