Mitragyna speciosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaMytragina speciosa
Kratom
Kratom
Classificação científica
Como ler uma infocaixa de taxonomiakratom em pó
kratom em pó
kratom em pó
Classificação científica
Como ler uma infocaixa de taxonomiaFolhas desidratadas do kratom
Folhas de kratom
Folhas de kratom
Classificação científica
Como ler uma infocaixa de taxonomiakratom
Árvore de kratom
Árvore de kratom
Classificação científica

Mitragyna speciosa ou Kratom - (Thai: กระท่อม), é uma planta da família Rubiaceae cujas folhas possuem propriedades medicinais e são utilizadas na Malásia e na Tailândia com propriedades relaxantes e psicoativas. As folhas são extraídas de uma árvore nativa do sudeste da Ásia, e pertence a mesma família do café (Rubiaceae).

O kratom pode ser encontrado nas seguintes formas:

  • Resina
  • Folhas desidratadas
  • Extratos líquidos
  • Extratos fortificados em pó
  • Folhas desidratadas em pó

Uso tradicional[editar | editar código-fonte]

As folhas da Kratom tem sido usada desde tempos mais remotos por povos da Ásia. Outros nomes dessa planta são kakuam, ithang, thom ou krathom (Tailândia), biak-biak ou ketum (Malásia), e mambog (Filipinas).

O Kratom nessa região é utilizado na medicina popular como estimulante, sedativo, analgésico, no tratamento de diarréia, mais raramente para aumentar a duração do coito e desde finais do século XIX tem sido utilizado no tratamento de dependentes de ópio, uma vez que a planta possui alcalóides que amenizam a dependência dessa droga.[1][2][3]

Componentes ativos[editar | editar código-fonte]

Nas folhas da Kratom estão presentes muitos alcalóides indólicos com potente atividade agonística com opióides, entre eles os mais importantes são a mitragynine e 7-hydroxymitragynine que são os responsáveis pelos efeitos analgésicos, sedativos e estimulantes. Esses alcalóides ativos possuem ambos os efeitos estimulantes e sedativos.[4][5]

Legalidade[editar | editar código-fonte]

Em Portugal, segundo Legislação Farmacêutica Portuguesa, o Kratom é uma das novas substâncias psicoativas, incluindo-se na classe das “PLANTAS E RESPETIVOS CONSTITUINTES ATIVOS”: Mitragyna speciosa (Kratom e respetivos constituintes psicoativos: mitraginina e 7-hidroximitraginina).[6]

Efeitos[editar | editar código-fonte]

Os efeitos de Mitragyna speciosa são descritos como sendo uma combinação de estimulação e sedação. Os efeitos estimulatórios podem ter duração mais curta que o efeito de sedação, chegando mais rápido e desaparecendo mais cedo.

Positivos

  • Estimulação e sedação simultâneas
  • Sentimentos de empatia
  • Sentimentos de euforia
  • Qualidades afrodisíacas para algumas pessoas
  • Sonhos vívidos de vigília
  • Útil com trabalho físico
  • Doses baixas podem resultar em um "brilho" duradouro em algumas pessoas, sentindo-se melhor do que o normal no dia seguinte
  • Aumenta a sociabilidade e a capacidade de falar

Neutros

  • Duração relativamente curta
  • Mudança na capacidade de focar os olhos
  • Analgesia

Negativos

  • Sabor muito amargo
  • Tonturas, náuseas e / ou vômitos em doses mais altas
  • Depressão leve durante e / ou após
  • Aumento da temperatura corporal (percebida). (sinta-se quente e suado)
  • Ressaca semelhante ao álcool, incluindo dores de cabeça e às vezes náusea (em doses mais altas)
  • O desejo de repetir a experiência com mais frequência do que o pretendido pode levar ao vício
  • A tolerância aumenta rapidamente após alguns dias seguidos de uso repetido, a tolerância aos efeitos reduz com um a três dias de abstinência
  • Psicose
  • Convulsões
  • Alucinações
  • Confusão (rara)
  • Perda de apetite e perda de peso (uso crônico)
  • Prisão de ventre (uso crônico)
  • Escurecimento da cor da pele do rosto (uso crônico)

Usuários crônicos também relataram sintomas de abstinência, incluindo irritabilidade, coriza e diarréia. A retirada é geralmente de curta duração e leve, e pode ser efetivamente tratada com di-hidrocodeína e lofexidina.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Suwanlert, Sangun (1975). «A Study of Kratom Eaters in Thailand». Bulletin on Narcotics. 27 (3): 21-27 
  2. Jansen, Karl L.R.; Colin J. Prast (4 de janeiro de 1988). «Ethnopharmacology of Kratom and the Mitragyna Alkaloids». Journal of Ethnophamacology. 23 (1): 115-119. ISSN 0378-8741. PMID 3419199 
  3. JANSEN, Karl L.R.; PRAST Colin J. E thnopharmacology of kratom and the mitragyna alkaloids (Letter to the Editors). Journal of Ethnopharmacology, 23 (1988) 115-119. PDF - Out. 2012[ligação inativa]
  4. TAKAYAMA, Hiromitsu. Chemistry and Pharmacology of Analgesic Indole Alkaloids from the Rubiaceous Plant, Mitragyna speciosa. Chem. Pharm. Bull. 52(8) 916—928 (2004) Vol. 52, No. 8 PDF - Out. 2012
  5. WATANABE, Kazuo; YANO, Shingo; HORIE, Syunji; YAMAMOTO, Leonardo T.. Inhibitory effect of mitragynine, an alkaloid with analgesic effect from thai medicinal plant Mitrugyna speciosu, on electrically stimuiated contraction of isolated guinea-pig leum through the opioid receptor. Life Sciences, Vol. 60, No. 12, pp. 933442, 1997. PDF - Out. 2012
  6. «toxicologia-ffup.wix.com/kratom» 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Mitragyna speciosa

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre plantas é um esboço relacionado ao Projeto Plantas. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.