Martha Root

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde setembro de 2015).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Translation to english arrow.svg
A tradução deste artigo está abaixo da qualidade média aceitável. É possível que tenha sido feita por um tradutor automático ou por alguém que não conhece bem o português ou a língua original do texto. Caso queira colaborar com a Wikipédia, tente encontrar a página original e melhore este verbete conforme o guia de tradução.

Martha Louise Root (19 de Agosto de 187228 de Setembro de 1939) foi uma proeminente viajante instrutora da Fé Bahá'í no final do século XIX e no início do século XX. Shoghi Effendi, o Guardião da fé Bahá'í a caracterizou como "a principal viajante instrutora no primeiro século Bahá'í", e a nomeou, postumamente, como Mão da Causa . Conhecida por suas numerosas visitas com chefes do Estado e outras figuras públicas. Seus esforços com a Rainha Maria da Romênia foram de especial importância, e na sequência a consideraram a primeira monarca a aceitar a Fé de Bahá'u'lláh.

Infância e Juventude[editar | editar código-fonte]

Martha Root nasceu em 19 de Agosto de 1872 no Timothy e Nancy Root em Richwood, Ohio. Ela tinha dois irmãos mais velhos, Clarence e Claude. Pouco depois de seu nascimento, sua família mudou-se para Cambridgeboro, Pennsylvania, onde seu pai administrou uma fazenda de gado leiteiro. Martha, conhecida como Mattie, não era uma garota típica, já que o seu interesse era relacionado a livros, ao invés das típicas ocupações domésticas. Quando fez 14 anos, ganhou dinheiro o suficiente com suas escritas e pode pagar sua viagem para as Cataratas do Niágara. Martha se distinguiu no ensino médio e na faculdade, atendendo a Faculdade de Oberlin, onde projetou seus próprios programas; então prosseguiu para a Universidade de Chicago e adquiriu seu diploma em 1895.

Carreira de Escritora[editar | editar código-fonte]

Embora tenha começado a ensinar depois de adquirir o seu diploma, Martha deixou de dar aulas para começar a escrever para jornais diferentes. No verão de 1900, trabalhou na crônica telegráfica de Pittsburg como editora, e então no outono se dedicou aos trabalhos no jornal Pittsburgh Dispatch. Começou então a escrever sobre automóveis, o que a levou a trabalhar na França, de volta para Pittsburgh.

Introdução a Fé Bahá'í[editar | editar código-fonte]

Em 1909 conheceu Roy C. Wilhem o qual a introduziu à Fé Bahá'í ao distribuir alguns de seus livros. Enquanto pesquisava a religião, conheceu vários membros da comunidade Bahá'í, incluindo Thornton Chase e Arthur Agnew, de Chicago. Ao fim deste ano, declarou sua fé nos ensinamentos Bahá'ís e continuou escrevendo sobre o tema. Em 1909, escreveu um artigo detalhado para o Pittsburgh Post sobre a história e os ensinamentos da Fé Bahá'í. Também participou da primeira convenção anual Bahá'í, realizada em Chicago, em 1911.

Visita de `Abdu'l-Bahá nos Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Durante 1911 e 1912, `Abdu'l-Bahá, o filho do fundador da Fé Bahá'í, visitou os Estados Unidos e Canadá. Martha Root participou de várias palestras de `Abdu'l-Bahá e organizou a sua própria em Pittsburgh. Durante esse tempo, Martha Root desenvolveu um câncer de mama, mas acabou em remissão durante muitos anos.

Viagem e Ensino ao Mundo[editar | editar código-fonte]

Depois de encontrar com `Abdu'l-Bahá, Martha Root começou a viajar por diversas partes do mundo e tais viagens permitiram a propagação dos ensinamentos da Fé Bahá'í. Ela partiu os Estados Unidos no dia 30 de Janeiro de 1915, e depois de visitar alguns países da Europa, tentou visitar locais sagrados de Bahá'ísa na Palestina, mas foi impedida por conta dos obstáculos enfrentados durante a Primeira Guerra Mundial. Como alternativa, viajou para o Egito, onde morou por seis meses. Durante este tempo, escreveu artigos de jornal, viajou para Bombaim, Yangon, Japão, e Hawaii. No dia 29 de Agosto de 1915 voltou aos Estados Unidos, para San Francisco.

