Paris Pode Esperar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Paris Pode Esperar[1][2]
Paris Can Wait
 Estados Unidos  Reino Unido
2016 •  cor •  92[3] min 
Direção Eleanor Coppola
Produção Eleanor Coppola
Fred Roos
Roteiro Eleanor Coppola
Elenco Diane Lane
Arnaud Viard
Alec Baldwin
Gênero comédia romântica
Música Laura Karpman
Cinematografia Crystal Fournier
Edição Akrivi Fili
Glen Scantlebury
Companhia(s) produtora(s) American Zoetrope
Corner Piece Capital
Lifetime Films
Protagonist Pictures
Tohokushinsha Film
A+E Studios
Distribuição Estados Unidos Sony Pictures Classics
Brasil California Filmes
Lançamento Canadá 12 de setembro de 2016 (Festival de Toronto)
Estados Unidos 12 de maio de 2017
Brasil 8 de junho de 2017
Reino Unido 23 de junho de 2017 (Festival Internacional de Cinema de Edimburgo)
Portugal 29 de junho de 2017
Idioma inglês
Orçamento US$5 milhões[4]
Receita US$8.9 milhões[5]

Paris Pode Esperar (Em inglês: Paris Can Wait) é um filme de estrada de comédia romântica de 2016 escrito, co-produzido e dirigido por Eleanor Coppola em sua estreia na direção de filmes, já que todos os seus esforços anteriores de direção foram documentários.[6] É estrelado por Diane Lane, Alec Baldwin e Arnaud Viard.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Anne (Diane Lane) está em Cannes com seu marido Michael (Alec Baldwin), um proeminente produtor de cinema. Quando o Festival de Cannes termina, ela descobre que as férias que ela e seu marido deveriam passar em Paris serão ligeiramente atrasadas, pois eles precisam primeiro ir para Budapeste. Eles planejam voar para Paris, mas o piloto sugere que Anne não voe devido a uma infecção no ouvido. O parceiro de produção de Michael, Jacques (Arnaud Viard), se oferece para levar Anne pessoalmente a Paris.

O que deveria ser uma curta viagem de carro rapidamente se transforma em uma agradável viagem de lazer, pois Jacques, um foodie francês, não consegue resistir a aproveitar qualquer oportunidade que pode para parar a cada hora ou mais para experimentar novos alimentos. Ele também flerta abertamente com Anne, mas ela começa a questionar suas intenções quando ele usa repetidamente seu cartão de crédito para pagar a conta das refeições gourmet que estão experimentando. Eles visitam uma igreja onde Anne sofre com o bebê que perdeu e diz a Jacques que ela usa o colar medalhão em sua homenagem. Eles compartilham um jantar romântico onde Jacques admira a fotografia de Anne e pergunta por que ela não a compartilha com o marido.

Mais tarde, na estrada, Jacques confidencia que só ele sabe que seu irmão havia tirado a própria vida e carrega esse fardo para que o sobrinho não saiba. Eles finalmente alcançam o lugar onde Anne está e quase se beijam, mas as portas do elevador se fecham sobre eles. Anne vê que Jacques foi embora, mas ele volta para beijá-la apaixonadamente e a convida para um encontro com ele mais tarde em São Francisco.

Dias depois, ela recebe de Jacques um pacote com rosas de chocolate e o dinheiro que lhe emprestou na viagem. Inclui uma nota que a lembra do restaurante onde eles se encontrarão e ela sorri sugestivamente para a câmera.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Em fevereiro de 2015, foi anunciado que Eleanor Coppola iria dirigir o filme a partir de um roteiro que ela havia escrito, com Diane Lane, Yvan Attal e Nicolas Cage se juntando ao elenco do filme, com Fred Roos produzindo pelo estúdio American Zoetrope.[7] Em setembro de 2015, foi anunciado que Arnaud Viard e Alec Baldwin se juntaram ao elenco do filme, substituindo Attal e Cage, respectivamente, com Lifetime se juntando como co-produtora.[8][9]

O roteiro é baseado em experiências pessoais da diretora, quando teve de viajar de Cannes a Paris, de carro, com um amigo francês.[10] A produção contou com a consultoria enogastronômica de Maria Helm Sinskey, diretora culinária da vinícola Robert Sinskey, no Napa Valley, o filme mantém-se fiel ao mostrar ao público clássicos da harmonização, como a costeleta de cordeiro com Côte-Rôtie, salmonete com os raros Pouilly-Fumé de Didier Dagueneau e prosciutto com melão harmonizado com Châteauneuf-du-Pape.[11]

