Omar Torrijos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Omar Torrijos.

Omar Efraín Torrijos Herrera (Santiago de Veraguas, 13 de fevereiro de 192931 de julho de 1981) foi um militar do exército e líder do Panamá de 1968 até 1981.

Torrijos nunca disputou uma eleição no Panamá, e nunca foi presidente. Ele se auto-intitulava "Lider Máximo da Revolução Panamenha" durante o final da década de 1970. O seu filho Martín Torrijos, ganhou uma eleição presidencial em 1 de maio de 2004, assumindo o cargo em 1 de setembro de 2004.

Em 1954 Omar Torrijos torna-se presidente do Panamá com ideias de implantar um sistema totalmente diferente do que estava estabelecido. Omar desejava "Devolver e Libertar" o canal do Panamá ao povo do seu país.

Os Estados Unidos da América não gostaram das ideologias implantadas pelo presidente. Logo o governo norte-americano tratava de ter uma "conversa" com Omar Torrijos.

Supostamente envolvia nesta reunião a pergunta: "O que o Tio Sam poderia fazer para que o presidente panamenho fosse para o lado deles?" Porém para a decepção dos EUA, Torrijos não aceitou tais regras impostas e acabou criando novos inimigos.

Em julho de 1981 falece Omar Torrijos em um grave acidente aéreo que comoveu todo o país. Há fortes suspeitas de que o avião não caiu por falha mecânica ou humana, mas sim por "Chacais" da CIA.

Frases[editar | editar código-fonte]

  1. "Se eu falhar, levantem a bandeira, beijem-a e continuem o caminho." - Omar Torrijos
  2. "Quem dá amor, recebe amor." - Omar Torrijos
  3. "Meu general, porque o açúcar refinado custa tão mais caro que o mascavo? Bom, o que posso dizer é que se queres luxo, que pague por ele."Omar Torrijos
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.