Leonardo III Tocco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Leonardo III Tocco
Déspota do Epiro
Tocco stemma.png
Armas dos Tocco
Reinado 14481479
Consorte Milica da Sérvia
Francesca Marzano
Antecessor(a) Carlos II Tocco
Sucessor(a) Último
Casa Família Tocco
Nascimento ?
Morte 1499
Filho(s) Com Milica:
Carlos III Tocco
Com Francesca:
Hipólita Tocco
Leonora Tocco
Maria Tocco
Pedro Tocco
Ramondina Tocco
Com uma amante de nome desconhecido:
Ferrante Tocco
Pai Carlos II Tocco
Mãe Ramondina de Ventimiglia

Leonardo III Tocco foi o último governante do Epiro antes da conquista otomana, reinando de 1448 até 1479.

Vida[editar | editar código-fonte]

Leonardo era filho de Carlos II Tocco, conde palatino de Cefalônia e Zaquintos, duque de Lêucade e governador do Epiro, com Ramondina de Ventimiglia. Com a morte de seu pai em outubro de 1448, Leonardo o sucedeu, ainda menor de idade, em todos os seus domínios e reinou no Epiro a partir de Arta até 24 de março de 1449, quando a cidade foi tomada pelos otomanos[1].

Suas possessões no continente foram reduzidas a três fortalezas e Leonardo se estabeleceu em Angelocastro. Em 1460, esta cidade também caiu e apenas Vonitsa restava sob o controle de Leonardo, que se mudou para as ilhas[2].

Em 1 de maio de 1463, Leonardo se casou com sua primeira esposa, Milica da Sérvia, uma filha de Lázaro Branković com Helena Paleóloga[3][4], que morreu no parto em 1464[5].

Em 1477, Leonardo casou-se novamente, desta vez com Francesca Marzano, uma neta ilegítima do rei Afonso de Nápoles. De acordo com William Miller, Leonardo acreditava que a República de Veneza não estenderia sua proteção aos seus domínios e este casamento foi uma tentativa de criar laços de parentesco com a casa governante do Reino de Nápoles para assegurar seu apoio. Porém, Veneza não tinha nenhum interesse no retorno da influência napolitana nas ilhas Jônicas e o casamento só o afastou ainda mais dos venezianos. Assim, quando os otomanos encontraram uma desculpa para invadir seu reino, Leonardo não ofereceu resistência nenhuma e fugiu com tudo o que tinha de valor, sua esposa e seus três filhos para Tarento e, depois, para Nápoles[6].

Um novo avanço turco em 1479 capturou Vonitsa e, depois, Cefalônia, Lêucade e Zaquintos. Sem o Epiro e as ilhas Jônicas, Leonardo fugiu para o Reino de Nápoles, onde recebeu diversos feudos de Fernando I de Nápoles. Morreu por volta de 1499[7].

Família[editar | editar código-fonte]

Com Milica da Sérvia, Leonardo teve apenas Carlos III Tocco (1464–1518), que sucedeu ao pai como monarca (titular) do Epiro (em Arta) e de Zaquintos[8].

De Francesca, Leonardo teve cinco filhos, mas não se sabe em que ordem nasceram: Hipólita Tocco, Leonora Tocco (uma freira), Maria Tocco (que se casou com Pietro Talamanca), Pedro Tocco (que, acredita-se, morreu jovem) e Ramondina Tocco (que se casou com Federigo Pico della Mirandola)[5].

Leonardo teve também pelo menos um filho ilegítimo, Ferrante Tocco (m. 1535). De acordo com Miller, ele serviu como embaixador da Espanha na corte de Henrique VII da Inglaterra em 1506[9]. Benet Tocco, um filho de Ferrante, foi bispo de Girona entre 1572 e 1583 e serviu como bispo de Lleida de 1583 até morrer, dois anos depois[5].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por:
Carlos II
Monarca do Epiro
1448–1479
Conquista otomana

Referências

  1. Miller, (1908), p. 416
  2. Miller, (1908), p. 458
  3. Cawley, Charles, Profile of Milica, Medieval Lands database, Foundation for Medieval Genealogy 
  4. Cawley, Charles, Profile of Helena, Medieval Lands database, Foundation for Medieval Genealogy 
  5. a b c Cawley, Charles, Profile of Leonardo III, Medieval Lands database, Foundation for Medieval Genealogy 
  6. Miller, (1908), pp. 485f
  7. Miller, (1908), pp. 485-489
  8. Cawley, Charles, Profile of the Arianiti family, Medieval Lands database, Foundation for Medieval Genealogy 
  9. Miller, (1908), p. 488

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Cawley, Charles, Medieval Lands database, Foundation for Medieval Genealogy , Predefinição:Self-published inline[precisa-se de fonte melhor?]