Luciana de Abreu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Luciana de Abreu
Nome completo Luciana Maria de Abreu
Nascimento 11 de julho de 1847
Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil
Morte 13 de junho de 1880 (32 anos)
Porto Alegre
Nacionalidade brasileira

Luciana de Abreu (Porto Alegre, 11 de julho de 1847 – Porto Alegre, 13 de junho de 1880) foi uma poetisa e professora brasileira. Pioneira da luta pela emancipação da mulher no Rio Grande do Sul

Biografia[editar | editar código-fonte]

Abandonada na roda dos expostos da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre logo depois de seu nascimento, Luciana de Abreu foi adotada dias depois por Gaspar Pereira Viana e por sua esposa.[1] Ele trabalhava como guarda-livros da casa comercial de Pôrto Irmãos.

Cresceu na família Viana e, em 1867, casou-se com João José Gomes de Abreu. Tiveram dois filhos, Maria Pia e Teófilo.[1] Entrou, depois, para a Escola Normal, criada em 1869, e ao concluí-la conseguiu ingressar no magistério provincial.[1]

Escritora, Luciana se distinguiu nos meios culturais e nos saraus literários, tendo sido convidada para ingressar na Sociedade Partenon Literário.[1] Foi a primeira mulher a entrar, no Brasil, para uma sociedade literária, bem como a primeira mulher que subiu à tribuna para expor suas ideias, entre as quais a da emancipação da mulher.[1]

Faleceu aos trinta e três anos de idade, vítima de tuberculose.[1]

Dante de Laytano reuniu, em 1949, vários de seus poemas em três volumes, sob o nome de Preleções.[2]

Referências

  1. a b c d e f Biografia na Página do Gaúcho
  2. SPALDING, Walter. Itinerário da literatura Sul-rio-grandense, in Enciclopédia Rio-Grandense. Porto Alegre, 1956.
  • FRANCO, Sérgio da Costa. Guia Histórico de Porto Alegre., 4a edição, Editora da Universidade (UFRGS), Porto Alegre, 2006.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.