Filmagens[editar | editar código-fonte]

A fotografia principal começou em 15 de junho de 2015[12] e foi concluída em 31 de julho de 2015.[13]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

O filme teve sua estreia mundial na seção Apresentações Especiais no Festival Internacional de Cinema de Toronto de 2016 em 12 de setembro de 2016.[14] Pouco depois, a Sony Pictures Classics adquiriu os direitos de distribuição do filme nos EUA, com lançamento em 12 de maio de 2017.[15]

O filme foi lançado no Brasil em 8 de junho de 2017.[16][17]

Recepção[editar | editar código-fonte]

No agregador de críticas Rotten Tomatoes, o filme tem uma classificação de aprovação de 47% com base em 111 resenhas, com uma classificação média de 5,39/10.[18] No Metacritic, o filme tem uma pontuação de 48 em 100, com base em 25 críticos, indicando "críticas mistas ou médias".[19]

Referências

  1. «Paris Pode Esperar». no CineCartaz (Portugal) 
  2. Paris Pode Esperar no AdoroCinema
  3. «Paris Can Wait (2017)». Box Office Mojo. Consultado em 9 de julho de 2017 
  4. «Paris Can Wait – PowerGrind». The Wrap. Consultado em 10 de julho de 2017 
  5. «Paris Can Wait». The Numbers. Consultado em 30 de julho de 2017 
  6. «Paris Can Wait». Protagonist Pictures. Consultado em 25 de agosto de 2016 
  7. Wiseman, Andreas (5 de fevereiro de 2015). «Protagonist boards Coppola road movie Bonjour Anne». Screen Daily. Consultado em 19 de setembro de 2016 
  8. McNary, Dave (11 de setembro de 2015). «Toronto: Sales Launch on Diane Lane's 'Bonjour Anne'». Variety. Consultado em 19 de setembro de 2016 
  9. A. Lincoln, Ross (11 de setembro de 2015). «Diane Lane Pic 'Bonjour Anne' Wraps Ahead Of Sales Push; Jonathan Rhys Meyers To Topline 'Shambhala' – Toronto Briefs». Deadline Hollywood. Consultado em 19 de setembro de 2016 
  10. Alysson Oliveira (7 de junho de 2017). «ESTREIA–Eleanor Coppola estreia na direção de ficção com "Paris Pode Esperar"». Reuters. Consultado em 21 de setembro de 2020 
  11. Maria Bolognese (20 de junho de 2017). «O vinho como protagonista em nova produção da família Copolla». Revista Adega. Consultado em 21 de setembro de 2020 
  12. «On the Set for 6/15/15: Martin Scorsese Starts Shooting "Free Fire", Matthew McConaughey Finishes "Free State of Jones" & More». SSN Insider. 15 de junho de 2015. Consultado em 19 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 8 de abril de 2016 
  13. «On the Set for 7/31/15: Chris Pratt Wraps 'Magnificent Seven', Dwayne Johnson Completes 'Central Intelligence', Chris Hemsworth Finishes 'The Huntsman'». SSN Insider. 31 de julho de 2015. Consultado em 19 de setembro de 2016. Cópia arquivada em 2 de outubro de 2015 
  14. «Paris Can Wait». Toronto International Film Festival. Consultado em 19 de setembro de 2016 
  15. Fleming Jr, Mike (19 de setembro de 2016). «'Paris Can Wait' Lands At Sony Pictures Classics: Toronto». Deadline Hollywood. Consultado em 19 de setembro de 2016 
  16. Marina Galeano (8 de junho de 2017). «'Paris Pode Esperar' fisga pelo olhar e estômago». Folha de São Paulo. Consultado em 21 de setembro de 2020 
  17. Luiz Zanin Oricchio (8 de junho de 2017). «Eleanor Coppola evoca magia francesa em 'Paris Pode Esperar'». O Estado de São Paulo. Consultado em 21 de setembro de 2020 
  18. «Paris Can Wait (Bonjour Anne) (2017)». Rotten Tomatoes. Consultado em 6 de maio de 2020 
  19. «Paris Can Wait reviews». Metacritic. Consultado em 10 de julho de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]