Protoconcha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Nesta concha quebrada, a protoconcha, ou ápice, é a parte superior, indicada, na região do topo da espiral, pelo número 1. O número 3 corresponde à teleoconcha do molusco, que termina no lábio externo.
Cinco vistas da concha do caramujo Cymbiola vespertilio, onde é possível ver sua protoconcha tuberculada[1], de coloração distinta.

Protoconcha, concha embrionária[2], espiral embrionária ou ápice[3], é a concha inicial, embrionária ou larval[4], dos moluscos de estrutura espiralada, ou aparentados; frequentemente retida em sua fase adulta; mais frequentemente citada para os Gastropoda ou para os Cephalopoda dotados de concha, como Nautilidae e Spirula. De acordo com o Oxford English Dictionary, o primeiro designador do termo protoconcha foi Richard Owen, um biólogo, anatomista comparativo e paleontólogo britânico.[5][6] Ela geralmente forma o ápice; uma designação comum dada à ponta da espiral de um caracol ou caramujo[3]; ou à parte mais alta de um molusco Patellogastropoda.[carece de fontes?] Em cefalópodes Nautilidae (Nautilus e Allonautilus) a protoconcha se encontra escondida pelas voltas de sua espiral convoluta.[7][8]

Nos moluscos bivalves a estrutura inicial da concha é denominada umbo ou prodissoconcha.

Tipos de protoconcha[editar | editar código-fonte]

Quando a protoconcha é arredondada e ultrapassa os limites da espiral, logo abaixo, denominada teleoconcha[9], ela recebe o nome de protoconcha mamiliforme[10] ou mamilar. Já a protoconcha cujo sentido de enrolamento parece ser oposto ao da teleoconcha recebe o nome de heterostrófica e de anastrófica quando o enrolamento segue o mesmo eixo da teleoconcha, mas com direção aparente contrária (como no gênero Architectonica); também recebendo o nome de homeostrófica quando o sentido de enrolamento é claramente coincidente com o da teleoconcha e bem visível, ou de submergida quando é invaginada (oculta) por esta (como em Cypraea tigris). Ainda recebem o nome de multispiral, quando a protoconcha é constituída por muitas voltas, normalmente por mais de três voltas, e paucispiral quando é constituída por poucas voltas, normalmente menos de três[4][11]; ou recebendo a denominação desviada, quando seu eixo de enrolamento não coincide com o da teleoconcha.[4]

Calcarella[editar | editar código-fonte]

Dá-se a denominação de calcarella a uma espora ou projeção pontiaguda no início da espiral da protoconcha, como ocorre no molusco Adelomelon beckii.[12][13]


Referências

  1. «tuberculado». Dicionário Online de Português: Dicio. 1 páginas. Consultado em 25 de outubro de 2018 
  2. MENDES, Josué Camargo (1982). Paleontologia Geral 2ª ed. Rio de Janeiro: LTC - Livros Técnicos e Científicos Editora S. A. p. 190. 368 páginas. ISBN 85-216-0176-X 
  3. a b CORBEIL, Jean-Claude; ARCHAMBAULT, Ariane (2007). Le Mini Espagnol Visuel. Dictionnaire Français-Espagnol (em espanhol). Canada: Québec Amérique - Google Books. p. 73. 604 páginas. ISBN 978-2-7644-1096-7. Consultado em 25 de outubro de 2018 
  4. a b c Departamento de Geologia. «15 BREVE GLOSSÁRIO ETIMOLÓGICO PALEONTOLÓGICO, incluindo nomes de grupos taxonómicos» (PDF). Faculdade de Ciências - Universidade de Lisboa. pp. 89–90. Consultado em 25 de outubro de 2018 
  5. «protoconch» (em inglês). Oxford English Dictionary. 1 páginas. Consultado em 25 de outubro de 2018 
  6. «protoconch» (em inglês). Oxford Reference. 1 páginas. Consultado em 25 de outubro de 2018 
  7. «Concha de Nautilidae». i.pinimg.com. 1 páginas. Consultado em 25 de outubro de 2018 
  8. SABELLI, Bruno; FEINBERG, Harold S. (1980). Simon & Schuster's Guide to Shells. An Easy-to-Use Field Guide, With More Than 1230 Illustrations (em inglês). New York: Simon & Schuster. p. 422. 512 páginas. ISBN 0-671-25320-4 
  9. Faculdade de Ciências - Universidade de Lisboa (Op. cit., p.92.).
  10. Buzzurro, Giovanni; Cecalupo, Alberto (2004). «Descrizione di una nuova specie di Cerithiopsidae per le coste turche» (PDF) (em italiano). Boll. Malacol., 40 (5-8). (Società Italiana di Malacologia). pp. 77–79. Consultado em 25 de outubro de 2018 
  11. Todd, Jonathan A.; Rawlings, Timothy (novembro de 2014). «A review of the Polystira clade: the Neotropic's largest marine gastropod radiation (Neogastropoda: Conoidea: Turridae sensu stricto)» (em inglês). ResearchGate. 1 páginas. Consultado em 25 de outubro de 2018 
  12. Wiggers, F.; Veitenheimer-Mendes, I. L. (novembro de 2008). «Taxonomic review of the genus Adelomelon (Gastropoda; Volutidae), based on type material» (em inglês). Brazilian Journal of Biology. vol.68 no.4. (SciELO). 1 páginas. Consultado em 30 de outubro de 2018 
  13. «Adelomelon beckii (Broderip, 1836)». Conquiliologistas do Brasil: CdB. 1 páginas. Consultado em 30 de outubro de 2018