Out to Lunch

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Out to lunch
Álbum de estúdio de Eric Dolphy
Lançamento 1964
Gravação 25 de fevereiro de 1964, no estúdio Van Gelder, em Englewood Cliffs, Nova Jérsei
Gênero(s) Jazz, Avant-garde Jazz
Duração 42:04
Gravadora(s) Blue Note
Produção Alfred Lion
Originalmente lançado como Blue Note BLP 4163. Arte da capa por Reid Miles.

Out to lunch é um álbum póstumo do flautista, saxofonista e claronista Eric Dolphy. Foi o único de seus álbuns composto exclusivamente de composições próprias.

Embora Dolphy tenha falecido antes do lançamento do disco, a Blue Note optou por omitir esse fato no texto escrito por A.B. Spellman para o encarte do álbum. [1]

Faixas[editar | editar código-fonte]

N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Hat and beard"  Eric Dolphy 8:22
2. "Something sweet, something tender"  Eric Dolphy 6:00
3. "Gazzelloni"  Eric Dolphy 7:18
4. "Out to lunch"  Eric Dolphy 12:05
5. "Straight up and down"  Eric Dolphy 8:19
Duração total:
42:04

Músicos[editar | editar código-fonte]

Freddie Hubbard já havia participado do disco de estréia de Eric Dolphy, Outward bound, e o havia convocado para a gravação de seu disco The body and the soul, pela Impulse!. Os dois também já haviam gravado juntos em discos de outros líderes, como Free jazz (de Ornette Coleman), Olé! (de John Coltrane) e The blues and the abstract truth (de Oliver Nelson).

Richard Davis também já havia participado de várias gravações ao lado de Eric Dolphy, com destaque para as gravações feitas em 1963 sob o comando do produtor Alan Douglas, onde os dois músicos chegaram a gravar três duetos que antecipam a segunda faixa de Out to lunch.

Outro músico que participou das sessões produzidas por Alan Douglas foi Bobby Hutcherson, que tornou-se então um frequente colaborador de Dolphy.

Tony Williams foi o único músico neste álbum que gravava pela primeira vez com Eric Dolphy. [2]


  1. Texto de Bob Blumenthal para o encarte do relançamento do álbum em 1999.
  2. Texto de Bob Blumenthal para o encarte do relançamento do álbum em 1999.