Mark Weisbrot

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Mark Weisbrot é um economista americano, colunista e co-diretor, com Dean Baker, do Centro para Pesquisas Econômicas e de Políticas Públicas (Center for Economic and Policy Research - CEPR) em Washington. Como comentarista, ele contribui em publicações como o New York Times, o The Guardian e a Folha de S. Paulo.[1]

Como economista, Weisbrot criticou a privatização do sistema norte-americano de seguridade social e foi um grande crítico da globalização e do FMI. Os trabalhos de Weisbrot a respeito dos países latino-americanos (incluindo Argentina, Bolívia, Brasil, Equador e Venezuela) atraíram interesse nacional e internacional, e em 2008 ele foi mencionado pelo Ministro brasileiro das Relações Exteriores do governo Lula, Celso Amorim.

O economista é alinhado com o pensamento de esquerda[2], apoiando líderes como Hugo Chávez[3] e Nicolás Maduro[4][5], na Venezuela, Lula[6] e Dilma Rousseff[7], no Brasil, Rafael Correa[8], no Equador, em diversos artigos nos jornais que colabora.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Mark Weisbrot» 
  2. Weisbrot, Mark (1 de maio de 2009). «Mark Weisbrot: Latin America is more stable and democratic than ever». the Guardian (em inglês). Consultado em 10 de abril de 2018 
  3. Weisbrot, Mark (9 de outubro de 2012). «Opinion | Why Chávez Was Re-elected». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  4. Antonio, José. «Os desafios da Venezuela pós-Chávez». CartaCapital 
  5. Weisbrot, Mark (7 de novembro de 2013). «Sorry, Venezuela haters: this economy is not the Greece of Latin America | Mark Weisbrot». the Guardian (em inglês). Consultado em 21 de agosto de 2018 
  6. «Opinion | Brazil's Democracy Pushed Into the Abyss». The New York Times (em inglês). 23 de janeiro de 2018. ISSN 0362-4331 
  7. Weisbrot, Mark (1 de novembro de 2010). «Brazil wins with Dilma Rousseff | Mark Weisbrot». the Guardian (em inglês). Consultado em 10 de abril de 2018 
  8. Weisbrot, Mark (14 de fevereiro de 2017). «Ecuador's Left-Wing Success Story». The Nation (em inglês). ISSN 0027-8378