Luz Soriano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de caixa informativa ou a usada não é a mais adequada. Foi sugerido que adicionasse esta.
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Luz Soriano, por Columbano Bordalo Pinheiro

Simão José da Luz Soriano (Santa Catarina (Lisboa), 8 de setembro de 1802Mercês (Lisboa), 18 de agosto de 1891) foi um historiador e político da Monarquia Liberal.

A vida e a obra[editar | editar código-fonte]

Oriundo de uma família com poucas condições, filho de Domingos José Soriano e de Angélica Teresa de São José, foi aluno da Casa Pia de Lisboa e estudante de Filosofia e Matemática em Coimbra. Emigrou em 1828 para Inglaterra devido às suas ideias liberais, seguindo em 1829 para a Terceira, quartel general do exército liberal, onde exerceu o jornalismo político.

Em 1832, regressado a Portugal com D. Pedro IV, inserido no grupo dos "Bravos do Mindelo" (onde também se encontravam Herculano e Garrett), iniciou longa e relevante carreira na Secretaria da Marinha e Ultramar. Voltando à Universidade, formou-se em Medicina em 1842. Em 1851 foi deputado por Angola. Foi ao serviço desta província africana que impulsionou o desenvolvimento da colónia de Moçâmedes, por sugestão de Bernardino Freire de Figueiredo Abreu e Castro, radicado em Pernambuco, que alertou para as potencialidades daquele território.

Foi também escritor dedicado às Letras e favorecedor da instrução primária e superior em Portugal. Era sócio da Academia Real das Ciências.

Falecido aos 88 anos sem filhos, nomeou muitos herdeiros com funções específicas para gerir a sua vasta fortuna.

Residia em Lisboa, ao Bairro Alto, na actual Rua Luz Soriano, número 90, 2º andar, onde faleceu solteiro e sem filhos. Encontra-se sepultado em jazigo no Cemitério dos Prazeres.[1]

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • História do Cerco do Porto, 2 volumes, Lisboa, 1846-1849 ;
  • Revelações da Minha Vida, 1860;
  • História da Guerra Civil, 17 volumes, 1866-1890;
  • História do Reinado de D. José, 2 volumes, 1867;
  • Vida do Marquês de Sá da Bandeira, 2 volumes, 1887-1888.

Fontes[editar | editar código-fonte]