Povo chinês

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Chineses
中國人/中国人
Flag of the People's Republic of China.svg
Bandeira da China
Soong Ching-ling.jpg
Miss World 2007 - Zhang Zilin (3243539382) (cropped).jpg
Victoria Song at Seoul Fashion Week 2014 03.jpg
The Ci-Xi Imperial Dowager Empress (6).PNG
A Tang Dynasty Empress Wu Zetian.JPG
YuanEmpressAlbumJiyatu.jpg
Peng Liyuan C.jpg
Li Na January 2015.jpg
YuanShikaiPresidente1915.jpg
Postcard of Emperor Guangxu.jpg
Jean Ping 080202-F-1644L-081 0YWDF.jpg
Hangeng.JPG
Zhong Chenle at 24th Dream Concert 01.png
Jin Boyang at the 2019 Four Continents Championships - Awarding ceremony.jpg
Confucius - Project Gutenberg eText 15250.jpg
HanXuanDi.jpg
População total
Regiões com população significativa
Línguas
Mandarim padrão[1]
Religiões
Agnosticismo e ateísmo — 42%
Religiões tradicionais e taoísmo — 30%
Budismo — 18%
Cristianismo — 4%
Religiões étnicas minoritárias — 4%
Islamismo — 2%
Fontes: [2][3][4][5]

O povo chinês é formado dos vários indivíduos e etnias associadas à China,[6] normalmente através de sua ascendência, etnia, nacionalidade, cidadania ou outra afiliação. Os chineses de etnia han, o maior grupo étnico da China, formando cerca de 92% da população,[7] costumam ser referidos apenas como "chineses" em outras línguas,[8][9] porém existem dúzias de outros grupos étnicos na China, relacionados ou não aos han.

Ascendência[editar | editar código-fonte]

Um número de grupos étnicos dentro da China, além de pessoas em outros locais com ascendência na região, podem ser chamados de chineses.[10]

Os chineses da etnia han, o maior grupo étnico da China, costumam ser chamados "chineses" ou "chineses étnicos" na língua inglesa.[8][9][11] Os chineses étnicos também fazem parte da maioria ou minoria notável das populações de outros países, e podem compreender até 19% da população mundial humana.[12]

Outros grupos étnicos na China incluem o povo hui ou "muçulmanos chineses", os zhuang, manchu, uigures e miao, que compõem as cinco maiores minorias étnicas na China continental com populações excedendo 10 milhões. Além disso, os povos yi, tujia, tibetanos e mongóis chineses possuem populações que numeram entre seis e nove milhões.

A República Popular da China (RPC) reconhece oficialmente 56 etnias distintas, muitas residindo em regiões administrativas especiais do país. Porém, existem diversas etnias menores não reconhecidas, ou que são incluídas como parte de outras etnias. A República da China (ROC, ou simplesmente Taiwan) reconhece oficialmente 14 tribos de Aborígenes de Taiwan, que juntos das tribos não reconhecidas compreendem cerca de 2% da população do país.[13]

Durante a dinastia Qing o termo "povo chinês" (chinês: 中國之人 Zhōngguó zhī rén; manchu: Dulimbai gurun i niyalma) foi utilizado pelo governo Qing para se referir a todos os súditos do império, incluindo os han, manchu, e mongóis.[14]

Zhonghua minzu (chinês simplificado: 中华民族; chinês tradicional: 中華民族; pinyin: Zhōnghuá Mínzú), uma "nação chinesa", é um conceito supra-étnico que inclui todas as 56 etnias vivendo na China que são reconhecidas oficialmente pelo governo da República Popular Chinesa. Ele inclui os grupos étnicos estabelecidos que vivem dentro das bordas da China desde pelo menos a dinastia Qing (1644–1911).[15] O termo zhonghua minzu foi utilizado durante a República da China de 1911-1949 para se referir ao subconjunto das Cinco Raças Sob Uma União na China.[16] O termo zhongguo renmin (em chinês: 中国人民), "povo chinês", foi o preferido pelo governo durante a vida de Mao Tsé-Tung, zhonghua minzu tornou-se mais comum nas décadas mais recentes.[17]

Nacionalidade, cidadania e residência[editar | editar código-fonte]

A Lei de Nacionalidade da República Popular da China regula a nacionalidade dentro da RPC. Uma pessoa obtém nacionalidade ao nascer, quando pelo menos um dos pais possui nacionalidade chinesa, ou por naturalização. Todas as pessoas que possuem a nacionalidade da República Popular da China são cidadãos da República.[18] O Cartão de Identidade do Residente é a forma oficial de identificação dos residentes da RPC.

Dentro da China, um Passaporte da Região Administrativa Especial de Hong Kong ou Passaporte da Região Administrativa Especial de Macau podem ser emitidos para os residentes permanentes de Hong Kong ou Macau, respectivamente.

A Lei de Nacionalidade da República Popular da China regula a nacionalidade dentro da República da China (Taiwan). Uma pessoa obtém nacionalidade ao nascer ou naturalizar-se. Uma pessoa cujo pai ou mãe é um cidadão da República da China, ou que nasceu na RC de pais desnacionalizados, é qualificada para a nacionalidade desde seu nascimento.[19]

O Cartão de Identificação Nacional é um documento de identidade emitido às pessoas que possuem registros de residência em Taiwan. O Certificado de Residente é um cartão de identificação emitido aos residentes da República da China que não possuem um Cartão de Identificação Nacional.

