Murici dos Portelas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Município de Murici dos Portelas
Bandeira de Murici dos Portelas
Brasão indisponível
Bandeira Brasão indisponível
Hino
Aniversário 14 de dezembro
Fundação 14 de dezembro de 1995
Gentílico muriciense
Prefeito(a) Ricardo do Nascimento Martins Sales (PSD)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Murici dos Portelas
Localização de Murici dos Portelas no Piauí
Murici dos Portelas está localizado em: Brasil
Murici dos Portelas
Localização de Murici dos Portelas no Brasil
03° 19' 08" S 42° 05' 38" O03° 19' 08" S 42° 05' 38" O
Unidade federativa Piauí
Mesorregião Norte Piauiense IBGE/2008[1]
Microrregião Litoral Piauiense IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Buriti dos Lopes, Caxingó, Joaquim Pires e Estado do Maranhão
Distância até a capital Não disponível
Características geográficas
Área 481,521 km² [2]
População 8 464 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 17,58 hab./km²
Altitude 19 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,494 muito baixo PNUD/2000[4]
PIB R$ 23 013,801 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 2 921,65 IBGE/2008[5]

Murici dos Portelas é um município brasileiro do Estado do Piauí.

História[editar | editar código-fonte]

De acordo com a lei estadual nº 4810, de 14 de dezembro de 1995, o local foi promovido à categoria de distrito e de município, sendo assim desmembrado dos municípios de Esperantina, Buriti dos Lopes e Joaquim Pires.[6] Mas a verdade é que a história do Murici começa muito antes disso. De acordo com o Prof Elione Sales, que fez inúmeras pesquisas sobre a origem do município, a história desta encantadora cidade começa em meados de 1800 quando o Sr. Francisco José de Oliveira Portela chega na região e começa a demarcar território, criando uma poderosa fazenda. Com o tempo começou a se formar uma pequena vila que no século XX tornou-se município de Buriti dos Lopes, fazendo com que os herdeiros perdessem muito poder na região, mas trouxe muitos benefícios.

O que favoreceu bastante a emancipação da cidade, foi a gestão do Então prefeito de Buriti dos Lopes na época, Guilherme Portela, que foi levando água, luz e favorecendo assim, o seu desmembramento.

Hoje com quinze anos de idade ainda encontra-se como uma das cidades mais pobres do Piauí, pelo seu pouco desenvolvimento social.

Lista de ex-prefeitos de Murici dos Portelas[editar | editar código-fonte]

  • Otávio Escórcio Gomes Neto (1997-2004)

Ex vereador, filho de fazendeiro (Bibi Escórcio) da região Neto Escórcio, como é conhecido, foi o primeiro gestor da cidade. Presenciando os primeiros anos de vida da cidade.

  • Auridéa Santos Portela (2005-2012)

Professora e ex vereadora, descendente de Chamurro (localidade próxima da sede) foi a primeira mulher a chefiar o município, tendo dois mandatos.

  • Ricardo Sales (2013-2016)

Vindo de Teresina, no entanto com descendência de Caiçara dos Amorins, médico ganhou as eleições de 2012 e é o atual gestor.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localizado na microrregião do Litoral Piauiense, compreendendo uma área irregular de 481,521 km², tendo como limites o estado do Estado do Maranhão (Magalhães de Almeida) ao norte, ao sul com Joaquim Pires e Caxingó, a oeste com Joaquim Pires e Estado do Maranhão e, a leste, Caxingó.

A sede municipal tem as coordenadas geográficas de 03o19’08” de latitude sul e 42o05’38” de longitude oeste e dista cerca de 261 km de Teresina e 90 km de Parnaíba. Tem uma população de 8.510 habitantes.

Clima[editar | editar código-fonte]

Temperatura mínima de 25 °C e máxima de 35 °C, podendo ultrapassar esse valor no verão.

O ciclo de chuvas não é muito exato podendo iniciar nos meses de janeiro ou fevereiro e prolongando-se até o mês de junho. No verão o Sol castiga e para piorar a umidade do ar diminui, deixando o clima mais quente. Nos últimos anos a taxa pluviométrica tem diminuído prejudicando a agricultura arcaica.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O município é banhado pelo Rio Parnaíba. Além disso é composta por lagoas e riachos temporários. Um exemplo é a lagoa do Listrin (localizado em Touros), lagoa do Socego (em Santana), Maçanzeira, que é um riacho temporário que se encontra na sede do município.

No inverno o Rio Parnaíba transborda causando enchentes, que por muitas cobrem vastas áreas do município. No período de vazão, os pescadores aproveitam, pois nesse período há uma grande quantidade de peixes. Também os lavradores de arroz e feijão aproveitam para cultivarem, ajudando a crescer a economia local.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia é baseada na agropecuária e prefeitura municipal. As atividades comerciais realizadas na cidade restringem-se a comércios de vários gêneros, sendo a fonte de renda da população proveniente da prefeitura, Bolsa Família e agropecuária.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. «CityBrazil - Murici dos Portelas - História da Cidade». Consultado em 11 de outubro de 2008. Arquivado do original em 3 de março de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]