Colônia penal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Epigrafia em honra a um prisioneiro na colônia penal australiana de Botany Bay.

Uma colônia penal é um assentamento humano usado para exilar prisioneiros e separá-los da população em geral, colocando-os em um local remoto, muitas vezes, uma ilha distante ou território colonial. Embora o termo possa ser usado para se referir a uma instituição correcional localizado em um local remoto, é mais comumente usado para se referir às comunidades de prisioneiros controlado por guardas ou governadores com autoridade absoluta.

Colónia penal nas Ilhas Andaman (c. 1895)

Historicamente colônias penais têm sido frequentemente usadas para o trabalho penal na parte economicamente subdesenvolvida do Estado (geralmente colonial) territórios, e em uma escala muito maior do que uma fazenda de prisão.[1]

Na prática, essas colônias penais podem ser pouco mais do que as comunidades de escravos. Os impérios britânico, francês e outros impérios coloniais utilizaram a América do Norte e outras partes do mundo, como a Austrália, como colônias penais em diversos graus, algumas vezes sob o disfarce de servidão ou sistema similar.[2]

Referências

  1. Les îles du Salut
  2. Ekirch, A. Roger; Bound For America: The Transportation of British Convicts to the Colonies, 1718-1775; Oxford University Press



Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.