Tasmânia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tasmania
Tasmânia
Flag of Tasmania.svg Coat of arms of Tasmania.png
Bandeira brasão
Tasmania in Australia.svg
Língua oficial Inglês
Capital Hobart
Área: 68 401 km²
População (2009): 502 600 habitantes
Densidade populacional: 7,09 hab/km²

A Tasmânia (em inglês: Tasmania) é uma ilha e um estado da Austrália que se localiza a 240 km da costa sudeste da Austrália continental.

Com uma área total de 65 022 km², o estado contava, em 2009, com uma população de 502 600 habitantes, sendo seu crescimento 1,1%.

Hobart é a capital e a maior cidade da Tasmânia. Os outros grandes centros populacionais são Launceston, Devonport e Burnie.

História[editar | editar código-fonte]

Pré-história física[editar | editar código-fonte]

Acredita-se que a ilha fizesse parte da ilha principal até o final da mais recente era glacial, aproximadamente 10 000 anos atrás.

População indígena[editar | editar código-fonte]

A Tasmânia era, antigamente, habitada por populações indígenas, os aborígenes tasmanianos, existindo evidências que indicam sua presença nesse território, que mais tarde se tornaria uma ilha, há pelo menos 35 000 anos. A população indígena, em 1803, na época da colonização britânica, foi estimada em 5000. Os aborígenes da Tasmânia não produziam fogo ou armas e, por isso, eram considerados pelos colonizadores europeus como sendo uma raça inferior. A limpeza étnica era vista como algo necessário para evitar a contaminação da humanidade por raças inferiores e os aborígenes foram caçados como animais. Sua pele foi usada para produzir couro, adultos foram esterilizados e muitos morreram em consequência de doenças. A população foi dizimada, mas alguns descendentes mestiços ainda sobrevivem. O impacto das doenças introduzidas, anteriores às primeiras estimações europeias sobre a população da Tasmânia, significa que a população indígena original poderia ter sido algo superior a 5000. O último aborígene de sangue puramente tasmaniano foi Truganini - que morreu em Hobart em 1876.

A chegada dos europeus[editar | editar código-fonte]

O primeiro europeu a avistar a Tasmânia de maneira comprovada foi o explorador neerlandês Abel Tasman em 24 de novembro de 1642, o qual chamou a ilha de Anthoonij van Diemenslandt em homenagem a seu patrocinador, o Governador-geral das Índias Orientais Neerlandesas. O nome foi mais tarde encurtado para Terra de Van Diemen (Van Diemens Land) pelos britânicos. O Capitão Marc-Joseph Marion du Fresne também avistou a ilha em 1772, James Cook em 1777, Antoine Raymond Joseph de Bruni d'Entrecasteaux em 1792 e 1793, Nicolas Baudin em 1802 e diversos outros navegadores europeus acostaram na ilha.

A primeira colônia foi iniciada pelos britânicos em Risdon Cove na margem oriental do estuário do Derwent em 1803 por um pequeno grupo enviado de Sydney sob o comando do tenente John Bowen. Uma segunda colônia foi estabelecida pelo capitão David Collins 5 km ao sul da primeira em 1804 em Sullivan's Cove na margem ocidental do Derwent onde a água doce era mais abundante. Esta última colônia ficou conhecida como Hobart Town ou Hobarton, mais tarde encurtado para Hobart, em homenagem ao secretário colonial britânico da época, Lord Hobart. A colônia de Risdon foi mais tarde abandonada.

Os primeiros colonos eram, na grande maioria, presidiários e seus guardas militares, com a missão de desenvolver a agricultura e outras atividades. Diversas outras colônias penais foram estabelecidas em Van Diemen's Land, incluindo prisões secundárias, como as particularmente severas colônias penais de Port Arthur no sudeste e Macquarie Harbour na costa oeste.

Van Diemen's Land foi proclamada uma colônia à parte da Nova Gales do Sul, com seu próprio sistema judiciário e conselho legislativo em 3 de dezembro de 1825.

Atenção mundial[editar | editar código-fonte]

Embora esteja raramente nas manchetes dos jornais, a Tasmânia atraiu a atenção mundial diversas vezes, principalmente durante a década de 1970, quando o governo da época anunciou planos para inundar o Lago Pedder, de grande importância ambiental; em 29 de abril de 1996, quando o caçador Martin Bryant abriu fogo, matando 35 turistas e residentes e ferindo 37 outras pessoas, em um incidente hoje conhecido como o Massacre de Port Arthur; e, mais recentemente, com o casamento da antiga cidadã de Hobart, Mary Donaldson, com Frederico, Príncipe Herdeiro da Dinamarca, em 14 de maio de 2004.

Geografia[editar | editar código-fonte]

A Tasmânia vista do espaço (cortesia NASA).

A Tasmânia é uma ilha acidentada de clima temperado, tão similar ao da Inglaterra no período pré-industrial que alguns colonos ingleses chamavam-na a "Inglaterra do Sul".

Geograficamente, a Tasmânia é similar à Nova Zelândia a leste. Como a Tasmânia não teve atividade vulcânica nas recentes eras geológicas, ela tem montanhas arredondadas semelhantes às encontradas no interior da Austrália, ao contrário da maior parte da Nova Zelândia. A parte mais elevada é a região central, que cobre a maior parte do centro-oeste do Estado. A área centro-leste é plana, sendo usada principalmente para a agricultura, embora atividades pecuárias existam no estado.

A região sudoeste, em particular, tem uma grande densidade de florestas, com o Parque nacional do Sudoeste apresentando uma das últimas florestas temperadas do hemisfério sul. O gerenciamento dessas áreas tão afastadas e isoladas foi facilitado com o uso de imagens de satélite.

A maior parte da população vive em torno dos rios - os rios Derwent e rio Huon no sul, os rios Tamar e Mersey no norte.

O clima temperado (é o único estado australiano com terra abaixo da latitude 40°), ambiente rústico e diversas atrações históricas (por exemplo, a ponte de Richmond, no sudeste tasmaniano, é a mais velha ponte de toda a Austrália) tornaram a Tasmânia uma escolha popular para aposentados que preferem um clima temperado a um tropical, como o de Queensland.

Religião[editar | editar código-fonte]

Segundo o Censo de 2006,1 61,84% dos habitantes da Tasmânia professavam alguma religião. Destes:

Governo[editar | editar código-fonte]

A forma de governo da Tasmânia está prevista na sua Constituição, que data de 1856, apesar de ela ter sido modificada muitas vezes desde então. Desde 1901, a Tasmânia é um estado do Commonwealth da Austrália.

A constituição australiana regulamenta sua relação com o Commonwealth. Sob a constituição australiana, a Tasmânia cedeu certos poderes legislativos e judiciários ao Commonwealth, mas manteve completa independência em todas as outras áreas. Na prática, no entanto, a independência dos estados australianos tem sido grandemente diminuída pela dominação financeira crescente do Commonwealth.

Referências

  1. Australian Bureau of Statistics

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Edward Duyker, The Discovery of Tasmania: Journal Extracts from the Expeditions of Abel Janszoon Tasman and Marc-Joseph Marion Dufresne 1642 & 1772, St David's Park Publishing/Tasmanian Government Printing Office, Hobart, 1992, ISBN 0 7246 2241 1.
  • Edward Duyker An Officer of the Blue: Marc-Joseph Marion Dufresne 1724—1772, South Sea Explorer, Miegunyah/Melbourne University Press, Melbourne, 1994, ISBN 0 522 84565 7.
Commons
O Commons possui multimídias sobre Tasmânia