Machinarium

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Machinarium
Desenvolvedora(s) Amanita Design
Publicadora(s) Amanita Design
Distribuidora(s) Amanita Design
Valve
GameFly
GamersGate
GameStop
Projetista(s) Jakub Dvorský
Compositor(es) Tomáš Dvořák
Motor Adobe Flash
Plataforma(s) Windows
Windows Phone
OS X
Linux
PlayStation 3 (PSN)
PlayStation Vita
iPad 2
BlackBerry PlayBook
Android
Data(s) de lançamento * Windows, OS X, Linux
16 de outubro 2009
Collector's Edition ** UK: 5 de março 2010 PlayStation 3 (PSN) ** EU: 6 de setembro de 2012 ** NA: 9 de outubro 2012 ** AS: 18 de outubro de 2012 PlayStation Vita ** NA: 26 de março 2013 ** EU: 1 de maio de 2013 ** AS: 7 de maio de 2013 iPad 2 8 de setembro de 2011 BlackBerry PlayBook 21 de novembro de 2011 Android
10 de maio de 2012
Género(s) Aventura gráfica
Modos de jogo Jogador único

Machinarium é um puzzle de aventura de tipo apontar-e-clicar desenvolvido pela Amanita Design. Revela a história de Josef, um robô, após a sua expulsão da cidade de Machinarium.

Mecânica de jogo[editar | editar código-fonte]

O objetivo de Machinarium é a resolução de uma série de puzzles e desafios mentais. Os puzzles estão ligados por um sobremundo que consiste numa história de aventura em modo apontar-e-clicar. Uma das suas abordagens mais destacáveis consiste na interação com os objetos, sendo que apenas os que se encontrem ao alcance do personagem podem ser clicados.

Machinarium é notável pela ausência de diálogos, sejam eles escritos ou falados, e à exceção de alguns avisos aquando do tutorial, está desprovido de qualquer comunicação escrita. Em vez disso, o jogo faz uso de um sistema de balões de diálogo animados. Existem também cenas secundárias em forma de brinde (ou ovo da páscoa) que só podem ser reveladas se o jogador estiver inativo em certas áreas.

O jogo serve-se de um sistema de dicas de dois níveis. Em cada nível, e apenas por uma única vez, o jogador pode receber uma pista que se vai tornando sistematicamente vaga à medida que o jogo progride. Machinarium também inclui um guia, que pode ser acedido a qualquer momento através de um minijogo. À semelhança do que acontece com os diálogos, o guia não possui comunicação escrita ou falada, em seu lugar uma série de esboços descrevem a tarefa em mãos e a sua solução. No entanto, este apenas revela o que deve ser feito na área, e compete ao jogador perceber como os desafios e eventos do jogo se relacionam com a sua cronologia ou história.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Machinarium esteve em desenvolvimento por um período de três anos. Os sete desenvolvedores checos financiaram o projeto através de recursos próprios. O orçamento para a sua comercialização foi de uns escassos 1,000$.[1]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Machinarium foi lançado a 16 de outubro de 2009 para Microsoft Windows, OS X, Linux,[2] a 8 de setembro de 2011 para iPad 2 na App Store,[3][4] a 21 de novembro de 2011 para BlackBerry PlayBook,[5][6] a 10 de Maio de 2012 para Android,[7][8] a 6 de setembro de 2012 na PlayStation Network na Europa, , a 9 de outubro de 2012 na América do Norte e a 18 de outubro de 2012, na Ásia,[9] e também foi lançado para PlayStation Vita no dia 26 de Março de 2013 na América do Norte, em 1 de Maio de 2013 na Europa e em 7 de Maio de 2013 na Ásia. Demonstrações para Windows, Mac e Linux foram disponibilizados a 30 de setembro de 2009. Um futuro lançamento para o serviço da Nintendo Wii WiiWare foi cancelado em novembro de 2011 devido ao seu limite de 40MB.[10]

As versões para Microsoft Windows, OS X, Linux e Android foram lançadas, integradas no Humble Indie Bundle para Android 4 a 8 de novembro de 2012 para aqueles que tivessem pago acima do preço médio.[11] A versão para Windows Phone foi lançada a 22 de Março de 2014.[12]

Acolhimento[editar | editar código-fonte]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Machinarium teve uma boa receção aquando do seu lançamento, somando pontuações médias de 84.78% e 85% nos agregadores GameRankingsMetacritic, respetivamente.

