La Barra Del Rojo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Los Diablos Rojos)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ficheiro:Tribunaroja.jpg
A barra como visitante em o estádio Tomás Adolfo Ducó do Huracán.
Ficheiro:Se256.jpg
Núcleo da barra.

Los Diablos Rojos é a barra brava do Club Atlético Independiente, fundada nos anos 50. Seus membros provêm de bairros pobres e de classe média de Buenos Aires e da Grande Buenos Aires.

É uma das barras bravas argentinas mais famosas em todo mundo, conhecida por cantar até quando o Independiente está perdendo, contudo, umas das mais fortes, juntamente com "Los Borrachos del Tablón" do River Plate, La Guardia Imperial do Racing Club e "La 12" do Boca Juniors.

Os seus principais meios de financiamento inclui a revenda de bilhetes para os jogos, além de trabalhar como "tropa de choque" para alguns sindicatos políticos (CGT da Argentina e Sindicato de Choferes de Camiones)[1].[2]

Durante a sua existência teve vários encontros com a polícia argentina, e com outras barras bravas que ficaram marcados por confrontos, principalmente com os barras bravas do Racing (La Guardia Imperial) seu principal rival, por estarem na mesma província, mas também rivaliza com barras bravas do Boca Juniors (La 12), River Plate (Los Borrachos del Tablón) e San Lorenzo de Almagro (La Gloriosa).

Clima tenso[editar | editar código-fonte]

No final 2011, o economista Javier Cantero, foi eleito presidente do Independiente pela chapa de oposição, com a pressão de recuperar o clube financeiramente (200 milhões de pesos em dívidas) e leva-lo a conquistas nacionais (10 anos sem títulos nacionais) e internacionais. Cantero decidiu acabar com os privilégios da Barra del Rojo, fato que revoltou os integrantes da barra brava, já que o presidente anterior, o empresário Julio Comparada, mantinha estreita relação com esta barra. Os barra bravas resolveram protestar fazendo silêncio durante as partidas do Independiente, também fizeram ameaças de morte e invadiram o escritório de Cantero, instalando assim uma crise interna no clube, presidência versus Barra Brava.

Cantero recebeu o apoio dos sócios, além do respaldo de políticos e torcedores ilustres do clube e manteve-se firme em sua decisão de acabar com as regalias da Barra del Rojo e suas atitudes que muitas vezes prejudicaram a imagem da instituição, como brigas, assassinatos, roubos, etc. http://globoesporte.globo.com/futebol/futebol-internacional/futebol-argentino/noticia/2012/05/presidente-do-independiente-revela-ameacas-por-ignorar-barras-bravas.html

Amizades[editar | editar código-fonte]

Brasil

Colômbia

  •  Colômbia Baron Rojo Sur - América de Cali

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Torcida é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.