Polydontes apollo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaPolydontes apollo
P. apollo (Pfeiffer, 1860), em um museu e em vista inferior.

P. apollo (Pfeiffer, 1860), em um museu e em vista inferior.
P. apollo (Pfeiffer, 1860), em um museu e em vista inferior, com seu perióstraco desgastado.
P. apollo (Pfeiffer, 1860), em um museu e em vista inferior, com seu perióstraco desgastado.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Mollusca
Clado: clado Heterobranchia
clado Euthyneura
clado Panpulmonata
clado Eupulmonata
clado Stylommatophora
grupo informal Sigmurethra
Classe: Gastropoda
Superfamília: Helicoidea
Família: Pleurodontidae
Género: Polydontes
Montfort, 1810[1]
Espécie: P. apollo
Nome binomial
Polydontes apollo
(Pfeiffer, 1860)[2]
Sinónimos
Polydontes imperatrix Gundlach[2]

Polydontes apollo é uma espécie de gastrópode terrestre neotropical da família Pleurodontidae (antes entre os Camaenidae). Foi nomeada por Pfeiffer, em 1860.[3] É nativa do Caribe, endêmica de uma pequena região.[2][4]

Descrição da concha e hábitos[editar | editar código-fonte]

Esta espécie apresenta conchas circulares e amarronzadas, quando vistas por cima ou por baixo[3], com 2.3 centímetros de altura e 4.5 de diâmetro, quando desenvolvidas. São caracterizadas por sua superfície quase lisa, espiral baixa, cônica e levemente arredondada, formando um ângulo entre a parte superior e inferior da concha, e pela ausência de umbílico. Lábio externo expandido e de coloração branca, sem projeções dentiformes em seu interior. Curiosamente possuem o hábito de amputar o final de seu pé (dispositivo de locomoção ventral) como tática de fuga.[3][4]

Distribuição geográfica[editar | editar código-fonte]

Polydontes apollo é uma espécie endêmica do leste de Cuba, ocorrendo em uma elevação denominada Yunque de Baracoa, em Baracoa, província de Guantánamo.[2][4]

Referências

  1. Gray, John Edward (1847). «A List of the Genera of Recent Mollusca: Their Synonyma and Types» (em inglês). Google Books. 172 páginas. Consultado em 24 de junho de 2016 
  2. a b c d Instituto de Ecología y Sistemática (Academia de Ciencias de Cuba) Instituto de Oceanología (Academia de Ciencias de Cuba) Universidad de Oviedo. (1999). «Avicennia : revista de ecología, oceanología y biodiversidad tropical, supl.2» (em espanhol). Biodiversity Heritage Library. 122 páginas. Consultado em 24 de junho de 2016. Distribución: Cima del Yunque de Baracoa, provincia de Guantánamo. 
  3. a b c ABBOTT, R. Tucker (1989). Compendium of Landshells. A Full-Color Guide to More than 2.000 of the World's Terrestrial Shells (em inglês). Melbourne, FL, and Burlington, MA: American Malacologists, Inc. p. 140. 240 páginas. ISBN 0-915826-23-2 
  4. a b c Sáez, José Espinosa; Rato, Jesús Ortea; Larramendi, Julio A. «Polydontes» (em espanhol). Moluscos terrestres de Cuba (EcuRed). 1 páginas. Consultado em 24 de junho de 2016 


Ícone de esboço Este artigo sobre gastrópodes, integrado no Projeto Invertebrados é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.