Pulso paradoxal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Na medicina, pulso paradoxal é definido como uma queda superior a 10 mmHg na pressão arterial sistólica durante a fase inspiratória da respiração. É um sinal médico indicativo de diversas condições incluindo tamponamento cardíaco, pericardite, apneia do sono crônica, crupe, e doença obstrutiva dos pulmões, como asma e DPOC.[1]

Fisiopatologia[editar | editar código-fonte]

Sempre que inspiramos profundamente, ocorre uma redução da pressão intratorácica e um consequente aumento do retorno venoso para cavidades direitas do coração, ou seja, chega mais sangue ao ventrículo direito. Este fenômeno provoca um discreto abaulamento do septo interventricular em direção à cavidade do ventrículo esquerdo. Na presença de sangue envolvendo e comprimindo o ventrículo esquerdo (como no tamponamento cardíaco, este abaulamento realmente diminui a cavidade ventricular esquerda transitoriamente, pois o ventrículo esquerdo não tem para onde se expandir: é comprimido de um lado pelo septo e de outro pelo sangue que o envolve. A diminuição da cavidade do ventrículo esquerdo leva à queda do débito sistólico, o que acarreta uma diminuição da pressão arterial sistólica de mais de 10 mmHg durante a inspiração - o pulso paradoxal.[2]

Além do aumento do retorno venoso na inspiração outro fator contribui para a variação do pulso, a resistência vascular pulmonar (RVP). Na inspiração, a RVP é maior devido ao estiramento dos capilares alveolares de modo que o retorno venoso pulmonar, para o átrio esquerdo, fica diminuído, assim como o volume no ventrículo esquerdo.[3]

Em síntese, na inspiração o volume no ventrículo direito aumenta (maior retorno venoso sistêmico) e no ventrículo esquerdo diminui (menor retorno venoso pulmonar). Esse efeito é acentuado no tamponamento cardíaco (em outras condições também) devido a equalização da pressão sobre o coração, de modo que já não há pressão ventricular tão maior que impeça o desvio do septo ventricular para a esqueda.

Referências

  1. Khasnis, A.; Lokhandwala, Y. (2002). «Clinical signs in medicine: pulsus paradoxus». Journal of Postgraduate Medicine (Mumbai - 400 012, India: 49) 48 (1): 46. ISSN 0022-3859. PMID 12082330. Consultado em 21 March 2010. «The “paradox” refers to the fact that heart sounds may be heard over the precordium when the radial pulse is not felt.»  Parâmetro desconhecido |month= ignorado (|data=) (Ajuda)
  2. «Cirurgia». MedCurso MedWriters [S.l.] Volume 1 (Cap 1 - Trauma): pág. 24. 2008. 
  3. West. Fisiologia Respiratória [S.l.: s.n.] 
Ícone de esboço Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.