Miltonia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaMiltonia
Miltonia spectabilis

Miltonia spectabilis
Classificação científica
Domínio: Eukaryota
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Asparagales
Família: Orchidaceae
Género: Miltonia
Lindl. 1837
Espécies
ver texto
Sinónimos
Macrochilus Knowles & Westc.
Anneliesia Brieger & Lückel
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Miltonia
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Miltonia

Miltonia (em português: Miltônia) é um género botânico pertencente à família das orquídeas (Orchidaceæ). Foi proposto por John Lindley em Edwards's Botanical Register 23: t. 1976, em 1837, ao descrever a Miltonia spectabilis, sua espécie tipo.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome é uma homenagem ao orquidófilo inglês Charles Wentworth-Fitzwilliam (17861857), 5º Conde de Fitzwilliam e Visconde de Milton, que teve seu nome latinizado para Carolus Excelsus Gulielmulus – “Vicecomes Miltonius”.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Anos atrás Miltonia subordinava diversas espécies de clima mais frio, do noroeste da América do Sul e outras da América Central que acabaram por serem removidas para outros gêneros, a maioria para Miltoniopsis, hoje considerados mais próximos de Cyrtochilum. As espécies remanescentes são dez. As espécies deste género são por vezes referidas como orquídeas amores perfeitos, mas as flores das miltoniopsis são as que mais se assemelham aos amores-perfeitos. É muito comum usar esta designação para qualquer dos géneros, o que pode gerar confusão.

As miltonia assemelham-se mais às oncidiums do que as miltoniopsis. A miltonia mais semelhante a um amor perfeito é a espécie Miltonia spectabilis. Os taxonomistas debatem hoje se deverão juntar o género miltonia ao género oncidium devido aos muitos pontos comuns entre ambos.

Distribuição[editar | editar código-fonte]

Estas robustas orquídeas epífitas, de crescimento cespitoso, ocorrem desde o centro do Brasil até à Argentina. Elas habitam tanto as matas mais secas como as úmidas e formam, quase sempre, touceiras respeitáveis, não raro cobrindo troncos e ramos inteiros e largas superfícies.

Descrição[editar | editar código-fonte]

As Miltonia apresentam rizoma algo mais curto que as Brassia e Aspasia. Seus pseudobulbos, ovais, alongados, bastante comprimidos lateralmente, são parcialmente recobertos por Baínhas foliares, com uma ou duas folhas no ápice. As folhas são mais estreitas, delgadas e alongadas que as das Brassia. A inflorescência brota das axilas das Baínhas que recobrem os pseudobulbos, ereta, racemosa, contendo uma flor solitária ou até quinze flores de tamanho médio a grande, bastante duráveis, mais ou menos espaçadas, normalmente vistosas.

As pétalas e sépalas algo parecidas mas diferentes entre si, bastante variáveis em seu formato, em regra eretas, por vezes coniventes. Apresentam labelo inteiro, algumas vezes levemente lobado, em regra muito largo, colorido, e vistoso, desprovido de calosidades, mas podendo apresentar leve engrossamento estriado ou carinífero próximo da base. Sua coluna não tem pé e contêm duas polínias rígidas. As flores possuem um odor suave e exótico.

As miltonia preferem um clima mais quente e são mais fáceis de cultivar que as miltoniopsis. Estes dois géneros formam um híbrido x Milmiltonia J.M.H.Shaw. Existem híbridos naturais entre várias espécies de Miltonia e estas têm sido utilizadas freqüentemente na produção de novidades vistosas.

Phymatochilum brasiliense[editar | editar código-fonte]

Phymatochilum brasiliense

Em 2001, com base em resultados de análises filogenéticas o gênero recebeu o acréscimo de mais uma espécie, previamente classificada como Oncidium phymatochilum, a ser classificada como Miltonia phymatochila. Espécie de morfologia por demais divergente das outras Miltonia, esta proposta não encontrou eco entre muitos taxonomistas. Em 2005 Eric Christenson propôs um novo gênero uniespecífico para ela, que seria então denominada Phymatochilum brasiliense.

