Mel (canção)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
"Mel"
Canção de Maria Bethânia
do álbum Mel
Gravação Novembro de 1979
Gênero(s) MPB
Duração 3:50
Gravadora(s) PolyGram / Philips Records
Letra Waly Salomão
Composição Caetano Veloso
Produção Maria Bethânia / Perinho Albuquerque
Faixas de Mel
Ela e Eu
(2)

"Mel" é uma canção de MPB com letra escrita por Waly Salomão e música composta por Caetano Veloso. A canção faz parte do repertório da cantora Maria Bethânia, que a lançou em 1979 no seu famoso álbum de mesmo nome, e desde então é um dos seus maiores sucessos.

Informações[editar | editar código-fonte]

Ainda colhendo os frutos do sucesso do álbum Álibi (1978), Maria Bethânia, durante a preparação do seu disco de 1979, pediu uma canção ao seu amigo Waly Salomão. Bethânia já havia gravado duas canções dele: "Anjo Exterminado" (em parceria com Jards Macalé) no álbum Drama - Anjo Exterminado (1972) e "A Voz de Uma Pessoa Vitoriosa" (em parceria com Caetano Veloso) no álbum Álibi.[1]

Quando Bethânia pediu a canção, Waly estava tenso e nada conseguia escrever. Ele relatou o problema por telefone a Caetano, e esse contou a Bethânia, conselhando-a a desistir. A cantora respondeu que queria Waly mil vezes mais tenso, pois assim sairia uma coisa bonita. Waly, irritado, desligou o telefone. Horas depois, Waly entregava a letra inteira e então Caetano a musicou. Segundo Waly Salomão, ele já buscava a letra, mas precisava da "precipitação", do "raio", no caso a "ira" de Bethânia, para acontecer.[2]

"Mel" tornou-se a faixa de abertura do disco de 1979 de Maria Bethânia, além de dar nome ao álbum. Na canção, a personagem se entrega com prazer a uma mulher que ela chama de Abelha-rainha, como um súdito. Há na letra, vários nomes de tipos de abelhas que Waly pesquisara. A letra repete-se duas vezes na gravação. O nome "Abelha-rainha", que está presente no primeiro verso da canção, tornou-se um apelido para a cantora: "Abelha-rainha da MPB". A dupla responsável pela canção, também criou, mais tarde, outros temas de Maria Bethânia, alguns, que também deram nome a álbuns dela: "Talismã" (1980), "Alteza" (1981), "Da Gema" (1984), "Olho d'Água" (1992).

Em 1984, o cantor norte-americano de origem portoriquenha Willie Colón, fez uma versão em espanhol da letra, chama "Miel", e a gravou em seu disco Criollo. Em 1998, ele gravou novamente a canção para o disco Demasiado Corazón. Nesse mesmo ano, Caetano Veloso cantou ao vivo essa versão no show Prenda Minha, que foi lançado em CD e DVD no ano seguinte. [3]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Discografia de Maria Bethânia». www.CantorasdoBrasil.com.br. Consultado em 17 de Março de 2012 
  2. «- Entrevista de Waly e Bethânia para Leda Nagle». www.YouTube.com.br 
  3. «Gravações da canção Mel». CaetanoenDetalle.blogspot.com.br. Consultado em 17 de Março de 2012 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma canção é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.