Phytelephas aequatorialis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Como ler uma infocaixa de taxonomiaPhytelephas aequatorialis
TaguaPalm.JPG
Estado de conservação
Quase ameaçada
Quase ameaçada
Classificação científica
Reino: Plantae
Classe: Liliopsida
Subclasse: Arecidae
Ordem: Arecales
Família: Arecaceae
Subfamília: Ceroxyloideae
Tribo: Phytelephanteae
Género: Phytelephas
Espécie: P. aequatorialis
Nome binomial
Phytelephas aequatorialis
Spruce

Phytelephas aequatorialis é uma planta vulgarmente conhecida por jarina, tagua ou marfim-vegetal, assim chamada porque suas sementes, de cor clara, são frequentemente utilizadas como substituto do marfim. A planta é dioica, com os indivíduos femininos portando frutos grandes, cônicos e de cor marrom, cada um aproximadamente do tamanho de uma toranja ou cidra, cobertos por uma casca espinhosa. Os frutos contém normalmente quatro sementes. Sementes imaturas normalmente apresentam polpa doce comestível. Sementes maduras são mais duras que madeiras e encapsuladas por uma casca de aspecto ósseo. O endosperma é um composto de hemicelulose branca, material tão duro que pode ser polido e esculpido como marfim. O gênero Phytelephas significa "Planta elefante". Três outras  espécies dentro do gênero também são fontes de marfim vegetal.

As sementes imaturas comestíveis são frequentemente dispersadas por roedores da floresta tropical como a cutia. Em algumas áreas rurais, as palmeiras são usadas para atrair roedores, que então são capturados por sua carne.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre plantas é um esboço relacionado ao Projeto Plantas. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.