Em 2008 ganhou o prémio de Estética no IndieCade (festival internacional de jogos independentes).[13] Conseguiu o prémio para Excelência nas Artes Visuais no 12.º Independent Games Festival[14] e para Melhor Banda Sonora da PC Gamer em 2009.[15] Foi também nomeado para um Prémio de Mérito em Direção de Artes pela Academia das Artes e Ciências Interativas,[16] para além de um prémio Milthon para Melhor Jogo Independente no Festival de Videojogos de Paris.[17]

Amnistia pirata[editar | editar código-fonte]

A 5 de agosto de 2010, foi anunciado que segundo as estimativas dos desenvolvedores Amanita Design que apenas 5 a 15% dos jogadores tinham comprado Machinarium.[18] Num esforço por aumentar o volume de vendas, o preço foi reduzido temporariamente de 20$ para 5$ até 12 de agosto desse ano para que os piratas se pudessem redimir, apesar de a oferta não ser exclusiva a estes.[19] A campanha acabou por ser prolongada por quatro dias,[20] e resultou na venda de 20,000 cópias adicionais por todo este período.[21]

Vendas[editar | editar código-fonte]

Machinarium vendeu mais de 4 milhões de cópias até 15 de julho de 2016, com 49% delas destinadas a PC, 44% a dispositivos móveis e 7% a consolas.[22]

Representação noutros meios[editar | editar código-fonte]

Josef foi incluído como personagem jogável em Super Meat Boy,[23] e aparece em vários outros videojogos, entre eles o puzzle ilomilo, no pacote de conteúdo para Runner2Good Friends e também noutro videojogo da Amanita Design, Botanicula. Foi também incluído no alfabeto de Personagens de Videojogos, criado por Fabian Gonzalez.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «The 12th Annual Independent Games Festival - Finalists and Winners». ThinkServices. Consultado em 16 de outubro de 2009 
  2. «Machinarium PC, Linux, Mac game». Mod DB. Consultado em 26 de agosto de 2010 
  3. «Machinarium For iPad2 Released!». Consultado em 10 de setembro de 2011 
  4. «Machinarium». Consultado em 10 de setembro de 2011 
  5. «Machinarium For BlackBerry PlayBook Now Available!». Consultado em 23 de novembro de 2011 
  6. «Machinarium». Consultado em 23 de novembro de 2011 
  7. «Machinarium Now Available for Android Tablets». Consultado em 22 de maio de 2012 
  8. «Machinarium». Consultado em 22 de maio de 2012 
  9. «Amanita Desig Blog». Consultado em 5 de outubro de 2012 
  10. James Newton (9 de setembro de 2010). «XGen Studios Readying Machinarium and Super Motherload for WiiWare». Nintendo Life. Consultado em 10 de setembro de 2010 
  11. «Humble Bundle for Android 4 launches with six games». SlashGear. 8 de novembro de 2012. Consultado em 9 de abril de 2014 
  12. «Award Winning Game, Machinarium, Comes to Windows Phone». Windows Gamers. 24 de março de 2014. Consultado em 9 de abril de 2014 
  13. «Machinarium Review». gamersdailynews.com. Outubro de 2009. Consultado em 11 de março de 2013 
  14. «Wake up to video game sleeper hits». MSNBC. Consultado em 18 de outubro de 2009 
  15. «Machinarium Has The Best Soundtrack Of The Year (2009) According To PC Gamer». Amanita Design Blog. Consultado em 25 de agosto de 2010 
  16. «Awards Category Details: Outstanding Achievement in Art Direction». Academy of Interactive Arts & Sciences. Consultado em 22 de outubro de 2010 
  17. «Milthon European Games Awards - 2010 Nominees». Consultado em 25 de agosto de 2010 
  18. «Machinarium Pirate Amnesty». Amanita Design Blog. Consultado em 25 de agosto de 2010 
  19. «Machinarium suffers 90% piracy rate, offers $5 amnesty sale». Ars Technica. Consultado em 25 de agosto de 2010 
  20. «Machinarium Pirate Amnesty Extended, Stats Revealed». Amanita Design Blog. Consultado em 25 de agosto de 2010 
  21. «Pirate Amnesty Is Over». Amanita Design Blog. Consultado em 25 de agosto de 2010 
  22. «Amanita Design on Twitter». Consultado em 15 de julho de 2016 
  23. «Josef from Machinarium is in Super Meat Boy PC». destructoid.com. Consultado em 13 de novembro de 2010