Onda Choc

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Onda Choc
Informação geral
Origem Lisboa
País  Portugal
Gênero(s) Música infanto-juvenil
Período em atividade 1987 - 1999
(Reactivação em 2006)
Gravadora(s) Sony Music (Portugal)
Afiliação(ões) Jovens Cantores de Lisboa
Página oficial Facebook.com/ondachoc

Onda Choc foi um grupo de música infanto-juvenil portuguesa.

História[editar | editar código-fonte]

Os Onda Choc foi um grupo originalmente criado pela cantora Ana Faria, em finais de 1986, após o sucesso dos Ministars aparecidos nesse mesmo ano.[1]

O grupo foi constituído por rapazes e raparigas entre os 10 e os 15 anos de idade. Os elementos eram recrutados do coro juvenil dos Jovens Cantores de Lisboa. Os ensaios das canções e das coreografias decorriam num pavilhão do Clube Futebol Benfica (também conhecido como Fófó), e as produções discográficas ficaram a cargo de Heduíno Gomes, o marido da cantora Ana Faria.O grupo gravava para a editora CBS e normalmente gravavam dois discos por ano.[2]

No seu repertório, o grupo continha canções adaptadas de êxitos internacionais e relatavam os problemas diários dos jovens, como casos amorosos entre outras experiências.[3] Em 1987 foi lançado o disco "Onda Choc". No mesmo ano segue-se o disco "Namoro".

Em 1988 são editados os discos "Vem Dançar!" e Na Minha Idade. No ano de 1989 lançam os álbums "Será que Ele Pensa em Mim?" e "A mais Bonita". Lançam os discos "Cantando pela Praia" e "Feira Popular", em 1990.

1991 é o ano de "Férias Grandes" e de "Ela só Quer, só Pensa em Namorar". Em 1992 são editados os discos "Não Tenho Idade para Amar-te" e "Cabecinha no Ombro". Em 1993 lançam os discos "Viva o Verão!" e Ele é o Rei. Seguem-se em 1994os álbuns "Comboio sem Volta" e "Doces p'ró Meu Doce".

Em 1995 são editados os discos "Carinha de Santo" e "Final Feliz". O álbum "O Rádio sempre a Tocar" é lançado em 1996. No mesmo ano élançado o CD "Estou Apaixonada". 1997 é o ano de "Um Sonho a Dois" e "Confia em Mim".

Segue-se em 1998 o disco "Tudo bem!" e a colectânea "30 Grandes Êxitos". No ano de 1999 é editado o disco "Mais uma Vez". Em 2006 regressaram com o disco "Olha a Onda, Está de Volta!".

Ao longo da sua carreira, os Onda Choc venderam mais de um milhão de discos.[4]

Alguns dos membros do grupo conseguiram continuar a sua carreira artística como foi o caso do cantor Pedro Camilo e da actriz Joana Seixas (que pertenceram ao grupo na década de 80) e das cantoras Micaela (que pertenceu ao grupo na década de 90) e Marisa Liz (ex-vocalista da banda musical Donna Maria e actual vocalista da banda Amor Electro).

Em 2006, Heduíno Gomes reactivou os Onda Choc e foi editado um novo disco (após uma paragem de sete anos).

Discografia[5][editar | editar código-fonte]

Referências

  1. TVI: 30 anos depois voltamos a reunir os Onda Choc
  2. Ministars, Onda Choc e outros miúdos que cantam in Observador.pt (20/01/2016).
  3. SIC Notícias: Reencontrámos alguns membros dos Onda Choc. A banda juvenil foi lançada em 1987 e tornou-se de imediato um êxito nacional.
  4. SIC Notícias. «Onda Choc - Perdidos e Achados». Consultado em 9 de dezembro de 2013. 
  5. Discogs. «Discografia Onda Choc» 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]