Manga-larga marchador

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Mangalarga marchador)
Manga-larga marchador
Júpiter Quitumba, campeão brasileiro da raça Manga-larga Marchador em 2002
Nome em inglês Brazilian Saddle Horse
Origem  Brasil
Temperamento Ativo e dócil
Uso Sela
Influências Cavalo Alter-Real
Altura 1,52 cm na cernelha

Manga-larga marchador, também conhecido apenas como manga-larga, é uma raça de cavalos brasileira. É descendente dos cavalos Alter-Real (uma estirpe do cavalo lusitano), que chegaram ao Brasil no início do século XIX por meio da Corte portuguesa e que, depois, foram cruzados com cavalos comuns marchadores formados pelos fazendeiros da região sul de Minas Gerais.[1][2]

Padrão da raça[editar | editar código-fonte]

Aparência geral[editar | editar código-fonte]

Porte médio, ágil, estrutura forte e bem proporcionada, expressão vigorosa e sadia, visualmente leve na aparência, pele fina e lisa, pelos finos, lisos e sedosos, temperamento ativo e dócil.

Altura[editar | editar código-fonte]

  • Para machos a ideal é de 1,52 m, admitindo-se para o registro definitivo a mínima de 1,47 m e a máxima de 1,57 m.
  • Para fêmeas a ideal é de 1,46 m, admitindo-se para o registro definitivo a mínima de 1,40 m e a máxima de 1,54 m.

Cabeça[editar | editar código-fonte]

Cabeça e pescoço padrão da raça.
  • Forma: triangular, bem delineada, média e harmoniosa, fronte larga e plana;
  • Perfil: retilíneo na fronte e de retilíneo a sub-côncavo no chanfro;
  • Olhos: afastados e expressivos, grandes, salientes, escuros e vivos, pálpebras finas e flexíveis;
  • Orelhas: médias, móveis, paralelas, bem implantadas, dirigidas para cima, de preferência com as pontas ligeiramente voltadas para dentro;
  • Garganta: larga e bem definida;
  • Boca: de abertura média, lábios finos, móveis e firmes;
  • Narinas: grandes, bem abertas e flexíveis;
  • Ganachas: afastadas e descarnadas.

Pescoço[editar | editar código-fonte]

De forma piramidal, leve em sua aparência geral, proporcional, oblíquo, de musculatura forte, apresentando equilíbrio e flexibilidade, com inserções harmoniosas, sendo a do tronco no terço superior do peito, admitindo-se, nos machos, ligeira convexidade na borda dorsal - como expressão de caráter sexual secundário - crinas ralas, finas e sedosas.

Tronco[editar | editar código-fonte]

  • Cernelha: bem definida, longa, proporcionando boa direção à borda dorsal do pescoço;
  • Peito : profundo, largo, musculoso e não saliente;
  • Costelas: longas, arqueadas, possibilitando boa amplitude torácica;
  • Dorso: de comprimento médio, reto, musculado, proporcional, harmoniosamente ligado à cernelha e ao lombo;
  • Lombo: curto, reto, proporcional, harmoniosamente ligado ao dorso e à garupa, coberto por forte massa muscular;
  • Ancas: simétricas, proporcionais e bem musculadas;
  • Garupa: longa, proporcional, musculosa, levemente inclinada, com a tuberosidade sacral pouco saliente e de altura não superior à da cernelha;
  • Cauda: de inserção média, bem implantada, sabugo curto, firme, dirigido para baixo, de preferência com a ponta ligeiramente voltada para cima quando o animal se movimenta. Cerdas finas, ralas e sedosas.

Membros torácicos[editar | editar código-fonte]

Ficheiro:Manga-larga Marchador Conformação.jpg
Morfologia do padrão da raça.
  • Espáduas: longas, largas, oblíquas, musculadas, bem implantadas, apresentando amplitude de movimentos;
  • Braços: longos, musculosos, bem articulados e oblíquos;
  • Antebraços: longos, musculosos, bem articulados, retos e verticais;
  • Joelhos: largos, bem articulados e na mesma vertical do antebraço;
  • Canelas: retas, curtas, descarnadas, verticais, com tendões fortes e bem delineados;
  • Boletos: definidos e bem articulados;
  • Quartelas: de comprimento médio, fortes, oblíquas e bem articuladas;
  • Cascos: médios, sólidos, escuros ou claros e arredondados.
  • Aprumos: corretos.

Membros pélvicos[editar | editar código-fonte]

  • Coxas: musculosas e bem inseridas;
  • Pernas: fortes, longas, bem articuladas e aprumadas;
  • Jarretes: descarnados, firmes, bem articulados e aprumados;
  • Canelas: retas, curtas, descarnadas, verticais, com tendões fortes e bem delineados;
  • Boletos: definidos e bem articulados;
  • Quartelas: de comprimento médio, fortes, oblíquas e bem articuladas;
  • Cascos: médios, escuros e arredondados;
  • Aprumos: corretos.

Ação[editar | editar código-fonte]

  • Passo: andamento marchado, simétrico, de baixa velocidade, a quatro tempos, com apoio alternado dos bípedes laterais e diagonais, sempre intercalados por tempo de tríplice apoio.

Características ideais: regular, elástico, com ocorrência de sobrepegada; equilibrado, com avanço sempre em diagonal e tempos de apoio dos bípedes diagonais pouco maiores que laterais; suave movimento de báscula com o pescoço; boa flexibilidade de articulações.

