Noigandres

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Noigandres foi um grupo de poetas formado em 1952, em São Paulo, Brasil. Era integrado por Haroldo de Campos, Décio Pignatari, Augusto de Campos[1] e, posteriormente, por Ronaldo Azeredo e José Lino Grünewald. Com este grupo inicia-se o movimento da Poesia Concreta, no Brasil, e constitui-se uma teoria sobre o movimento, cujo órgão era a revista Noigandres e Invenção (1952-1962).

A enigmática palavra noigandres, que aparece em um dos poemas do trovador Arnaut Daniel, serviu de título da revista divulgadora e nome do grupo da poesia concreta. Henri Pascal de Rochegude, autor de Essai d'un glossaire occitanien: pour servir à l'intelligence des poésies des Troubadours, um dicionário publicado em Toulouse (1819), registra a palavra como significando 'noz moscada'[2]; todavia, existe a hipótese de que se trate de um simples erro de ortografia.[3]

Esta é a versão mais aceita dos versos do trovador, de onde se extraiu a palavra:

«Er vei vermeills, vertz, blaus, blancs, gruocs,

vergiers, plais, plans, tertres e vaus;

e'il votz dels auzels son'e tint

ab doutz acort maitin e tart:

so'm met en cor q'ieu colore mon chan

d'un'aital flor don lo fruitz si'amors

e jois lo grans e l'olors de noigandres»

Referências

  1. La vanguardia de la vanguardia
  2. Rochegude, Henri Pascal de Chez Benichet cadet, Imprimeur-libraire., 1819 Essai d'un glossaire occitanien: pour servir à l'intelligence des poésies des troubadours
  3. Hernández Busto, Ernesto ; Sánchez Mejías, Rolando (31 de outubro de 2003). «Epitafio para Haroldo, el traductor». Letras Libres 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço relacionado ao Projeto Literatura. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.