Manvendra Singh Gohil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Manvendra Singh Gohil
Nascimento 23 de setembro de 1965
Ajmer
Residência Guzerate
Cidadania Índia
Progenitores
Alma mater
  • Bombay Scottish School
Ocupação ativista LGBTQIA+, político
Título príncipe
Religião hinduísmo

Manvendra Singh Raghubir Singh (conhecido como Manvendra Singh Gohil, Manvendrasingh Gohil, ou Manvendra Gohil) (Ajmer, 23 de setembro de 1965) é um hindu pertencente à família real do antigo estado principesco de Rajpipla na Índia.

Os pais tentaram deserdá-lo, sem sucesso, após revelar sua homossexualidade, e desde então tem sido um ponto de interrogação sobre suas relações com a família. É a única pessoa conhecida da antiga linhagem real na moderna Índia que revelou publicamente ser gay.[1]

Em janeiro de 2008, ao realizar uma cerimônia anual em Rajpipla em homenagem a seu bisavô Maharaja Vijaysinhji, Manvendra Gohil anunciou planos para adotar uma criança, dizendo: "Tenho cumprido todas as minhas responsabilidades como príncipe até agora e continuarei enquanto eu puder. Irei também adotar um filho em breve, para que todas as tradições continuem"[2]. Se a adoção se concretizar, este será o primeiro caso conhecido de um gay que adota uma criança na Índia. Ao visitar o Brasil por ocasião da Parada do orgulho LGBT de São Paulo, declarou: "Adotar uma criança é fácil na Índia, e não há problema pelo fato de ser abertamente homossexual. Espero estar com meu filho logo depois da volta do Brasil".[3]

Além de sua luta pelos direitos LGBT e no combate à Aids, é um fazendeiro orgânico, lutando contra o uso dos pesticidas.[3]

Casou-se aos 15 anos, por imposição familiar, mas revelou sua homossexualidade aos 27, quando se separou. A partir daí, sua vida mudou radicalmente, sendo perseguido pela mídia e perdendo amigos, que ficaram receosos de serem apontados como gays.[3]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.