Mânio Acílio Glabrião (cônsul em 154 a.C.)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Mânio Acílio Glabrião.
Mânio Acílio Glabrião
Cônsul da República Romana
Consulado 154 a.C. (suf.)

Mânio Acílio Glabrião (em latim: Manius Acilius Glabrio) foi um político da gente Acília da República Romana eleito cônsul sufecto em 154 a.C. depois da morte de Lúcio Postúmio Albino e teve como colega Quinto Opímio. Era filho de Mânio Acílio Glabrião, cônsul em 191 a.C.[1].

Carreira[editar | editar código-fonte]

Em 181 a.C., foi nomeado duúnviro aedi dedicandae com Lúcio Pórcio Licino para consagrar, por ordem do Senado, o Templo da Piedade prometido por seu pai no Fórum Holitório. Ele havia prometido este templo no dia de seu encontro com Antíoco III na Batalha de Termópilas (191 a.C.) e Glabrião depositou ali uma estátua equestre de seu pai, a primeira estátua dourada de Roma[2][3]. Seu colega ficou responsável por dedicar o Templo de Vênus Ericina, perto da Porta Colina[4][5]. Depois disto, foi edil curul em 165 a.C. com Marco Fúlvio Nobilior e organizou os Jogos Megalenses daquele ano, ocasião na qual a peça Andria, de Terêncio, foi representada pela primeira vez[6][7][8]. Em 157 a.C., foi pretor[9] e, finalmente, três anos mais tarde, foi eleito cônsul sufecto para ocupar a vaga de Lúcio Postúmio Albino, supostamente envenenado por sua esposa[10][11][12].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul da República Romana
SPQR.svg
Precedido por:
'Marco Cláudio Marcelo II

com Públio Cornélio Cipião Násica Córculo II

Lúcio Postúmio Albino
154 a.C.

com Quinto Opímio
com Mânio Acílio Glabrião (suf.)

Sucedido por:
'Tito Ânio Lusco

com Quinto Fúlvio Nobilior


Referências

  1. Broughton 1952, p. 525.
  2. Lívio, Ab Urbe Condita XL 34.
  3. Valério Máximo, Nove Livros de Feitos e Dizeres Memoráveis II 5. $ 1.
  4. Broughton 1951, p. 386.
  5. Lívio, Ab Urbe Condita XL 34, 5
  6. Johannes Marouzeau, Comédie, tome 1. Andrienne - Eunuque, Paris, Les Belles Lettres, 2003 (em francês)
  7. Broughton 1951, p. 437.
  8. Terêncio, Andr. tit. fab.
  9. Broughton 1951, p. 447.
  10. Broughton 1951, p. 449.
  11. Júlio Obsequente, De Prod. 76.
  12. Fastos Capitolinos

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Fontes primárias[editar | editar código-fonte]

Fontes secundárias[editar | editar código-fonte]

  • Broughton, T. Robert S. (1951). The Magistrates of the Roman Republic. Volume I, 509 B.C. - 100 B.C. (em inglês). I, número XV. Nova Iorque: The American Philological Association. 578 páginas 
  • (em alemão) Carolus Ludovicus Elvers: [I 11] A. Glabrio, M'.. In: Der Neue Pauly (DNP). Volume 1, Metzler, Stuttgart 1996, ISBN 3-476-01471-1, Pg. 87.