Prote (Messénia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para a ilha turca ao largo de Istambul, veja Kınalıada.
Prote
Proti
Vista de Proti desde Gargaliani
Prote está localizado em: Grécia
Prote
Localização de Prote na Grécia
Coordenadas: 37° 3' N 21° 33' E
Geografia física
País  Grécia
Localização oeste do Peloponeso
Arquipélago Ilhas Jónicas
Ponto culminante 184 m
Área 2,8  km²
Largura 1.9 km
Comprimento 3.7 km
Geografia humana
População 4 (2001)[carece de fontes?]
Densidade 1,4  hab./km²
Administração
Unidade regional Messénia
Município Trifilia
Unidade municipal Gargaliani

Prote (em grego: Πρώτη; romaniz.: Próti) é uma ilha grega situada no mar Jónico, ao largo da costa do sudoeste do Peloponeso, que faz parte das ilhas Jónicas apesar de pertencer administrativamente à unidade municipal de Gargaliani, que por sua vez faz parte do município de Trifilia, da unidade regional da Messénia e da região do Peloponeso.[1] Segundo o censo de 2001 tinha quatro habitantes permanentes.[carece de fontes?]

Situa-se a 1,2 km da costa de Marathopoli e não tem nascentes ou poços de água. É usada para pastorear ovelhas.[2] Tem vários vestígios arqueológicos e o mosteiro da Assunção de Gorgopigi, situado a norte da praia de Vurlias, que é o destino de uma romaria popular nos dias 15 de 23 de agosto.[1]

História[editar | editar código-fonte]

O nome da ilha provém do deus grego Proteu, pastor dos rebanhos do deus do mar Posidão.[2]

A ilha tem grande valor arqueológico, nela existindo ruínas de uma acrópole com muralhas e um torrão circular do período micénico (c. 1600–1100 a.C.) ou pré-clássico.[1] No sítio arqueológico de Grammeno encontraram-se cerca de 30 inscrições das épocas pós-clássica, romana e bizantina, com petições para viagens seguras, provenientes dos viajantes que ali estiveram com os seus navios durante tempestades que pediam a proteção dos deuses para prosseguirem a sua viagem de forma segura. Há também uma igreja dedicada a Nossa Senhora que foi construída sobre um antigo templo dedicado a Ártemis Efploias.[1]

Tucídides (século V a.C.) mencionou a ilha, que descreve como deserta e como o local onde uma frota ateniense de 50 navios proveniente de Zacinto ancorou temporariamente durante uma noite, durante o sétimo ano da Guerra do Peloponeso (434–401 a.C.). No dia seguinte, a frota derrotou os espartanos em Pilo.[3] Prote foi também mencionada por Estrabão e outros autores da Antiguidade. De acordo com a tradição local, a ilha foi uma base naval e um refúgio de piratas, cruzados e sarracenos, que ali teriam escondido tesouros. O pirata mais célebre a usar Prote foi Maniatis Katoulias[1]

Referências

  1. a b c d e «Proti Island» (em inglês). Guia de Marathopoli. www.marathopoli.com. Consultado em 30 de abril de 2015 
  2. a b Riffont, Freddy. «Proti island» (em francês). Guide Méditerranée. www.guidemediterranee.com 
  3. Tucídides (século V a.C.), História da Guerra do Peloponeso, livro IV, cap. XII] (em inglês), Projeto Gutenberg