Pelourinho da Bemposta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pelourinho da Bemposta, situado no Largo da Torre.

O Pelourinho da Bemposta localiza-se em frente aos Paços do Concelho da Bemposta, no concelho de Penamacor, no distrito de Castelo Branco, em Portugal. Juntamente com o pelourinho de Penamacor é um dos dois do concelho, e destaca-se por se constituir no único pelourinho de gaiola no distrito.

História[editar | editar código-fonte]

Foi erguido no século XVI, em 1510, por ocasião da atribuição à povoação do foral manuelino, foi refeito no século XVII, possivelmente aquando da edificação da Casa da Câmara que lhe fica fronteira.[1]

Encontra-se classificado como Imóvel de Interesse Público desde 1933.[2]

Características[editar | editar código-fonte]

Foi confeccionado em pedra de granito da região. Assenta numa plataforma quadrada, apoiada num soco de três degraus octogonais formado por duas pedras de qualidade diferente. Tem no topo da coluna um escudo e um globo, encimado por uma Coroa que, segundo a tradição, representa a coroa de Afonso I de Portugal.

Referências

  1. Portugal : atlas do património / Álvaro Duarte de Almeida, Duarte Belo, Júlia Mateus Soares ; ed. Leonel de Oliveira. [Lisboa] : Círculo de Leitores, 2008
  2. Decreto Lei nº 23.122, de 11 de outubro de 1933, publicado no DG nº 231.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ALMEIDA, João de, Roteiro dos Monumentos Militares Portugueses, Lisboa, 1948.
  • ALMEIDA, José António Ferreira de (dir.), Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1980.
  • AZEVEDO, Correia de, Terras com Foral ou Pelourinhos das Províncias do Minho, Trás-Os-Montes e Beiras, Porto, 1967.
  • CARDOSO, Nuno Catarino, Pelourinhos das Beiras, Lisboa, 1936.
  • DIAS, Jaime Lopes, Pelourinhos e Forcas do Distrito de Castelo Branco, V. N. Famalicão, 1935.
  • JOLON, Novo, Roteiro do Concelho de Penamacor, Penamacor, 1988.
  • LANDEIRO, José Manuel, O Concelho de Penamacor na História, na Tradição e na Lenda, Penamacor, 1938.
  • LEAL, Pinho, Portugal Antigo e Moderno, Lisboa, 1873.
  • MALAFAIA, E. B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral, Lisboa, 1997.
  • PIRES, Edmundo A. (dir.), I Colóquio de Arqueologia e História do Concelho de Penamacor, Penamacor, 1979.
  • SALVADO, António, Elementos para um Inventário Artístico do Distrito de Castelo Branco, Castelo Branco, 1978.

Ver também[editar | editar código-fonte]