O relacionamento entre a nacionalidade taiwanesa e nacionalidade chinesa é debatido.[20]

Chineses Ultramarinos[editar | editar código-fonte]

Chineses Ultramarinos são as pessoas que possuem etnia chinesa ou ascendência do país e vivem fora da República Popular da China ou Taiwan graças à diáspora contínua.[21] Pessoas com um ou mais antepassados chineses podem considerar-se chinesas.[22] Essas pessoas variam amplamente em termos de assimilação cultural. Em algumas áreas do mundo enclaves étnicos conhecidos como Chinatowns são lares para populações com antepassados chineses.

No Sudeste Asiático, pessoas chinesas chamam a si mesmas 華人 (Huárén), que é diferente de 中國人 (Zhōngguórén) ou de cidadãos da China ou Taiwan.[23] Isto acontece especialmente nas comunidades chinesas do Sudeste Asiático. O termo Zhongguoren possui um aspecto mais político ou ideológico na sua utilização. Enquanto é comum utilizar Zhongguoren na China para se referir à etnia chinesa, certas partes do Taiwan se negariam a ser chamadas de Zhongguoren.[24]

Referências

  1. «Law of the People's Republic of China on the Standard Spoken and Written Chinese Language (Order of the President No.37)». Chinese Government. 31 de outubro de 2000. Consultado em 21 de junho de 2013. Arquivado do original em 13 de março de 2008. For purposes of this Law, the standard spoken and written Chinese language means Putonghua (a common speech with pronunciation based on the Beijing dialect) and the standardized Chinese characters. 
  2. «Buddhism in China. By staff reporter ZHANG XUEYING». China Today. Consultado em 17 de outubro de 2011 
  3. ANALYSIS (1 de maio de 2008). «Religion in China on the Eve of the 2008 Beijing Olympics». Pew Forum. Consultado em 17 de outubro de 2011 
  4. «Prof: Christians remain a small minority in China today». Purdue.edu. 26 de julho de 2010. Consultado em 17 de outubro de 2011 
  5. «Views on globalisation and faith» (PDF). Ipsos MORI. 5 de julho de 2011. Consultado em 5 de julho de 2011. Arquivado do original (PDF) em 17 de janeiro de 2013 
  6. Harding, Harry. «The Concept of "greater China": Themes, Variations and Reservations». The China Quarterly. JSTOR 655587 
  7. «East Asia/Southeast Asia :: China — The World Factbook - Central Intelligence Agency». www.cia.gov. Consultado em 26 de julho de 2019. Cópia arquivada em 13 de outubro de 2016 
  8. a b «谁是华人?华人是谁?». www.huayuqiao.org. Consultado em 26 de julho de 2019. Cópia arquivada em 20 de novembro de 2018 
  9. a b «Definition of HAN». www.merriam-webster.com (em inglês). Consultado em 26 de julho de 2019. Cópia arquivada em 26 de julho de 2019 
  10. «Chinese | Definition of Chinese by Merriam-Webster». web.archive.org. 26 de julho de 2019. Consultado em 26 de julho de 2019 
  11. Yang, Miaoyan (2017). Learning to Be Tibetan: The Construction of Ethnic Identity at Minzu. [S.l.: s.n.] ISBN 978-1498544634 
  12. Chin, Josh (4 de março de 2011). «World's Most Typical Person: Han Chinese Man». WSJ (em inglês). Consultado em 26 de julho de 2019. Cópia arquivada em 6 de junho de 2019 
  13. Copper, John F. Historical Dictionary of Taiwan (Republic of China). [S.l.: s.n.] ISBN 978-1-4422-4307-1 
  14. Zhao, Gang (2006). «"Reinventing China: Imperial Qing ideology and the rise of Modern Chinese national identity in the early twentieth century"» (PDF). Modern China. doi:10.1177/0097700405282349. Consultado em 26 de julho de 2019. Arquivado do original (PDF) em 29 de maio de 2019 
  15. «Chinese Nationality». www.chinatraveldepot.com. Consultado em 26 de julho de 2019. Cópia arquivada em 26 de julho de 2019 
  16. Millward, James A. Eurasian Crossroads: A History of Xinjiang. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-231-13924-3 
  17. Jenner, W.J.F. «Race and history in China». In: Alan Lawrance. China Since 1919: Revolution and Reform: a Sourcebook. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-415-25141-9. Consultado em 26 de julho de 2019. Cópia arquivada em 26 de abril de 2017 
  18. «CONSTITUTION OF THE PEOPLE'S REPUBLIC OF CHINA». en.people.cn. Consultado em 26 de julho de 2019. Cópia arquivada em 19 de setembro de 2016 
  19. «Nationality Act - Article Content - Laws & Regulations Database of The Republic of China». law.moj.gov.tw. Consultado em 26 de julho de 2019. Cópia arquivada em 7 de junho de 2019 
  20. «移民署中文網». www.immigration.gov.tw. Consultado em 26 de julho de 2019. Arquivado do original em 27 de setembro de 2007 
  21. Barabantseva, Elena. Overseas Chinese, Ethnic Minorities and Nationalism: De-Centering China. [S.l.: s.n.] ISBN 978-1-136-92736-2 
  22. Park, Yoon Jung. A Matter of Honour: Being Chinese in South Africa. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-7391-3553-2 
  23. Beeson, Mark. Contemporary Southeast Asia. [S.l.: s.n.] ISBN 978-1-137-06880-4 
  24. Language, Politics and Identity in Taiwan: Naming China. [S.l.: s.n.] ISBN 9781135046354 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]