Depois do falecimento de seu pai, no dia 3 de Novembro de 1922, Martha começou a viajar novamente. Aos 50 anos, viajou para várias partes dos Estados Unidos, Canadá, Japão e China para espalhar os ensinamentos da Fé Bahá'í. Ela então viajou para Austrália, Nova Zelândia, Tasmânia, e Hong Kong, e ajudou pioneiros Bahá'ís a ensinar sobre a Fé Bahá'í. Ela depois viajou para a África do Sul, e foi em várias emissoras de rádio. Ela também estudou o Esperanto, e conheceu Lidia Zamenhof, a filha de Ludwik Lejzer Zamenhof, o criador do Esperanto, que depois se tornou Bahá'í.

Encontro com a Rainha Maria da Romênia[editar | editar código-fonte]

Em 1923 ela foi para Bucareste e enviou à rainha uma cópia do livro Bahá'u'lláh e a Nova Era. Dois dias depois da rainha receber o livro, a mesma concedeu uma audiência no palácio à Martha Root A rainha então aceitou a Fé Bahá'í, tornando-se a primeira monarca bahá'í.

Visita para a Terra Santa[editar | editar código-fonte]

Em 1925 Martha Root viajou para a Terra Santa Bahá'í, onde conheceu Bahíyyih Khánum e Shoghi Effendi. Esteve ainda nas Ilhas Britânicas, Alemanha, Grécia, Iugoslávia e Tchecoslováquia, mais uma vez ensinando a Fé Bahá'í. Viajou ainda para o Irã, mesmo a contragosto Shoghi Effendi. Ainda que seu sonho fosse conhecer o Xá, Reza Pahlavi, infelizmente não conseguiu realizá-lo.

Últimos Anos[editar | editar código-fonte]

Em 1930 almejou conhecer o Imperador Hirohito, do Japão, mas oficiais dos EUA não permitiram a visita. Ainda assim, Martha enviou alguns livros Bahá'ís e presentes ao imperador. Até quando estava doente, em 1937, continuou a ensinar, viajando para Hawaii, China e Índia. No ano seguinte, retornou ao Hawaii , onde veio a falecer no dia 28 de Setembro de 1939.

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • Root, Martha (1981). Táhirih A Pura (Los Angeles, USA: Kalimát Press). ISBN 1-890688-04-5. 

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Ruhe-Schoen, Janet (1998). A Love Which Does Not Wait (Riviera Beach, Florida, USA: Palabra Publications). ISBN 1-890101-17-6. 
  • Effendi, Shoghi (1944). God Passes By (Wilmette, Illinois, USA: Bahá'í Publishing Trust). ISBN 0-87743-020-9. 
  • Garis, M.R. (1983). Martha Root: Lioness at the Threshold (Wilmette, Illinois, USA: Bahá'í Publishing Trust). ISBN 0-87743-185-X. 
  • Kay Zinky (Compiler), : (1983). Martha Root: Herald of the Kingdom: A Compilation (New Delhi, India: Bahá'í Publishing Trust). ASIN B0007B5H28. 
  • Harper, Barron (1997). Lights of Fortitude Paperback ed. (Oxford, UK: George Ronald). ISBN 0-85398-413-1. 



Fé Bahá'í
Bahai star.svg
Figuras Centrais Escritos seleccionados Individualidades Instituições Ver também
The Báb
Bahá'u'lláh
Abdu'l-Bahá
Kitáb-i-Aqdas
Kitáb-i-Íqán
As Palavras Ocultas
Shoghi Effendi
Martha Root · Táhirih
Mãos da Causa
Badí' · Quddús
Rúhíyyih Khanum
Ordem Administrativa
Guardiania
Casa Universal de Justiça
Assembléia Espiritual
Simbolos · Leis
Ensinamentos
Calendário bahá'í
Lista de Artigos Bahá'ís