Moron (prato)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Morón (desambiguação).
Moron
Categoria Sobremesa
País Filipinas
Região Visays Oriental
Ingrediente(s)
principal(is)
  • Arroz glutinoso
  • leite de coco
  • açúcar
  • chocolate
Variações Suman
Receitas: Moron   Multimédia: Moron

Na culinária das Filipinas, moron, moron de chocolate ou muron é um bolo de arroz semelhante ao sumon.[1][2][3] Esta sobremesa é nativa na culinária de Visayas Oriental, Tacloban, Leyte e Samar Oriental.[4] No entanto, as demais regiões filipinas possuem versões próprias deste prato.[5] Especificamente, o moron é um dos produtos locais da região de Mambajao, na ilha de Camiguin.[6][7]

Devido à semelhança com o suman, o moron é cozinhado com arroz glutinoso, leite de coco e açúcar.[8] A principal diferença entre os dois pratos é que o moron é acompanhado por tabletes de chocolate ou misturado com cacau em pó. Além de levar uma pitada de baunilha, é consumido acompanhado de café ou sikwate, bebida achocolatada nativa.[9]

Preparo[editar | editar código-fonte]

Os principais ingredientes do moron consistem em arroz glutinoso (conhecido localmente como malagkit), arroz comum, leite de coco, açúcar, chocolate ou cacau em pó e manteiga derretida. O cozimento do malagkit e o arroz comum, ambos os ingredientes devem ser embebidos durante a noite e moídos no dia seguinte. O arroz moído é embebido em leite de coco até ficar macio. Depois disso, adiciona-se açúcar e chocolate em pó. Após o cozimento em fogo baixo, a mistura, quando em consistência grossa, é reservada em ambiente frio.[1][4]

Depois de cozinhar a mistura, as folhas de banana são preparadas e cortadas para embalar a mistura. Sugere-se que haja duas colheres de sopa da mistura de arroz em cada uma das folhas cortadas de banana. Todas as peças recebem madeira derretida. Depois do embrulho da peça, esta é selada como uma corda. Por fim, as peças de moron são cozidas através de vaporização por cerca de meia hora. Depois de resfriada, pode ser servida.[1][4]

Consumo[editar | editar código-fonte]

Geralmente, vende-se o moron em pacotes de quatro peças que são embaladas individualmente. Os turistas de Leyte costuma mcomprar um moron com um pasalubong, uma espécie tradicional de presente para parentes e amigos. Nos lugares originários do moron, geralmente o prato é servido em festivais, festas de aniversário e funerais. Os visitantes dos locais originários do moron levam, na maioria das vezes, o prato para suas casas. A comida também é um meio de troca de boa vontade na cidade de Tacloban e nos municípios vizinhos de Palo, Tanauan, Tolosa, Dulag, Mayorga e Abuyog.[2]

As agências governamentais das Filipinas provem e apoiam produtos produzidos localmente, como o moron. O Departamento de Ciência e Tecnologia das Filipinas defende a vigência de produtos alimentares. Por outro lado, o Departamento do Comércio e Indústria das Filipinas realiza feiras para desenvolver e promover produtos semelhantes ao moron. O Departamento de Trabalho e Emprego das Filipinas, entretanto, criou um projeto em Mambujao que promoveu a produção de moron.[10][11]

Referências

  1. a b c Dizon, Angeli Korina M. (6 de janeiro de 2017). «Chocolate Moron». The Freeman. Consultado em 28 de novembro de 2017. – via The Philippine Star 
  2. a b Pastrano, Mozart (27 de fevereiro de 2014). «Tacloban's 'moron' lives on». Philippine Daily Inquirer (em inglês). Consultado em 28 de novembro de 2017. 
  3. De Guzman, Nicai (15 de junho de 2017). «A Comprehensive Crash Course to Kakanin». Esquiremag.ph. Consultado em 28 de novembro de 2017. 
  4. a b c Caspe, Mel (18 de dezembro de 2016). «'Moron' draws more tourists to Leyte, E. Samar». Manila Standard (em inglês). Consultado em 28 de novembro de 2017. 
  5. «Suman de Moron | Viva Travel Action». vivata.com.au (em inglês). 18 de julho de 2012. Consultado em 28 de novembro de 2017. 
  6. «Department of Labor and Employment - Ro Polo Updates». www.dole.gov.ph. Department of Labor and Employment of the Philippines. 2 de julho de 2015. Consultado em 28 de novembro de 2017. 
  7. «Mindanao Daily News – DOLE-X assisted suman moron: Camigueños trending 'kakanin'». www.mindanaodailynews.com (em inglês). 5 de março de 2015. Consultado em 28 de novembro de 2017. 
  8. Fernandez, Rudy A. (22 de junho de 2009). «Tourist spots known for delicacies, too». The Philippine Star. Consultado em 28 de novembro de 2017. 
  9. Uy, Amy A. (1 de setembro de 2013). «Rice cakes, roscas, and more eats at the Samar Food Fest». GMA News Online (em inglês). Consultado em 28 de novembro de 2017. 
  10. «DOST pushes longer shelf life for Leyte's food products». ptvnews.ph. 15 de novembro de 2017. Consultado em 28 de novembro de 2017. 
  11. «DTI-Eastern Visayas to conduct Bahandi Regional Trade Fair 2015». Sun.Star (em inglês). 28 de agosto de 2015. Consultado em 28 de novembro de 2017.