Ponta da Piedade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ponta da Piedade
Falésias na Ponta da Piedade
País Portugal Portugal
Região Algarve
Local Lagos
Mar(es) Oceano Atlântico
Coordenadas 37° 4' 48.52" N 8° 40' 9.1" O
Ponta da Piedade está localizado em: Faro
Ponta da Piedade
Localização na região do Algarve

A Ponta de Piedade é um acidente geográfico perto da cidade de Lagos, na região do Algarve, em Portugal. É composta por um cabo rodeado por várias formações rochosas do tipo falésia, com até cerca de 20 m de altura, sendo um dos pontos turísticos de maior interesse turístico da região.

Descrição[editar | editar código-fonte]

A Ponta da Piedade é um dos principais pontos turísticos, tanto no concelho de Lagos como a nível regional, possuindo um valioso conjunto de património histórico, natural, paisagístico e geológico.[1]

No local, é possível visitar as diversas grutas existentes, garantido uma experiência turística agradável e única.

O topo da falésia, no cabo da Ponta da Piedade, atinge cerca de 40 m de altura.[2]

Primeira estação da Via Sacra até à Ponta da Piedade, situada junto a uma das antigas portas de Lagos.

História[editar | editar código-fonte]

Formação e ocupação primitiva[editar | editar código-fonte]

As formações rochosas foram formadas a partir da erosão marinha, sendo o terreno composto principalmente por rochas formadas há cerca de 20 a 7 milhões de anos, durante o período Miocénico, quando toda a zona estava ainda coberta pelas águas do mar, com a faixa costeira vários quilómetros para o interior.[2] O promontório apresenta um grande potencial paleontólogo, tendo sido descobertos dentes de grandes tubarões, vestígios de várias espécies extintas de peixes, e fósseis de corais.[2]

Desde tempos remotos que a Ponta da Piedade teve uma função cultural e religiosa, tendo sido considerado como um local sagrado devido à sua ligação ao oceano.[1] Com efeito, a ocupação humana no promontório pode ser muito antiga, tendo sido recolhidas peças da Idade do Bronze no terreno,[3] enquanto que em meio subaquático foram descobertos vestígios do período romano, como ruínas, uma base de uma coluna, e moedas.[4]

Fotografia das formações rochosas na Ponta da Piedade, publicada na revista Brasil - Portugal em 1903.

Séculos XVI a XX[editar | editar código-fonte]

No Século XVI foi construída uma ermida dedicada a Nossa Senhora da Piedade, embora tenham sido encontrados indícios de edifícios anteriores no local.[1] Uma das principais reminiscências da importância religiosa da Ponta da Piedade é um percurso cerimonial desde a cidade de Lagos, conhecido como Via Sacra, permanecendo ainda os marcos das estações da cruz.[1] O cabo também teve uma grande importância como ponto de vigilância e defesa da costa, tendo ali sido instalada uma bateria militar em 1663, que foi reconstruída na segunda metade do Século XVIII e encerrada em 1821.[1] Posteriormente, a ermida foi demolida para a instalação do farol, cujas obras decorreram entre 1912 e 1913.[1]

Miradouro nas arribas da Ponta da Piedade, com um passadiço de madeira à direita.
Falésias na Ponta da Piedade, com um arco natural.

Século XXI[editar | editar código-fonte]

Em 2012, a Câmara Municipal de Lagos lançou um programa para a conservação e requalificação da zona da Ponta da Piedade, com a instalação de vários caminhos definidos para os visitantes, mas as obras não chegaram a avançar devido a problemas financeiros, tanto a nível nacional como local.[5] A iniciativa foi retomada pela autarquia na segunda metade da Década de 2010, tendo sido organizada em duas fases, a primeira incidindo sobre o lanço entre o Canavial e a Ponta da Piedade, com cerca de dois quilómetros, enquanto que a segunda iria corresponder à faixa costeira desde aquele ponto até às Praias do Pinhão[1] ou de Dona Ana.[5] A primeira fase envolveu a plantação de pinheiros, a organização dos percursos e a instalação de equipamentos de apoio aos visitantes, como zonas de estadia, miradouros e painéis de informação.[1] Durante as obras foram encontrados vários problemas, como modificações geológicas provocadas pela erosão aquática, que levaram a várias alterações no plano original e à criação de uma segunda empreitada, durante a qual foram instalados vários passadiços sobre no terreno, e modificados e expandidos os percursos, com a correspondente sinalização.[1] Como parte deste processo foi montado um sistema inovador de contagem automática dos visitantes, capaz de diferenciar os ciclistas dos peões.[1] A primeira fase estava quase concluída em Agosto de 2018, tendo custado mais de 32 mil Euros.[1] Nesta altura, já tinha sido adjudicada a segunda fase da obra, no valor de 74 mil Euros, que além de melhorar os acessos entre o cabo e a Praia do Pinhão, também iria contemplar as vias pedestres e rodoviárias até à cidade de Lagos, e fazer uma homenagem a Sophia de Mello Breyner Andresen, que ficou ligada à cidade de Lagos e à Ponta da Piedade.[1] A escritora passava normalmente as suas férias em Lagos, onde tinha uma habitação, e visitava regularmente as grutas na Ponta da Piedade, às quais fez uma referência na sua obra As Grutas - Obra Poética II - Livro Sexto.[6] Como resultado da sua dedicação ao local, uma das grutas recebeu o nome de Gruta de Sophia.[6] Em 2017, a autarquia também planeou a instalação de um centro de interpretação dedicado a Sophia de Mello Breyner Andresen na Ponta da Piedade, que além de informar o público sobre a escritora, também iria dar informação sobre a biodiversidade no promontório.[7]