O Phymatochilum brasiliense não guarda praticamente nenhuma semelhança com as outras espécies subordinadas a este gênero. Apresenta pseudobulbos e folhas muito mais robustos. O rizoma é bastante curto e os pseudobulbos agregados, ovóides, curtos, lateralmente comprimidos, mas muito carnosos e fibrosos, arredondados, de cor muito mais escura, com matizes amarronzados, monofoliados, com folha larga, coriácea e bastante grande, no aspecto geral lembrando muito a vegetação da Maxillaria setigera. A inflorescência é paniculada, muito mais alta que as folhas, com mais de uma centena de pequenas flores espaçadas que a primeira vista lembram Oncidium, porém têm sépalas e pétalas eretas, onduladas, e longamente acuminadas.

Espécies[editar | editar código-fonte]

Miltonia Lindl., Edwards's Bot. Reg. 23: t. 1976 (1837).

Híbridos naturais[editar | editar código-fonte]

  • Miltonia × bluntii Rchb.f. (1879) (= Miltonia clowesii × Miltonia spectabilis) (Brasil)
  • Miltonia × cogniauxiae Peeters ex Cogn. & Gooss. (1900) (Miltonia regnellii × Miltonia spectabilis) (Brasil)
  • Miltonia × cyrtochiloides Barb.Rodr. (1877) (Miltonia flavescens × Miltonia spectabilis) (Brasil)
  • Miltonia × lamarckeana Rchb.f. (1885) (Miltonia candida × Miltonia clowesii) (Brasil)

Híbridos intergenéricos[editar | editar código-fonte]

  • xAliceara (Brassia x Miltonia x Oncidium)
  • xAspodonia (Aspasia x Miltonia x Odontoglossum)
  • xBakerara (Brassia x Miltonia x Odontoglossum x Oncidium)
  • xBeallara (Brassia x Cochlioda x Miltonia x Odontoglossum)
  • xBiltonara (Ada x Cochlioda x Miltonia x Odontoglossum)
  • xBlackara (Aspasia x Cochlioda x Miltonia x Odontoglossum)
  • xBrilliandeara (Aspasia x Brassia x Cochlioda x Miltonia x Odontoglossum x Oncidium)
  • xBurrageara (Cochlioda x Miltonia x Odontoglossum x Oncidium)
  • xCharlesworthara (Cochlioda x Miltonia x Oncidium)
  • xColmanara (Miltonia x Odontoglossum x Oncidium)
  • xCrawshayara (Aspasia x Brassia x Miltonia x Oncidium)
  • xDegarmoara (Brassia x Miltonia x Odontoglossum)
  • xDerosaara (Aspasia x Brassia x Miltonia x Odontoglossum)
  • xDuggerara (Ada x Brassia x Miltonia)
  • xDunningara (Aspasia x Miltonia x Oncidium)
  • xForgetara (Aspasia x Brassia x Miltonia)
  • xGoodaleara (Brassia x Cochlioda x Miltonia x Odontoglossum x Oncidium)
  • xMaunderara (Ada x Cochlioda x Miltonia x Odontoglossum x Oncidium)
  • xMilpasia (Aspasia x Miltonia)
  • xMilpilia (Miltonia x Trichopilia)
  • xMiltada (Ada x Miltonia)
  • xMiltadium (Ada x Miltonia x Oncidium)
  • xMiltarettia (Comparettia x Miltonia)
  • xMiltassia (Brassia x Miltonia)
  • xMiltistonia (Baptistonia x Miltonia)
  • xMiltonidium (Miltonia x Oncidium)
  • xMiltonioda (Cochlioda x Miltonia)
  • xMorrisonara (Ada x Miltonia x Odontoglossum)
  • xNorwoodara (Brassia x Miltonia x Oncidium x Rodriguezia)
  • xOdontonia (Miltonia x x Odontoglossum)
  • xRodritonia (Miltonia x Rodriguezia)
  • xSauledaara (Aspasia x Brassia x Miltonia x Oncidium x Rodriguezia)
  • xSchafferara (Aspasia x Brassia x Cochlioda x Miltonia x Odontoglossum)
  • xSchilligerara (Aspasia x Gomesa x Miltonia)
  • xSegerara (Aspasia x Cochlioda x Miltonia x Odontoglossum x Oncidium)
  • xVanalstyneara (Miltonia x Odontoglossum x Oncidium x Rodriguezia)
  • xVuylstekeara (Cochlioda x Miltonia x Odontoglossum)
  • xWithnerara (Aspasia x Miltonia x Odontoglossum x Oncidium)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • L. Watson and M. J. Dallwitz, The Families of Flowering Plants, Orchidaceae Juss.