Operação Wasserkante

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Bombardeiro alemão Heinkel He 111, Varsóvia 1939.

A Operação Wasserkante foi o nome de código de uma operação militar da Luftwaffe que resultou no bombardeamento da cidade de Varsóvia, capital da Polónia. Esta operação foi realizada durante o Cerco de Varsóvia, na Invasão da Polónia, e foi o elemento conclusivo do esforço de guerra alemão contra a cidade. Esta operação militar foi levada a cabo no dia 25 de Setembro, com os alemães a realizarem cerca de 1150 ataques de bombardeamento contra a cidade, num esforço para aterrorizar os defensores e obrigá-los a renderem-se. 500 toneladas de bombas explosivas e 72 toneladas de bombas incendiárias foram despejadas na cidade. No dia 27, a cidade rendeu-de.[1][2][3]

Cerco de Varsóvia[editar | editar código-fonte]

Soldado do exército polonês que mantinha a última parte restante do bombardeiro alemão Heinkel He 111 destruído sobre Varsóvia 1939.

Em 1939, a Luftwaffe abriu fogo à Polónia com a operação Wasserkante, um ataque aéreo a Varsóvia a 1 de setembro de 1939. Este ataque de quatro grupos de bombardeiros teve uma eficácia limitada devido à cobertura de nuvens baixas e forte resistência polaca pelos aviões de caça PZL P.11 da Pursuit Brigade, que derrubaram 16 aviões nazis. No entanto, pesadas perdas em aviões de combate polacos fizeram com que, em 6 de setembro, a defesa aérea de Varsóvia estivesse nas mãos dos canhões antiaéreos de 40 e 75 mm do Comando de Defesa de Varsóvia.

Quando o exército alemão se aproximou de Varsóvia em 8 de setembro de 1939, 140 Junkers Ju 87 Stukas atacaram a margem leste do rio Vístula e outros bombardeiros bombardearam as posições do Exército Polaco nos subúrbios ocidentais. Em 13 de setembro, os bombardeiros da Luftwaffe causaram vastos incêndios.

Finalmente, a partir das 08:00 de 25 de setembro, bombardeiros da Luftwaffe sob o comando do Major Wolfram Freiherr von Richthofen realizaram o maior ataque aéreo já visto na época, lançando 560 toneladas de bombas altamente explosivas e 72 toneladas de bombas incendiárias em coordenação. com bombardeios de artilharia pesada por unidades do Exército. O centro de Varsóvia estava seriamente danificado.

Embora comummente retratado como sendo absolutamente decisivo, o ataque aéreo da Black Monday foi um sucesso misto. Pois não causou rendição polaca. Fumaça causada por incêndios e grandes quantidades de poeira obscurecem os alvos e reduzem a precisão. Como resultado, os bombardeiros da Luftwaffe lançaram uma quantidade significativa de suas cargas de bombas em postos de infantaria alemães nos subúrbios da cidade, levando a discussões acirradas entre a Luftwaffe e os comandantes do Exército.

No entanto, em 26 de setembro, três fortes foram capturados, e a guarnição polaca rendeu-se - em 27 de setembro as tropas alemãs entraram na cidade. Estima-se que cerca de 20.000 a 25.000 civis foram mortos,40% dos edifícios da cidade foram danificados e 10% dos edifícios destruídos. No entanto, alguns dos danos foram o resultado do fogo de artilharia terrestre e não apenas causados ​​por bombardeios aéreos - incluindo intensos combates de rua entre a infantaria alemã e as unidades de blindagem e a infantaria e artilharia polacas.


Referências

  1. «"Czarny poniedziałek" i 630 ton bomb». PolskieRadio.pl 
  2. «Wasserkante | Operations & Codenames of WWII». codenames.info. Consultado em 4 de dezembro de 2017 
  3. «Luftwaffe Terror Raids : Warsaw». histclo.com. Consultado em 4 de dezembro de 2017 

4.     Polskie Radio (25 Sep 2012) Czarny poniedziałek http://www.polskieradio.pl/39/156/Artykul/689947,Czarny-poniedzialek-i-630-ton-bomb

5.    ^ Der Spiegel Wir warden sie ausradieren No. 3 vol. 13, 13 January 2003, p. 123.

6.    ^ Bombardowania Warszawy z września 1939 (Bombing of Warsaw in September 1939) Polish Radio, 28 September 2007.