Porém, as intervenções decorrentes da primeira fase estiveram envoltas em polémica, tendo os partidos da oposição em Lagos exigido a «paragem imediata das obras».[5] Em causa estava a instalação dos passeios entre o farol e a Praia do Canavial que foram feitos ao nível do solo, com gravilha e betão, enquanto que os restantes lanços tinham sido instalados com recurso a passadiços.[5] Os críticos ao plano da autarquia apontaram que a utilização de passeios em vez de passadiços não iria criar barreiras físicas que impedissem os utilizadores de sair dos percursos definidos, pelo que iriam continuar a ter acesso a locais potencialmente perigosos, além da circulação aumentar o risco de erosão do solo, numa área de grande sensibilidade.[5]

Em Dezembro de 2019, a autarquia de Lagos aprovou um acordo de colaboração com a Rota Vicentina – Associação para a Promoção do Turismo de Natureza na Costa Alentejana e Vicentina, no sentido de integrar os caminhos entre Burgau e Lagos, passando pela Ponta da Piedade e pela Praia da Luz, na rota Trilho dos pescadores, uma rota pedonal com cerca de 226,5 Km que corre parte da faixa litoral alentejana e algarvia.[8] Em Agosto de 2020, a Administração dos Portos de Sines e do Algarve estava a planear uma operação de dragagem no canal do Porto de Portimão, sendo depois parte das areias recolhidas aplicadas em várias praias da zona, incluindo a da Ponta da Piedade.[9]

Em 2015, uma equipa de especialistas em viagens do jornal on-line The Huffington Post percorreu dez praias em vários pontos turísticos do planeta, tendo a da Ponta da Piedade sido eleita pela colaboradora Suzy Strutner como a sua preferida, devido à sua beleza natural, com as formações rochosas.[10] Em 2020, a editora de guias de viagem Lonely Planet destacou a Ponta da Piedade como uma das dez maravilhas naturais em Portugal.[11]

Farol da Ponta da Piedade.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l «Ponta da Piedade: Requalificar o Ex-Libris natural e paisagístico de Lagos». Revista Municipal de Lagos. Lagos: Câmara Municipal de Lagos. Agosto de 2018. p. 4-7. Consultado em 3 de Outubro de 2020 – via Issuu 
  2. a b c RODRIGUES, Luís Azevedo (10 de Outubro de 2019). «Pediu um mar com que idade?». Sul Informação. Consultado em 4 de Outubro de 2020 
  3. «Ponta da Piedade». Portal do Arqueólogo. Direcção Geral do Património Cultural. Consultado em 3 de Outubro de 2020 
  4. «Ponta da Piedade 1». Portal do Arqueólogo. Direcção Geral do Património Cultural. Consultado em 3 de Outubro de 2020 
  5. a b c d e LEMOS, Pedro (14 de Setembro de 2017). «Obras na Ponta da Piedade avançam, mas oposição exige «paragem imediata»». Sul Informação. Consultado em 4 de Outubro de 2020 
  6. a b «Lagos presta homenagem a Sophia de Mello Breyner». Público. 26 de Outubro de 2004. Consultado em 4 de Outubro de 2020 
  7. «Lagos quer ter centro de interpretação com nome de Sophia de Mello Breyner». Folha do Domingo. 8 de Março de 2017. Consultado em 4 de Outubro de 2020 
  8. ««Trilho dos pescadores» tem 11 quilómetros de beleza natural em Lagos». Barlavento. 10 de Dezembro de 2019. Consultado em 4 de Outubro de 2020 
  9. RODRIGUES, Elisabete (11 de Agosto de 2020). «Ferragudo rejeita deposição de areias das novas dragagens do Arade nas suas praias». Sul Informação. Consultado em 4 de Outubro de 2020 
  10. «Ponta da Piedade é a praia mais bela no mundo para o Huffington Post». Dinheiro Vivo. 22 de Janeiro de 2015. Consultado em 4 de Outubro de 2020 
  11. «10 maravilhas naturais portuguesas escolhidas pela Lonely Planet». Volta ao Mundo. 26 de Agosto de 2020. Consultado em 4 de Outubro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ponta da Piedade


Ícone de esboço Este artigo sobre geografia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.