  • Galope: andamento saltado, de velocidade média, assimétrico, a quatro tempos, cuja sequência de apoios se inicia com um posterior, seguido do bípede diagonal colateral e se completa com o anterior oposto.

Características ideais: regular, justo, com boa impulsão, equilibrado, com nítido tempo de suspensão, discreto movimento de báscula com o pescoço, boa flexibilidade de articulações.

Andamento[editar | editar código-fonte]

Tríplice Apoio
  • Marcha: andamento marchado, simétrico, a quatro tempos, com apoio alternado dos bípedes laterais e diagonais, sempre intercalados por momentos de tríplice apoio.
  • São três os andamentos do Manga-larga Marchador, a marcha batida, a picada e a de centro. O que vai segmentar estes grupos é o tempo que cada apoio fica no solo (laterais, diagonais ou tríplices), sendo que o grau de dissociação será o maior qualificador.
  • Na marcha batida o anterior esquerdo avança junto com o posterior direito e vice e versa. Para que exista a marcha é necessário a presença de um "delay" entre a colocação e retirada destes apoios diagonais, ocorrendo momentos de tríplice apoio.
  • Na marcha picada os membros de locomovem lateralmente, onde o anterior direito avança junto do posterior direito e vice e versa, lembrando que o posterior sempre deve tocar o solo primeiro, para que existam momentos de tríplice apoio, e para assim o animal nunca perder o contato com o solo, o que é a essência da marcha.
  • A marcha de centro fica entre a batida e a picada, com grande presença de tríplice apoio. Comparada a marcha picada, a de centro possui mais rendimento . Quando comparamos com a marcha batida, podemos afirmar que ela é suavemente mais cômoda, mas rende menos. Características ideais: regular, elástico, com ocorrência de sobrepegada ou ultrapegada, equilibrado, com avanço sempre em diagonal e tempos de apoio dos bípedes diagonais maiores que laterais, movimento discreto de anteriores, descrevendo semicírculo visto de perfil, boa flexibilidade de articulações

Expressão e caracterização[editar | editar código-fonte]

O que exprime e caracteriza a raça em sua cabeça, aparência geral e conformação.

Homenagem[editar | editar código-fonte]

Em 2013, a espécie do cavalo foi mostrada, cantada e homenageada pela escola de Samba carioca Beija Flor de Nilópolis com o enredo: "Amigo Fiel: Do Cavalo do Amanhecer ao Manga-larga Marchador", conquistando o título de vice-campeã do carnaval.

Lei Nº 12.975 de 19 de Maio de 2014[editar | editar código-fonte]

Em 19 de Maio de 2014, a Presidente Dilma Rousseff sancionou a Lei Nº 12.975/14, de autoria do deputado federal Arthur Oliveira Maia (SD/BA), que declara a raça de cavalos Manga-larga Marchador raça nacional.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Garanhões Manga-larga Marchador 1997/1998, s/l.: s/e., 1998
  • Garanhões Manga-larga Marchador 2000/2001, Belo Horizonte, MG: Top 2000 Editora, 2001
  • Garanhões Manga-larga Marchador 2008, Belo Horizonte, MG: Top 2000 Editora, 2008
  • Grandes Fêmeas Manga-larga Marchador 1999/2000, Belo Horizonte, MG: Top 2000 Editora, 2000
  • Grandes Fêmeas Manga-larga Marchador 2003/2004, Belo Horizonte, MG: Top 2000 Editora, 2004
  • Grandes Fêmeas Manga-larga Marchador 2009, Belo Horizonte, MG: Top 2000 Editora, 2009
  • Larousse dos Cavalos, São Paulo, SP: Larousse do Brasil, 2006
  • Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Manga-larga Marchador: A História do Cavalo Manga-larga Marchador, Rio de Janeiro, RJ: Editora Nova Fronteira, 1991
  • Lúcio Sérgio de Andrade: Criação e Adestramento de Cavalos Marchadores, Recife, PE: edição do autor, 1984
  • Lúcio Sérgio de Andrade: Manga-larga Marchador: A Difícil Trajetória de um "Cavalo sem Fronteiras", Contagem, MG: Editora Littera Maciel, 1992
  • C. G. Barbosa: Estudo Morfométrico na Raça Manga-larga Marchador: Uma Abordagem Multivariada, Belo Horizonte, MG: Escola de Veterinária da UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais, 1990
  • Sérgio de Lima Beck: O Manga-larga Marchador: Caracterização, História, Seleção Brasília, DF: edição dos autores, 1992
  • Rosaldo F. Bortoni: Manga-larga Marchador e os Outros Cavalos de Sela no Brasil, Uberaba, MG: Grupo Rotal, 1991
  • Ricardo Luís Casiuch: O Romance da Raça: Histórias do Cavalo Manga-larga Marchador, São Paulo, SP: Empresa das Artes, 1997
  • M. D. Costa: Caracterização Demográfica e Estrutura Genética da Raça Manga-larga Marchador, Belo Horizonte, MG: UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais, 2002
  • M. C. G. R. Lage: Caracterização Morfométrica, dos Aprumos e do Padrão de Deslocamento de Eqüinos da Raça Manga-larga Marchador e suas Associações com a Qualidade da Marcha, Belo Horizonte, MG: Escola de Veterinária da UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais, 2001

Referências

  1. «Raça de Cavalo: Mangalarga Marchador». Cavalos e Cavalgadas. Consultado em 15 de janeiro de 2022. Arquivado do original em 26 de junho de 2018 
  2. Guia de raças de cavalo - Manga-larga marchador

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Manga-larga marchador