Márcia Abrahão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Márcia Abrahão Moura (Rio de Janeiro, 10 de novembro de 1964)[1] é filha de Armando da Silva Moura, gaúcho de Passo Fundo (RS), Capitão do Exército brasileiro, e de Josephina Abrahão Moura, carioca. Morou em Brasília nos primeiros anos de vida. Com a transferência do pai para o Rio de Janeiro em 1970, estudou na Escola Municipal Rosa da Fonseca, situada na Vila Militar, onde passou parte da infância. É geóloga, professora titular do Instituto de Geociências e atual reitora da Universidade de Brasília (UnB).[2][3]É graduada, mestra e doutora em geologia pela UnB, com doutorado sanduíche na Université d'Orléans e BRGM, na França, e pós-doutorado pela Queen's University, do Canadá.[3]

Em 1987, Márcia Abrahão foi aprovada em concurso para atuar como geofísica na Petrobras, cargo que ocupou até 1988, no Rio de Janeiro e em Mossoró (RN).[3] Casou-se em 1988 com Antonio Luiz Ferreira da Veiga, nascido em Crateús (CE), servidor de carreira da Câmara Federal, também filho de militar do Exército, Coronel Virgílio da Veiga, nascido em Niteroi (RJ), com Lygia Maria Ferreira da Veiga, baiana. Atuou como analista do Banco Central do Brasil de 1992 a 1994, lotada no Departamento da Dívida Pública (DEDIP).[3]

Academicamente, tem experiência na área de granitos e mineralizações associadas, em depósitos do Brasil, Cuba, Peru e Colômbia. Atua principalmente nos seguintes temas: metalogenia, hidrotermalismo, inclusões fluidas, isótopos estáveis, petrologia e mineralogia. Leciona na graduação principalmente Cristalografia, Gemologia e Caracterização de depósitos minerais. Na pós-graduação, leciona ou lecionou: Inclusões Fluidas, Granitos e mineralizações associadas e Caracterização e Metalogênese de Depósitos Minerais Hidrotermais. Foi bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq. Dentre as atividades de extensão, ministrou curso de identificações de gemas para peritos da Polícia Federal.

Na área administrativa, foi sub-chefe do departamento de Mineralogia e Petrologia, coordenadora do curso de graduação em geologia da UnB, coordenadora de extensão e Vice-Diretora do Instituto de Geociências. Exerceu a função de Decana (Pro-Reitora) de Ensino de Graduação da UnB de abril/2008 a dezembro/2011, quando coordenou o Programa de expansão da UnB, incluindo criação dos campi de Ceilândia e Gama e a ampliação do campus UnB Planaltina. Foi Diretora do Instituto de Geociências da UnB de fev/2014 a nov/2016.

Márcia Abrahão foi eleita a primeira mulher a ocupar a Reitoria da Universidade de Brasília em 2016,[4][5][6] com 53,34% dos votos,[7] sucedendo Ivan Camargo. Em 2019 recebeu do Senado Federal, por suas contribuições para as causas das mulheres, o Diploma Bertha Lutz.[8][9] Outras honrarias recebidas foram as medalhas Amigo da Marinha (2019), Ordem do Mérito Judiciário Militar do Superior Tribunal Militar – Grau Alta Distinção (2018), Ordem do Mérito Brasília, do Governo do Distrito Federal – Grau Grande Oficial (2018), Medalha do Mérito Alvorada, do Governo do Distrito Federal (2018), Ordem do Mérito Bombeiro Militar do Distrito Federal Ïmperador Dom Pedro II”– Grau de Comendador (2017) e Diploma de Honra ao Mérito da Polícia Federal, em reconhecimento aos valiosos serviços prestados.

Referências

  1. Alves, Bernadete (15 de março de 2020). «É êxito – Márcia Abrahão Moura». Bernadete Alves. Consultado em 27 de junho de 2020 
  2. «Reitora da UnB». Consultado em 27 de junho de 2020 
  3. a b c d buscatextual.cnpq.br http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4786111D1&tokenCaptchar=03AGdBq25T7yvp0UfwuhrFFU_GhV6srRn78oT6hNVo4QqfzNyIWOywyirQZZ3xBPa6zcXeIKyD_rhz44gJgPlU6lbGaaG9PnyHnpu5bGMZ-fsbNJQTY9rsNXcVNbGdm_1O-niuHS9dpEca4f6V7dSmUb7hULERcJumYdZxVy7BmJ2S82GudUjtClX9cUheZneAcXgXFB-7mMu5BSZi4tyOH11uG-FcSFLApWCbqxNYAwCy04vSXfW2_g_coQdkGjnD9IiD7dx0nOMUBcFQhz1ysyTg1eWaP6THrxyTFdBkZYpD560LJqxXIBXRgnZVwvKHK0daHQEaBN9g977XYMpBROGyS9IAM64mPMi-P3X9Yxo3FmnTC3ZTjBq5qC9uoGpT-tM1Qz2QL9sSiW5lb1063iuhgbIpM-jlVR3PCYdS6fpLKp33Wymyhvo. Consultado em 27 de junho de 2020  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  4. «Márcia Abrahão assume como primeira mulher eleita para Reitoria». 24 de novembro de 2016. Consultado em 27 de junho de 2020 
  5. DF, Mateus RodriguesDo G1 (1 de setembro de 2016). «Márcia Abrahão é a primeira mulher eleita para comandar reitoria da UnB». Distrito Federal. Consultado em 27 de junho de 2020 
  6. «Márcia Abrahão é a primeira mulher eleita para a reitoria da UnB». Congresso em Foco. 1 de setembro de 2016. Consultado em 27 de junho de 2020 
  7. «Doutora em geologia, Márcia Abrahão é primeira mulher eleita reitora da UnB». Agência Brasil. 2 de setembro de 2016. Consultado em 27 de junho de 2020 
  8. «Reitora recebe prêmio Bertha Lutz». 27 de março de 2019. Consultado em 27 de junho de 2020 
  9. «Bancada feminina define indicadas para o Diploma Bertha Lutz». Senado Federal. Consultado em 27 de junho de 2020