Ocimum gratissimum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaManjericão
Ocimum gratissimum florido
Ocimum gratissimum florido
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Lamiales
Família: Lamiaceae
Género: Ocimum
Espécie: O. gratissimum
Nome binomial
Ocimum gratissimum
L.

Ocimum gratissimum, popularmente conhecida como alfavacão, alfavaca-cravo, manjericão-cheiroso ou simplesmente alfavaca ou manjericão, é uma espécie do gênero Ocimum,[1] provavelmente originária da Índia e subespontânea em todo o Brasil.[2]

Usos medicinais[editar | editar código-fonte]

O óleo essencial de Ocimum gratissimum contém 70-80% de eugenol (Gupta, 1994; Lorenzi & Matos, 2002), sendo importante a para a produção comercial de eugenol na Índia, onde vem sendo cultivada. A planta mostra alguma evidência de atividade antibacteriana, sendo bastante utilizada na medicina, indústria e agricultura em função das propriedades antifúngica, antibacteriana, antidiarreica, hipoglicemiante e antiinflamatória. Apresenta ainda, ação antisséptica local, sendo utilizada como aromatizante bucal.[3]

Testes em cobaias provaram que o óleo essencial relaxa os músculos do intestino delgado, de acordo com o uso tradicional da planta para o tratamento de distúrbios gastrointestinais[4] e do trato urinário.[5] O banho preparado com as folhas é usado externamente para combater qualquer tipo de micose. O xarope das folhas com mel é usado contra tosses, dores de cabeça e bronquites. A decocção das raízes é usada contra diarreias, distúrbios do estômago, dores de cabeça e como sedativo para crianças. O xarope preparado com as raízes é indicado contra tosses e dores de cabeça.[6]

Uso culinário[editar | editar código-fonte]

É uma planta com diversas aplicações na área da culinária, é utilizada em molhos de macarrão, pizzas e temperos para churrascos. Os ramos ainda verdes são usados em saladas, ou, secos, como condimento.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Referências

  1. "Antidiarrhoeal effects of Ocimum gratissimum leaf extract in experimental animals". Veronica N. Offiah, Unoma A. Chikwendu,Journal of Ethnopharmacology, Vol. 68, No. 1-3, Dec. 15, 1999, pp. 327-330.
  2. Enraizamento de Estacas de Alfavaca (Ocimum gratissimum L.) Arquivado em 22 de novembro de 2010, no Wayback Machine., por Marçal Henrique Amici Jorge, Flávio da Silva Emery e Alessandra Moraes e Silva.
  3. Detecção de Aethalion reticulatum (L., 1767) (Hemiptera: Aethalionidae) em alfavaca-cravo (Ocimum gratissimum L.) e observações sobre sua ocorrência, por Rando, J.S.S e Lima, C.B. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, vol.12, nº2. Botucatu, abr.- jun. 2010. ISSN 1516-0572.
  4. "Antibacterial Activity of Ocimum gratissimum L. Essential Oil", por Celso Vataru Nakamura, Tania Ueda-Nakamura, Erika Bando, Abrahão Fernandes Negrão Melo, Díogenes Aparício Garcia Cortez, Benedito Prado Dias Filho. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, Vol. 94(5): 675-678.]
  5. Justification for the use of Ocimum gratissimum L in herbal medicine and its interaction with disc antibiotics por Emeka I Nweze e Elizabeth E Eze. BMC Complementary and Alternative Medicine 2009, 9:37
  6. DI STASI, Luiz Claudio e HIRUMA-LIMA, Clélia Akiko. Plantas medicinais na Amazônia e na Mata Atlântica. São Paulo: Unesp, 2002.
Ícone de esboço Este artigo sobre a ordem Lamiales, integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.